Conecte-se conosco

Fique por dentro

BELA lança “sal e sol” – Disponível nas principais plataformas digitais

Publicado

em

Cantora BELA lança nas redes “sal e sol”, balada poderosa que começa a mostrar o repertório de seu primeiro EP, “ecoar”

Desde o final de 2020, o público brasileiro está conhecendo o talento e as propostas de BELA, uma jovem cantora carioca que, encantada com o folk de grupos como Mumford and Sons e Of Monsters and Men, desenvolve o gênero numa mistura com suas origens brasileiras.

“sal e sol” chega às plataformas digitais aumentando ainda mais a força da compositora e mais uma vez oferecendo a quem escuta um canto seguro, afinadíssimo e muito particular. Mas tratar a nova canção apenas como seu terceiro single seria simplificar as coisas. Porque, na verdade, o lançamento dispara a entrega aos fãs de seu primeiro EP, “ecoar”.

Depois de lançar digitalmente as canções “The Wolf” e “Desandar”, BELA tinha na cabeça um primeiro disco completo, que estava desenvolvendo há quase dois anos, desde que voltou da Inglaterra após uma temporada estudando música na BIMM (The British and Irish Modern Music Institute). Mas foi justamente esse período fora do Brasil que acabou mudando seus planos.

“Essa viagem foi marcante para mim, não só por ter ido estudar música, mas pela experiência de morar fora, que é uma grande chance de você se conhecer. Eu me conheci melhor como Isabela e como BELA, artista. Morar fora me fez olhar muito para as minhas raízes. Acima de tudo, foi uma viagem dentro de mim, que prosseguiu mesmo depois do retorno ao Brasil.”

Foi esse reencontro com o país que disparou novas composições.

“Quando eu voltei de Londres, o álbum ia ser outro. As músicas eram outras. Para mim foi importante esse amadurecimento, passar pela pandemia para entender o que eu queria comunicar como artista.”

“sal e sol” é um convite para o ouvinte acompanhar a evolução da compositora, que poderá ser completamente admirada quando “ecoar” chegar completo ao mercado. A ideia de BELA é lançar antes quatro canções nas redes, todas com videoclipes produzidos, uma de cada vez. “sal e sol” acaba sendo um primeiro passo de transição bem tranquilo, pois ainda tem a batida forte de violão característica do folk, mas já começa a mostrar indícios de novos rumos. Essa mudança vai se escancarar com “banjo com agogô”, que deve ser lançada em fevereiro. “Como sou uma artista nova, é interessante soltar uma canção de cada vez e depois lançar o EP com todas as músicas. Dá para tirar o melhor de cada uma.”

Assim, cada canção poderá ser degustada com atenção pelas pessoas, sem que uma concorra com as outras. As surpresas serão muitas, mas todas as faixas vão conversar entre elas. Haverá conexões claras, devido ao que BELA aponta como sendo pilares básicos de seu trabalho de compor. “São coisas muito latentes dentro de mim, com as quais me identifico muito. Eu dividi as músicas dentro de quatro pilares, que são a natureza, o amor, a poesia e um lado mais místico”, ela explica.

É inevitável que esses temas às vezes se misturem, em letras nem um pouco simples, mas com mensagens positivas, diretas e de extrema beleza. O nome do EP, “ecoar”, dá título a uma das faixas, mas “sal e sol” passou na frente dela porque carrega uma urgência poética que se impôs para ser a primeira canção a chegar ao público.

Para BELA, “a música fala muito sobre a clausura e sobre poder respirar de novo. A pandemia foi um gatilho para escrever essa música, porque realmente eu me senti muito enclausurada em casa. Senti muita falta de poder estar perto da natureza. Quando pude estar, eu senti um poder de cura forte, ao entrar no mar, sentir o sal na minha pele, sentir o sol na minha pele. Foi como se eu pudesse respirar de novo.”

BELA gravou o videoclipe da música em Ilha Grande, no Rio de Janeiro, numa casa flutuante sobre o mar de um azul impressionante. “No meio do nada!”, diverte-se a cantora. Se ela aparece sozinha no clipe, no estúdio ficou muito bem acompanhada.

