Conecte-se conosco

Boas notícias

Livro expõe o racismo por trás da obra de H. P. Lovecraft

Publicado

em

[O RACISMO POR TRÁS DE UM DOS PAIS DA LITERATURA DE HORROR] Livro expõe o racismo por trás da obra de H. P. Lovecraft

Pesquisador amante de obras de terror analisou o discurso xenófobo do autor dentro do conto “Horror em Red Hook”

“A população é um emaranhado e um enigma incorrigível; elementos sírios, espanhóis, italianos e negros chocam-se uns com os outros, e fragmentos de cinturões escandinavos e norte-americanos não vivem muito longe. Trata-se de uma babel de sons e sujeira lançando exclamações estranhas para responder ao barulho das ondas oleosas nos molhes imundos e às ladainhas monstruosas dos apitos do porto. Muito tempo atrás se vivia um quadro mais aprazível, com marinheiros de olhos claros nas ruas mais abaixo e lares de bom gosto e solidez onde as casas maiores acompanham a colina. […] dessa confusão de putrescência material e espiritual, as blasfêmias de uma centena de dialetos investem contra o céu. Quando as hordas de vagabundos vagam sem destino gritando e cantando pelas vielas e ruas movimentadas”.

É real a afirmação e que o escritor norte-americano H. P Lovecraft revolucionou a literatura de horror no início do século XX. Suas tramas, porém, só foram reverenciadas e apreciadas após sua morte e seu legado serviu para criar uma legião de apreciadores do gênero e serviu até para criar um princípio literário próprio: o “Horror Cósmico”, aquele onde o universo conspira sempre contra os interesses e anseios do protagonista. Todavia em sua obra não é difícil de encontrar passagens que apontam para o discurso supremacista, guarnecido de preconceito de raça, étnico e xenófobo. Para avaliar o papel desses discursos discriminatórios na obra de Lovecraft, o historiador Luis Otávio Canevazzi escreveu “Horror de Outro Mundo: Um Ensaio sobre o racismo em H. P. Lovecraft”, lançado pela editora Telha.

O trecho em destaque pertence ao conto “Horror em Red Hook”, publicado em 1927 na revista Weird Tales. O caráter preconceituoso do autor para com o bairro e as pessoas que nele habitam se encontra nessas entrelinhas de maneira indiscreta, mas a mera exposição de passagens repugnantes não é o objetivo desse ensaio. Lovecraft foi um exímio criador de terror atmosférico dentro de seus contos, característica que lhe consagrou dentre outros escritores do gênero em sua época.

O ódio ao externo, ao diferente e ao que não fizesse parte da casta ariana faz-se presente em seu vasto material. A obra do escritor, por sua vez, inspirou escritores de gerações futura, além de diretores de cinema e desenvolvedores de jogos de RPG e videogame. Para se ter uma ideia da importância do escritor para a literatura de horror, Stephen King classificou Lovecraft como “o maior praticante do século XX do conto de horror clássico”.

“Apesar da aversão causada pelas passagens racistas nas entrelinhas de alguns contos, o que mais me deixou desconfortável foi ter conhecimento sobre a vida do autor através de sua biografia. Foi incrível saber que, durante seu período em Nova York, Lovecraft chegou a sofrer por estar entre imigrantes. Pensar que suas obras, possivelmente, trazem à vida o horror vivido pelo próprio autor, não somente em seus sonhos, mas também em seu dia a dia, por ser tão intolerante ao outro, de prontidão me causou uma gama de sentimentos ruins”, relata Luis Otávio sobre sua reação ao avaliar a obra de Lovecraft sob uma perspectiva social.

 

Sobre o autor:

Luis Otávio Canevazzi de Freitas é historiador formado pela Universidade Federal de Uberlândia. Enquanto estudante universitário, tornou-se pesquisador pela Subcomissão Nacional da Verdade, momento em que se dedicou à investigação e rememoração da militância de Ismene Mendes contra a ditadura civil-militar. Se interessou pela ficção científica e pelo terror na adolescência, sendo um ávido apreciador de filmes e games desses gêneros. Em sua monografia, pesquisou a relação existente entre a xenofobia de H. P. Lovecraft e a criação de seu horror atmosférico no conto “Horror em Red Hook”.

