Conecte-se conosco

Esportes anúncio

Red Fitness participa da IHRSA Fitness Brasil em São Paulo

Publicado

em

A rede de academias estará no maior evento do ramo da América Latina com condições especiais para os frequentadores

A rede de academias, Red Fitness, fundada em 2013 pelo casal Ellen Fernandes e Ronaldo Godoi e que está em expansão para todo o País por meio do franchising, estará presente na IHRSA Fitness Brasil, que acontece entre os dias 18 e 20 de agosto na Transamérica Expo Center. O evento é o maior encontro do segmento de fitness, saúde e bem-estar da América Latina e reúne proprietários, gestores e investidores do segmento para apresentar cases de sucesso e promover palestras, painéis e mesas redondas a fim de debater as últimas tendências da área.

Com quatro unidades na zona norte de São Paulo, a Red Fitness possui, além das modalidades de treino convencionais, a micro gym Red Burn, modelo patenteado e exclusivo de treino. A marca possui três modelos de investimento: master-franquia, franquia padrão e sócio cotista. Como sócio cotista o investimento inicial é a partir de R$ 300mil. Já para se tornar franqueado no modelo padrão, o investimento inicial é a partir de R$ 3,1 milhões, com faturamento médio anual de até R$ 3,8 milhões e o lucro em torno de 40%. A marca possibilita o retorno de investimento em cerca de 23 meses.

Na IHRSA Fitness Brasil, a marca tem o objetivo de dar mais visibilidade ao seu modelo de negócio, sobretudo para empreendedores que buscam investir em uma rede do ramo. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o segmento de saúde, beleza e bem-estar foi um dos que registraram melhor resultado no faturamento nos três primeiros meses deste ano, com 13,4%.

“O ano de 2022 marca o início da expansão da Red Fitness no mercado nacional. Nosso primeiro passo é atingir principalmente os interessados e quem já tem vivência neste setor. A IHRSA Fitness Brasil é a ocasião ideal para conectar empreendedores com a nossa marca”, finaliza a CEO, Ellen Fernandes.

IHRSA Fitness Brasil 2022

Local: Transamérica Expo Center São Paulo

Endereço: Av. Dr. Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro, São Paulo – SP

Data: 18 a 20 de agosto de 2022

Horário: das 11h às 21h

Estande da Red Fitness: FL12, corredor de Franquias & Licenciamentos

Ingressos: à partir de R$ 29 e podem ser adquiridos pelo site Fitness Brasil

Sobre a Red Fitness

A Red Fitness é uma rede de academias fundada em 2013 pelo casal Ellen Fernandes e Ronaldo Godoi. A companhia oferece, além das modalidades triviais, a micro gym Red Burn – modelo patenteado de treino. Hoje, com 4 operações na cidade de São Paulo e outras 4 em fase de implantação em Jundiaí, Indaiatuba e São Paulo, a marca está em expansão das unidades para todo o País por meio do franchising.

 

Continuar Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esportes anúncio

Circuito Universitário de Skate invade o CEU Butantã

Publicado

em

As seis categorias foram disputadas neste final de semana em São Paulo e agora os skatistas se preparam para a 2ª etapa, em outubro

Com o intuito de incentivar os skatistas a seguirem seus estudos, a 13ª edição do Circuito Universitário de Skate reuniu mais de 60 skatistas para a primeira fase do desafio, que aconteceu no CEU Butantã, em São Paulo nos dias 24 e 25 de setembro, e iniciou a disputa por uma bolsa de estudo para graduação ou pós-graduação da Faculdade UniSantanna.

Organizado pela Associação de Skate Universitário (ASU), com realização da Secretaria de Esportes e Lazer da Prefeitura de São Paulo, o campeonato contou com três categorias divididas entre as modalidades Street e a Park – Master, Feminina e Masculina.

“Começamos em grande estilo essa 13ª edição do Circuito Universitário de Skate, com representantes em todas as modalidade e categorias, além de muitos nomes novos que participaram do evento pela primeira vez, indicando uma boa renovação de skatistas” afirma Marco Ferragina, vice-presidente da Associação de Skate Universitário.

© MarceloMug

O local do evento também foi bastante elogiado. “Depois de 07 anos retornamos ao CEU Butantã e fomos muito bem recebidos pela comunidade local. O Skate universitário agradece a receptividade” afirma Fernando Juruna, locutor oficial do Circuito Universitário de Skate desde 2009.