Antes de começar as sessões, ela registrou com o violonista Leo Rodrigues as guias de cada canção, que mostram como é cada uma numa linha básica de voz e violão. “O Leo é meu parceiro oficial de guias”, conta. Uma vez no estúdio, entra o olhar do produtor. BELA trabalhou com Juliano Cortuah. “Ele tenta tirar o melhor de cada canção, é muito perfeccionista.” Ele gravou os violões, depois foi a vez da bateria de Pedro Mamede. Depois da cantora gravar as vozes principais, Cortuah foi adicionando outros instrumentos, ele mesmo se encarregando de baixo e guitarra, e mais os teclados de Eduard Follmann. “Alguns músicos gravaram de casa”, recorda BELA. “O André Siqueira fez toda a percussão de casa. Foi um processo longo, cinco meses até eu receber a master final. Nas gravações, as músicas foram amadurecendo, e acho que chegaram ao ponto ideal de serem mostradas para o mundo.”

BELA queria muito lançar o disco por um selo. “É um apoio bem bacana”, conta, feliz em ter assinado com o selo paulista Relva Music.

Depois de “sal e sol”, mais três músicas serão lançadas como single. Outras duas vão fazer parte exclusivamente do EP, recheado de canções solares, positivas. “Está na hora de criarmos uma realidade melhor”, afirma a cantora.

Um minidocumentário está sendo registrado desde o primeiro dia de trabalho no estúdio. Com o EP no mercado, o minidoc ficará acessível ao púbico. Assim, a força do canto e dos versos de BELA irá proporcionar um atraente retrato de uma grande artista quando jovem.

Ouça “sal e sol”: https://ingroov.es/salesol

instagram: @isabelazaremba

youtube: youtube.com/belazaremba

tiktok: @belazaremba

telegram: BELA • canal

Continuar Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique por dentro

Com escassez de testes, empresa afirma ter insumos suficientes para exames da Covid-19, na Bahia

Publicado

em

Testes Moleculares garante estoque para realizar exames RT-PCR pelos próximos dois meses e promete dar conta do aumento da demanda dos 25 laboratórios parceiros no estado, entregando resultados em 24 horas

O aumento em 98% na procura pelos testes para detectar a infecção pelo Coronavírus, anunciado pela Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) nesta quarta-feira (12), tem gerado preocupação no país, considerando a elevação das taxas relacionadas com a Pandemia da Covid-19, mas a companhia Testes Moleculares garante que os 25 laboratórios parceiros, na Bahia, terão condições de atender a ampliação desta demanda com um estoque de insumos capaz de realizar exames pelos próximos dois meses.

No início de 2020, a Testes Moleculares realizava 150 testes RT-PCR, em média, diariamente, mas chegou a processar entre 800 e 1.000 exames, por dia, no pico da Pandemia. Levando em conta a atual reserva de material, o investimento em tecnologia e o compromisso com princípios que envolvem segurança e celeridade, a empresa garante que os laboratórios credenciados vão continuar conseguindo entregar os resultados dos pacientes num prazo de até 24 horas.

De acordo com o CEO da companhia, Gabriel Rodrigues, o desabastecimento de insumos fundamentais para os testes é provocado, dentre outras coisas, “pela alta na procura por empresas de todo o mundo e, também, pela demora nos despachos de cargas de importação, por causa da greve dos servidores da Receita Federal”. O empresário afirma que a Testes Moleculares se antecipou à crise e driblou a escassez ampliando o estoque destes materiais.

A nota técnica emitida pela Abramed alerta para uma possível “falta de oferta de exames”, por causa da “alta transmissibilidade da nova variante Ômicron” que “causou aumento exponencial de casos, o que vem demandando significativo aumento da capacidade produtiva global de testes”.

Diante do cenário, a Abramed sugeriu às entidades parceiras que sejam priorizados os atendimentos para “pacientes que tenham maior gravidade de sintomas; pacientes hospitalizados e cirúrgicos; pessoas no grupo de risco; trabalhadores assistenciais da área da saúde; e colaboradores de serviços essenciais”.