Sobre a Editora Telha:

Desenvolvida no Rio de Janeiro, a Editora Telha nasce no fim de 2019 e já alcança, em sua primeira publicação Motel Brasil: uma antropologia contemporânea, de Jérôme Souty, a marca de obra finalista do Prêmio Jabuti 2020.  Interdependente (porque independente ninguém é realmente), a Telha surgiu pelo desejo de editar com maior autonomia e criar mais espaço para textos produzidos por autores fora dos grandes centros.

 

Serviço:

Livro: Horror de outro mundo: um ensaio sobre racismo em H.P. Lovecraft

Autor: Luis Otávio Canevazzi

Editora: Telha

Páginas: 88

Preço: R$ 39,00

Adquira em: https://editoratelha.com.br/product/horror-de-outro-mundo-um-ensaio-sobre-racismo-em-h-p-lovecraft/

 

Continuar Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Boas notícias

Obra traz roteiro com orações e textos bíblicos para rezar a Quaresma de São Miguel Arcanjo

Publicado

em

“Miguel tem a tarefa de apresentar as almas humanas perante Deus; por isso devemos venerá-lo mais do que a outros anjos” (São Francisco de Assis)

Publicada pela PAULUS Editora, a obra “Quaresma de São Miguel Arcanjo 2022” visa auxiliar os fiéis que procuram realizar a Quaresma de São Miguel Arcanjo, que tem se tornado popular no Brasil. Este período forte de oração tem início no dia 15 de agosto, com a Solenidade da Assunção da Bem-Aventurada Virgem Maria, e termina no dia 29 de setembro, data em que a Igreja Católica celebra a Solenidade dos Arcanjos Miguel, Rafael e Gabriel.

São Miguel Arcanjo é, definitivamente, o anjo mais importante do coro celeste. Sua atuação junto aos anjos simboliza o triunfo do bem sobre o mal, presente na história da criação e também na batalha final, conforme narra o livro do Apocalipse (12,7-8). O que sabemos sobre São Miguel, além do que consta nas Sagradas Escrituras, é obtido através da angelologia e por meio de relatos encontrados na história dos santuários erguidos em sua homenagem.

O organizador da obra, Danilo Alves Lima, ssp, ressalta que apesar deste período específico, a Quaresma de São Miguel pode ser rezada em outros períodos do ano, desde que não interfira na vivência dos momentos litúrgicos mais fortes da Igreja. Segundo a obra, a Quaresma de São Miguel pode ser rezada de forma comunitária ou individual. Recomenda-se ter um espaço para a oração, com um altar e uma vela. Porém, mais importante do que o exterior, é aquilo que é vivido no interior da pessoa que se propõe a rezar. “Mais importante é colocar-se na presença de Deus, com o firme propósito de promover o bem e combater o mal, começando pelo esforço de ser uma pessoa melhor”, recomenda o organizador.

Para cada dia da Quaresma, a publicação traz um trecho de um Salmo, uma antífona, um  texto bíblico do Antigo ou Novo Testamento, seguido de uma breve meditação. Além disso, há um roteiro oracional para ser usado no início de cada dia, que inclui a oração inicial, a ladainha e a consagração a São Miguel Arcanjo, encerrando com a bênção final.

Ao final da obra, o leitor ainda encontra a oração do Terço de São Miguel Arcanjo e uma reflexão do Papa Francisco sobre o tema da oração. “Quem quiser rezar deve lembrar-se de que a fé não é fácil, e por vezes procede na quase total obscuridade, sem pontos de referência. Há momentos da vida de fé que são obscuros e, por isso alguns santos os definiram como a ‘noite escura’, pois não se sente nada. Mas eu continuo a rezar”, recorda o Pontífice.

A publicação “Quaresma de São Miguel Arcanjo” está disponível em toda rede de Livrarias PAULUS presente em todo Brasil.
Confira os endereços em nosso site.

Ficha Técnica
Título: Quaresma de São Miguel Arcanjo 2022
Organizador: Danilo Alves Lima, ssp
Acabamento: Brochura
Formato: 13,5 (larg) x 21 (alt)
Páginas: 128
Áreas de interesse: Devocional
Link: https://bit.ly/3AgoUUM

Continuar Lendo

Boas notícias

Ibis Libris lança “Cartas da Irmã”, de Simone Braga, no próximo dia 1º (sexta), na Livraria da Travessa do Shopping Leblon, RJ.