Campeões da rodada

Na modalidade Street, os vencedores de cada categoria foram: Joabe Moisés Nascimento – Unicsul (Masculino), Carina de Almeida – Centro Universitário Central Paulista (Feminino) e Fabio Martins de Carvalho – Metodista (Master). Já na modalidade Park, que acontece em um banks, os vencedores são: Marcelo Bueno Prado – Anhembi Morumbi (Masculino), Maria Eduarda Nocera – Centro Universitário Fundação Santo André (Feminino) e Marcelo Pontes – Unítalo (Master).

Um dos diferenciais, a categoria Master – para skatistas universitários a partir de 35 anos – foi destaque entre o número de inscritos. “Foi um grande acerto a abertura da categoria Master desde a última edição, tivemos mais uma vez um número expressivo de skatistas participantes de várias regiões do país”, afirma Marcos Camazano, dirigente da ASU e diretor-técnico do evento.

No ranking de resultados por universidades, a Unip ficou em primeiro lugar, seguida por Anhembi Morumbi, Sumaré em terceiro, Metodista em quarto e USP em quinto. No total alunos de 15 universidades diferentes participaram da competição. O ranking geral está disponível no seguinte link: https://liveheats.com.br/events/48524

A realização da 13ª edição contou com o apoio do vereador George Hato, que comemorou a missão do Circuito Universitário de Skate: “O apoio do nosso gabinete ao projeto do Circuito Universitário de Skate celebra a inovadora ponte que a iniciativa cria entre esporte e educação. Estou muito satisfeito em apoiar um projeto como esse, que oferece bolsas de estudo e oportunidades inéditas de desenvolvimento esportivo e educacional”, comemorou.

Etapa II: 22 e 23 de outubro

Agora, os skatistas se preparam para o próximo encontro do desafio. A 2ª etapa acontecerá nos dias 22 e 23 de outubro no Centro de Esportes Radicais do Bom Retiro, em São Paulo. A inscrição é gratuita e pode ser feito na semana anterior à etapa pela plataforma LiveHeats, mas os participantes precisam estar cursando ou já terem se formado em uma instituição de ensino superior do estado reconhecida pelo MEC.

Além da UniSantanna, esta edição ainda recebe o apoio da Diet Skateboards, da Brabois Skateshop, da Federação Universitária Paulista de Esportes – FUPE e da Prefeitura de São Paulo.

Fotos: ©MarceloMug
https://www.dropbox.com/sh/6sfuwi35ec2gj1a/AACknNEtPJhSjUbQIoQhpRPea?dl=0

 

Continuar Lendo

Esportes anúncio

Mais de 60 atletas participaram dos Jogos Brasileiros para Transplantados em Curitiba

Publicado

em

Competição aconteceu no início de setembro e resultados oficiais foram divulgados nesta semana.

Uma celebração para uma segunda chance de viver. Esse foi o resumo da 2ª edição dos Jogos Brasileiros para Transplantados, que aconteceu de 01 a 04 de setembro em Curitiba. O evento contou com 68 atletas transplantados inscritos de todo o País e da América Latina para competir em sete modalidades: atletismo, corrida de rua ou caminhada, ciclismo, natação, tênis, tênis de mesa e triatlo virtual. Os resultados oficiais foram divulgados nesta semana e podem ser conferidos no site da competição – www.jbtxcuritiba.com.br.

“Nosso principal objetivo foi cumprido. Além de reunir essas pessoas e ressaltar a importância da atividade física, queremos chamar a atenção e aumentar a percepção do público geral sobre a importância da doação de órgãos”, comenta o presidente da Associação Brasileira de Transplantados (ABTx), Edson Arakaki. A Associação realizou o evento junto da Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude de Curitiba (Smelj).

Prova de ciclismo reuniu diversos atletas transplantados.
Divulgação

Liège Gautério, de 49 anos, fez um transplante de pulmão há 10 anos e esteve no podium como vice-campeã da corrida de 5 km. Ela destaca que o evento foi um “momento especial de confraternização e de celebração da vida através do esporte”.

Tênis foi outra modalidade disputada no JBTX.
Divulgação

Carlos Rezende, o Professor Carlão, competiu no ciclismo e na corrida de 5 km, e ainda protagonizou junto de seu doador, o Luiz Eduardo Pereira, o Dudu, Desafio 200 Sangue Bom. Os dois, que tiveram suas vidas conectadas quando Carlão, diagnosticado com uma doença sanguínea passou pelo transplante de medula, doada por Dudu, percorreram 200 km pedalando entre as cidades de Rio Azul-PR até a capital do Estado, Curitiba. O desafio iniciou no dia 31 de agosto e a chegada foi no dia 01 de setembro, exatamente na Abertura dos Jogos Brasileiros para Transplantados (JBTx).

“Estou Atleta Transplantado graças a um gesto de amor chamado doação de medula óssea. Com o esporte, celebramos a vida e o amor ao próximo”, resumiu o atleta.