A Testes Moleculares – Uma das empresas mais promissoras no mercado de diagnósticos do Brasil, a Testes Moleculares credencia novos laboratórios em todo o país para expandir a atuação.
Concentrada na promoção da saúde com a precisão, agilidade e economia que a vida moderna exige, a companhia se transformou em uma referência na área, destacando-se como o primeiro grupo do setor privado a investir em diagnósticos via DNA/RNA no Brasil.
Já em maio de 2020, três meses após a Pandemia da Covid-19 ser decretada oficialmente no país, a Testes Moleculares já realizava mais de 1.000 amostras por dia, tarefa que acabou sendo expandida para todas as unidades dos cinco estados: Bahia, Brasília, Goiás, Pará e São Paulo.
O caráter inovador da companhia, os investimentos no setor de biologia molecular e health tech em larga escala (quando um grupo se concentra em desenvolver soluções para otimizar processos no setor da saúde) são o lastro para o sucesso da Testes Moleculares até aqui, garantindo rigor no cumprimento de prazos no processamento de amostras enviadas pelos parceiros.
A empresa é especialista na realização de exames para a detecção de arboviroses como a Chikungunya, Dengue e Zika, além de vírus respiratórios como as Influenzas A e B e outros sete.
O controle de qualidade é certificado pela Controllab, a Universidade de São Paulo (USP) e o Lacen, que garantem a taxa de assertividade Padrão Ouro nos resultados dos exames de 99,6%.

Continuar Lendo

Fique por dentro

Sobrado da Cidade lança cardápio para o Bicentenário da Independência do Brasil e conta a história do local

Publicado

em

Com pratos baseados na história do local, o casarão é o novo ponto de gastronomia e turismo do Centro do Rio
 
 

O Sobrado da Cidade, casarão de três andares do século XIX, no coração do Corredor Cultural do Centro do Rio, sob a direção da empresária Carla Esteves, lança novo cardápio para homenagear os 200 anos da Independência do Brasil, preservando a história do local. 

 
O cardápio novo é um manual de História do Brasil. Os petiscos têm o nome das embarcações que por ali passaram, entre 1866 e 1870,  e que tinham suas rotas anunciadas pelo Secos & Molhados que havia no endereço. As entradas foram batizadas com os nomes dos negócios que o casarão abrigou entre 1866 e 1890. Os pratos principais homenageiam moradores ou pessoas que tiveram comércios no local. As sobremesas são de produtos que, em algum momento, foram comercializados no casarão.
 
O prato bicentenário terá como base o frango, pois a canja de galinha era a favorita de Dom Pedro II que, inclusive, colecionava cardápios.  A atual gastronomia introduziu maior variedade de pratos e que fazem parte das origens cariocas do Brasil colonial, como o picadinho, por exemplo, e a banana na sobremesa.

Segundo o professor de gastronomia Sandro Dias, na história bem mais recente, para os cariocas do Brasil colonial, o picadinho surge como um herdeiro dos guisados portugueses.  “Aqui sempre foi prato popular. Nasce nas chamadas casas de pasto e tabernas, que dariam origem aos botequins, por volta de 1816, geralmente frequentadas por funcionários públicos, comerciantes e reinóis, introduzindo o hábito de comer fora de casa, onde as refeições eram coletivas, servidas numa mesa redonda e divididas entre pratos de garfo ou de colher” (fonte Blog Sem Medida).

 
A banana, hoje tão brasileira, tem origem asiática, mas chegou ao Brasil com os portugueses no século XV. Todos os pratos trazem ingredientes que têm uma história, já que o Sobrado da Cidade já foi ponto de diversos comércios durante os séculos.

“Nosso cardápio mudou com o objetivo de prestigiar quem acompanha nosso trabalho e quer caminhar ao nosso lado. Tudo foi feito com o intuito de ter no casarão as raízes brasileiras e o amor pela história”, explica Carla Esteves, sócia do Sobrado da Cidade

 
O restaurante apresenta uma gastronomia que traduz o conceito do local. “Queremos mostrar um pouco do valor que tem nossa história. Creio ser um dever nosso, como cidadãos, preservar e levar a nossa origem aos mais novos. As vezes eu vejo as pessoas circulando pelas ruas, encantadas com as construções. Esse encantamento, na minha opinião, é o sentimento de pertencimento. Somos oriundos daquele espaço. O Brasil tem sua história registrada naquele local”, finaliza.
 