Publicado

em

Por meio de cartas, livro vai ajudar muitas pessoas que sofreram perdas a encontrar conexão na lembrança e na espiritualidade.
 

Dentro da comemoração de seus 22 anos, a Ibis Libris lança um livro muito especial, “Cartas da irmã”, de Simone Braga – um diálogo, por meio de cartas, entre duas irmãs, uma delas levada pelo COVID, que vai ajudar muitas pessoas que sofreram a perda de seus entes queridos durante a pandemia, ou que perderam seus familiares por algum outro motivo, a compreender que os sentimentos e as conexões persistem na lembrança, no coração e na espiritualidade.

As conversas através das cartas  mostram como a esperança, o altruísmo e  o amor podem ser o melhor caminho para lidar com as perdas que nos foram impostas durante a pandemia, o distanciamento temporário e o definitivo, de forma sublime, quase como uma oração. “Cartas da Irmã” será lançado no dia 1º de julho, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon, RJ, a partir das 19h, com a presença da autora.

SOBRE O LIVRO

“O objetivo do livro Cartas da irmã é compartilhar com todos vocês um pouco do momento que vivi com o falecimento de minha irmã Marlise Braga. Ela faleceu de Covid-19, aos 56 anos, em 14 de abril de 2020, no Rio de Janeiro. Tudo aconteceu muito rápido. Na primeira semana da quarentena (em 17 de março de 2020), minha mãe, de 81 anos, ficou doente e, em seguida, minha irmã adoeceu também. As duas foram para o hospital juntas. Minha mãe, hoje com 82 anos, retornou alguns dias depois para casa, mas minha irmã, não. Acabou falecendo e, segundo os médicos, ela teve várias complicações em diversos órgãos por conta da Covid-19.

Mas meu real objetivo com este pequeno livro, Cartas da irmã, é ajudar muitas pessoas que sofreram a perda de seus entes queridos durante a pandemia, ou que perderam seus familiares por algum outro motivo. Aprendi que a melhor conexão que podemos fazer com nossos queridos é a partir de nós mesmos. Assim como conversamos diretamente com Deus em nossas orações, devemos orar e conversar com nossos queridos, que apenas não estão mais conosco fisicamente, mas continuam presentes no plano espiritual.

Cartas da irmã começou a ser escrito em 14 de junho de 2020, quando completaram dois meses do falecimento da minha irmã Marlise. Foi nosso primeiro contato por meio de cartas, logo após um sonho em que nos encontramos em seu despertar da passagem para o plano espiritual. Comecei a escrever e, quando acabei, coloquei assim: “Quer escrever? Escreva!” E, a partir daí, começou nossa troca de mensagens e nossa conexão por meio de cartas.” (Simone Braga)

Livro: Cartas da Irmã

Autora: Simone Braga

 
Editora: Ibis Libris Editora

ISBN 978-65-89331-39-1

360p.

Brochura

14x21cm

SOBRE A AUTORA

Simone Braga é gaúcha, nascida em Santana do Livramento. Foi criada pela mãe e pelos avós maternos na cidade de Piratini, no interior do Rio Grande do Sul. Formada em Comunicação Social com especialização em Jornalismo, na Universidade Católica de Pelotas, RS, é apresentadora e repórter de televisão desde 1989, onde começou a carreira na RBS TV PELOTAS/RS, emissora afiliada à TV Globo. Desde 1992, mora no Rio de Janeiro, onde trabalhou em várias emissoras de televisão, como Record, Canal Futura, TV Manchete, Rede TV, Multishow e Centro de Produção de TV Sesc Departamento Nacional. Durante 13 anos, foi Gerente de Projetos na TV UniverCidade, na Faculdade da Cidade/RJ. Além de realizar trabalhos como freelancer em projetos de empresas públicas e privadas, ministra cursos de técnicas de reportagem e oratória. Participa de ações sociais voltadas para pessoas com deficiência e tem uma grande parceria com a APAE RIO, onde, em 2021, inaugurou uma Sala de Leitura em homenagem à sua irmã Marlise Braga, que faleceu de Covid-19 em 2020. Atualmente, é repórter e apresentadora na Rio TV Câmara, emissora da Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