A 2ª edição dos Jogos foi finalizada com a corrida de rua.
Divulgação

Sobre o JBTX

A primeira edição dos Jogos aconteceu em 2019 e reuniu cerca de 60 atletas transplantados, de 7 a 73 anos de todas as regiões do País. A competição também tem uma edição latino-americana e outra mundial e Curitiba foi a pioneira em um campeonato nacional.  Em razão da pandemia os Jogos ficaram dois anos suspensos e agora, em 2022, voltaram a acontecer na capital paranaense.

Medalhas para os participantes.
Divulgação

Dentre os principais benefícios da atividade física estão o combate ao excesso de peso; a melhora na autoestima; diminuição da depressão, estresse e cansaço; aumento da disposição; fortalecimento do sistema imune; melhora da força e resistência muscular; fortalecimento dos ossos e das articulações; diminuição do risco de doenças cardiovasculares.

A 2ª edição dos Jogos Brasileiros para Transplantados contou com o apoio das entidades – Abrale – Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia, ABTO – Associação Brasileira de Transplante de Órgãos, Instituto #deixevivo, Instituto Gabriel, Instituto Sangue Bom, Instituto Sou Doador, Liga Atletas TX, Se Mexe Tx.

Continuar Lendo

Esportes anúncio

O racismo contra o jogador Vinicius Júnior

Publicado

em

Presidente da ADDP (Associação de Defesa de Dados Pessoais e do Consumidor), Francisco Gomes Júnior comenta sobre as medidas cabíveis no caso ocorrido na Espanha

Boa parte do mundo ficou chocada com os últimos acontecimentos na Espanha envolvendo o jogador brasileiro Vinicius Júnior do Real Madrid. Inicialmente, no programa de TV El Chiringuito, o agente de jogadores Pedro Bravo disse que Vinicius Jr. “precisava deixar de fazer macaquice”. Com a imensa repercussão negativa de sua fala nas redes sociais pelo mundo, o mesmo explicou que o termo utilizado não era racista.

O discurso teve repercussão e no clássico entre Real Madrid e Atlético de Madri uma parte da torcida do Atlético xingou Vinicius Jr. fora do estádio e durante a partida, novamente com frases racistas. O episódio trouxe à tona, mais uma vez, a reflexão sobre o racismo no futebol europeu que parece se fortalecer cada vez mais.

De acordo com o advogado constitucionalista Francisco Gomes Júnior, o que aconteceu com Vinicius Junior foi ‘um show de horrores com racismo e xenofobia’. “A fala inicial, além da ofensa racial, ainda dizia “vá bailar na sua terra e não aqui”. Não houve em nenhum momento um pedido direto de desculpas, mas foram utilizados subterfúgios para justificar a frase dita. E, está evidente a discriminação contra Vinicius Junior e outros jogadores de outros países. A intolerância começa a dominar torcidas europeias, como a do Atlético de Madrid”.

Existem fatos que corroboram tal opinião. Na temporada passada da Liga dos Campeões da Europa, parte da torcida do Atlético de Madrid fez saudações nazistas no jogo de ida das quartas de final do torneio. Foi aplicada uma punição e o Atlético perdeu 5 mil ingressos para o jogo de volta em Madri. Anteriormente, o jogador senegalês Papa Diop também foi xingado de “macaco” pela torcida do mesmo Atlético, quando jogava pelo Levante. E todos se recordam quando jogaram uma banana em direção a Daniel Alves, que a comeu e declarou, na época, “que estava na Espanha há 11 anos e há 11 anos é dessa maneira”.

“Não se pode dizer que é um caso isolado na Espanha, parece recorrente. E até agora nenhuma punição efetiva foi imposta, como a perda de pontos no campeonato ou mesmo o rebaixamento do clube envolvido em tais práticas. Se há um aparente racismo estrutural com visão colonizadora contra imigrantes e pretos em especial, algo mais drástico deve ser feito. Não se trata um câncer com um comprimido para dor de cabeça”, complementa o especialista.

Após a imensa repercussão global, o Atlético foi denunciado junto a La Liga, organizadora do campeonato espanhol, pelas ofensas racistas contra Vinicius Júnior. A dúvida é se haverá efetiva punição ou mais uma vez a aplicação de uma multa ou perda de ingressos.

Francisco Gomes Júnior
Divulgação

Francisco Gomes Júnior – Sócio da OGF Advogados. Presidente da Associação de Defesa de Dados Pessoais e do Consumidor (ADDP). Autor do livro Justiça Sem Limites. Instagram: https://www.instagram.com/franciscogomesadv/

Continuar Lendo

Destaque