No segundo andar há o espaço Black Princess – a cerveja favorita de D. Pedro II. Como tudo dentro do Sobrado tem história, ela veio para agregar valor ao contexto. Nesse espaço existe uma jukebox que serve para música ambiente e também para alegrar as festas realizadas naquele espaço, que tem varandas e janelas coloniais.

Toda essa história embasada por uma parede de 23m de altura, construída pelos escravizados da época, em pedras e óleo de baleia, e que traduz o conceito do local. Na Rua do Rosário, 34 – Centro, RJ.

Instagram: @sobradodacidade

 

Serviço

Sobrado da Cidade
Rua do Rosário – 34 – Centro – Rio de Janeiro
De segunda a quarta das 11h às 18h
De quinta a sábado das 11h às 20h
Domingo 11h às 17h.
Aceita: cartões de crédito – débito – ticket refeição – pix
Acessibilidade
150 lugares

Continuar Lendo

Fique por dentro

Ano novo, cara nova: vinhos Felitche ganham outra roupagem em celebração pelos dez anos da marca.

Publicado

em

É inevitável: chega o fim de ano e começamos a pensar nas mudanças necessárias para o novo ano. Tudo bem que a maioria dessas mudanças fica apenas nas promessas, mas que uma repaginada sempre vem a calhar, isso também é verdade.

Perto de completar dez anos de existência, e aproveitando a grande demanda de vinhos que existe no final de ano, os vinhos Felitche ganharam “roupagem nova” e as garrafas agora apresentam novos rótulos que realmente expressam a ideia por trás desse chileno de qualidade: vinho para todos os momentos.

“O nome Felitche remete à felicidade e percebemos que nossas garrafas estavam muito sérias, o que nos levou a projetar um logo mais leve e que remete a momentos de alegria e comunhão que o vinho deve proporcionar”, explica Jonas Martins, sommelier e gerente da MMV Importadora.

O Felitche é produzido na Viña Alto Roble, pertence ao grupo Survalles, um dos maiores exportadores de vinhos do Chile, com várias marcas consagradas e de destaque mundial. Os rótulos Felitche são um projeto conjunto da vinícola com a MMV Importadora – pequenas produções e vinhos de alta qualidade que chegam ao cliente com preço justo e imbatível em suas categorias.

Por esta razão, a nova roupagem é um marco importante desses dez anos. Jonas Martins esclarece que o perfil do consumidor de vinhos no Brasil tem mudado muito nos últimos anos, e que aquela imagem de que vinho é algo apenas para momentos formais já não existe mais. “O mercado tem atraído novos consumidores, com um jeito novo de ser consumido, mais casual, porém, sem perder a particularidade do momento”, diz Martins.

Assim, é preciso atingir esse novo público com novos hábitos de consumo, que gosta de beber um vinho em baladas – inclusive algumas já possuem wine bares anexados – ou mesmo bares mais descontraídos.

Uma das garrafas com nova “cara” é o Felitche Pinot Noir. O rótulo mostra três pessoas dançando em um momento de muita diversão. Produzido 100% com uvas Pinot Noir, esse vinho tem aromas de frutas vermelhas, como morango e framboesa, e toque defumado. Em boca é leve, muito redondo, curto e refrescante, ideal para ser degustado entre amigos e em momentos mais descontraídos.

O Sauvignon Blanc, de cor amarelo-palha e aromas muito expressivos de limão e maracujá, muito refrescante em boca e com acidez marcante, tem na nova garrafa duas mulheres dançando. Já o Felitche Syrah, traz dois rapazes dançando que remetem ao caráter vivaz desse vinho. Com olfato de frutas vermelhas maduras, como framboesas combinadas a morangos e cerejas, é também frutado em boca com equilíbrio e maciez, combinando bem a boa acidez, taninos suaves e agradável final em boca.

Para quem gosta de bons vinhos com preços acessíveis, o Felitche é uma excelente pedida. Como ele é produzido em parceria com a MMV, esse é um produto que traz em si todo o conceito da importadora, que preza por vinícolas de pequeno e médio porte, porém, que produzam produtos de extrema qualidade e muito particulares – produtos que certamente trazem todo o conceito de bem-estar em sua concepção.

Continuar Lendo

Destaque