Instagram:@simonebragatv

E-mail: simonebragatv@gmail.com

WhatsApp: 21-98777-2025

SOBRE IBIS LIBRIS EDITORA

Ibis Libris é uma editora de primeiros livros de prosa e poesia, ficção e não ficção, infantis, juvenis e cultura em geral. Foi fundada em 18 de agosto de 2000 e hoje tem mais de 500 títulos publicados, principalmente de literatura. Sua fundadora, Thereza Christina Rocque da Motta, é poeta, editora e tradutora. Lançou “Joio & Trigo”, seu primeiro livro de poemas, em 1982. Tem 25 livros publicados, entre eles, “Capitu” (2014), “Breve anunciação” (2013) e “As liras de Marília” (2013). É membro do Pen Clube do Brasil e da Academia Brasileira de Poesia. Fundou a Ibis Libris em 2000, e criou o selo Bisbilibisbalabás em 2002. “Sheherazade” é seu primeiro livro de contos. Em 2021, criou o selo Maat somente para autoras. Este ano, comemora os 22 anos da Ibis Libris Editora.

Segundo Thereza Rocque da Motta, “a Ibis Libris foi criada para dar voz aos autores que desejam transformar seus sonhos em livros e, com isso, dividir com eles os seus sonhos, como o meu, de ter o seu livro e, posteriormente, uma editora para transformar sonhos em realidade. Hoje, tenho o orgulho de poder apresentar todo esse empenho de 22 anos para provar que a força da mulher está e sempre estará presente”.

Instagram: @ibislibris @tcrmotta


Thereza Christina Rocque da Motta
Ibis Libris
Editora
Rua Pereira Nunes, 395 cob. 1.701
Vila Isabel
20.541-022 Rio de Janeiro – RJ
Tel.: 21-3546-1007 / 96580-0499

Continuar Lendo

Boas notícias

Autora de distopia nacional estreia na Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Publicado

em

A autora de livros de distopias nacionais, Anne C. Beker, marca sua primeira participação no principal evento literário da América Latina. A sessão de autógrafos da série distópica Subterrâneo será no dia 2 de julho, das 16h30 às 17h30, no Quiosque 3 da Travessa Literária. Em 2021, a escritora paulista lançou o primeiro volume, Ascensão, e agora lança o segundo, Revelação.

No primeiro livro, a civilização foi forçada a viver no subsolo, pois o ar tóxico causado pela poluição tornou a superfície inabitável.  Neste segundo, Caroline retorna à superfície, descobre que a Terra voltou a ser um lugar habitável e que as pessoas que ali chegaram criaram uma comunidade mais acolhedora e tolerante. O desfecho da história só se dará no terceiro livro, Revolução, previsto para 2023.

SERVIÇO
Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Sessão de autógrafos Subterrâneo: Revelação
Quando: sábado, 2 de julho, das 16h30 às 17h30
Onde: Quiosque 3 da Travessa Literária
Localização: Expo Center Norte, Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme, São Paulo/SP
Mais informações e ingressoswww.bienaldolivrosp.com.br

Ficha técnica
Título
: Subterrâneo: Revelação – Livro 2
Autora: Anne C. Beker
ISBN: ‎ 978-6500382648
ASIN: B09WYM24HJ
Formato: 22×14 cm
Páginas: 290
Preço: R$ 9,90 (eBook) R$ 42,30 (físico)
Link de vendahttps://amzn.to/3NhoC3f

Sobre a autora: Anne C. Beker atua como médica endocrinologista pediátrica na capital paulista, cidade onde nasceu. Desde pequena apaixonada por livros e literatura. Iniciou escrevendo poesias e poemas, que não chegaram a ser publicados. Após muitas leituras e alguns cursos de técnica de escrita, decidiu se arriscar com algumas ideias e escreveu o primeiro livro “Revisitando o passado”. Desde então, não parou mais.

Redes Sociais:
Instagram
@bekerannec
Twitter@anne_beker

Continuar Lendo

Destaque