Conecte-se conosco

Fique por dentro

Novembro azul: Por que os homens têm tanta vergonha?

Publicado

em

Jaqueline Chagas, paciente de câncer e fundadora do Instituto “Unidas para Sempre”*

 

Não é de hoje que os homens têm fama de serem relaxados quando o assunto é cuidar da saúde. De acordo com pesquisas, 60% dos homens no Brasil só vão ao médico após sentirem algum sintoma insuportável. A campanha novembro azul é uma oportunidade para conscientizar sobre a importância e necessidade de que se olhe para a saúde do homem. É valido ressaltar que a campanha no início era um alerta sobre o câncer de próstata. Atualmente, desperta atenção à saúde integral dos homens e prevenção dos cânceres de pênis, próstata e boca.

 

O público masculino responde ao câncer de forma totalmente diferente das mulheres. Vejo isso através do Instituto Unidas Para Sempre. Passamos a receber e atender homens, pois, infelizmente, é mais difícil achar grupos de apoio quando o assunto é câncer. Para eles, é mais complicado se abrir, conversar e dividir com os outros sobre o momento que está passando. Não podemos esquecer que muitas vezes o câncer masculino é um tabu. Ainda existe preconceito.

 

Os homens têm mais dificuldade e demoram mais para aceitar o diagnóstico e fazer os exames. A dificuldade deles para se expor pode atrasar um possível diagnóstico. A resistência masculina ainda é muito grande. Além disso, o machismo faz o homem parecer como se nada pudesse acontecer ou como se nunca pudesse ficar doente. Por esse motivo, a família tem papel fundamental e deve ser o apoio para que esse paciente siga com o tratamento. Apesar de parecer mais forte, o homem precisa do mesmo apoio que as mulheres ao descobrir um tumor.

 

Além do câncer de próstata, boca e pênis, vale lembrar que o homem também tem outros tipos de câncer. O câncer de mama é um exemplo. É raro, atinge somente 1%, mas é muito importante que eles também tenham o hábito de se tocar e olhar com carinho para seus corpos.

No caso do câncer de mama, pela falta de toque, a maioria descobre já em estágio avançado. É muito importante que o homem se cuide e busque ajuda médica e apoio em grupos, caso tenham alguma desconfiança. Homens, tenham mais autocuidado e menos vergonha. Afinal, o mais importante é ter saúde e para estar junto de quem se ama.

 

(*) Contabilista, paciente de câncer e fundadora do Instituto Unidas para Sempre, que tem como objetivo dar suporte e apoio ao paciente com câncer e outras patologias.

 

Continuar Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique por dentro

Com escassez de testes, empresa afirma ter insumos suficientes para exames da Covid-19, na Bahia

Publicado

em

Testes Moleculares garante estoque para realizar exames RT-PCR pelos próximos dois meses e promete dar conta do aumento da demanda dos 25 laboratórios parceiros no estado, entregando resultados em 24 horas

O aumento em 98% na procura pelos testes para detectar a infecção pelo Coronavírus, anunciado pela Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) nesta quarta-feira (12), tem gerado preocupação no país, considerando a elevação das taxas relacionadas com a Pandemia da Covid-19, mas a companhia Testes Moleculares garante que os 25 laboratórios parceiros, na Bahia, terão condições de atender a ampliação desta demanda com um estoque de insumos capaz de realizar exames pelos próximos dois meses.

No início de 2020, a Testes Moleculares realizava 150 testes RT-PCR, em média, diariamente, mas chegou a processar entre 800 e 1.000 exames, por dia, no pico da Pandemia. Levando em conta a atual reserva de material, o investimento em tecnologia e o compromisso com princípios que envolvem segurança e celeridade, a empresa garante que os laboratórios credenciados vão continuar conseguindo entregar os resultados dos pacientes num prazo de até 24 horas.

De acordo com o CEO da companhia, Gabriel Rodrigues, o desabastecimento de insumos fundamentais para os testes é provocado, dentre outras coisas, “pela alta na procura por empresas de todo o mundo e, também, pela demora nos despachos de cargas de importação, por causa da greve dos servidores da Receita Federal”. O empresário afirma que a Testes Moleculares se antecipou à crise e driblou a escassez ampliando o estoque destes materiais.

A nota técnica emitida pela Abramed alerta para uma possível “falta de oferta de exames”, por causa da “alta transmissibilidade da nova variante Ômicron” que “causou aumento exponencial de casos, o que vem demandando significativo aumento da capacidade produtiva global de testes”.

Diante do cenário, a Abramed sugeriu às entidades parceiras que sejam priorizados os atendimentos para “pacientes que tenham maior gravidade de sintomas; pacientes hospitalizados e cirúrgicos; pessoas no grupo de risco; trabalhadores assistenciais da área da saúde; e colaboradores de serviços essenciais”.

A Testes Moleculares – Uma das empresas mais promissoras no mercado de diagnósticos do Brasil, a Testes Moleculares credencia novos laboratórios em todo o país para expandir a atuação.
Concentrada na promoção da saúde com a precisão, agilidade e economia que a vida moderna exige, a companhia se transformou em uma referência na área, destacando-se como o primeiro grupo do setor privado a investir em diagnósticos via DNA/RNA no Brasil.
Já em maio de 2020, três meses após a Pandemia da Covid-19 ser decretada oficialmente no país, a Testes Moleculares já realizava mais de 1.000 amostras por dia, tarefa que acabou sendo expandida para todas as unidades dos cinco estados: Bahia, Brasília, Goiás, Pará e São Paulo.
O caráter inovador da companhia, os investimentos no setor de biologia molecular e health tech em larga escala (quando um grupo se concentra em desenvolver soluções para otimizar processos no setor da saúde) são o lastro para o sucesso da Testes Moleculares até aqui, garantindo rigor no cumprimento de prazos no processamento de amostras enviadas pelos parceiros.
A empresa é especialista na realização de exames para a detecção de arboviroses como a Chikungunya, Dengue e Zika, além de vírus respiratórios como as Influenzas A e B e outros sete.
O controle de qualidade é certificado pela Controllab, a Universidade de São Paulo (USP) e o Lacen, que garantem a taxa de assertividade Padrão Ouro nos resultados dos exames de 99,6%.

Continuar Lendo

Fique por dentro

Sobrado da Cidade lança cardápio para o Bicentenário da Independência do Brasil e conta a história do local

Publicado

em

Com pratos baseados na história do local, o casarão é o novo ponto de gastronomia e turismo do Centro do Rio
 
 

O Sobrado da Cidade, casarão de três andares do século XIX, no coração do Corredor Cultural do Centro do Rio, sob a direção da empresária Carla Esteves, lança novo cardápio para homenagear os 200 anos da Independência do Brasil, preservando a história do local. 

 
O cardápio novo é um manual de História do Brasil. Os petiscos têm o nome das embarcações que por ali passaram, entre 1866 e 1870,  e que tinham suas rotas anunciadas pelo Secos & Molhados que havia no endereço. As entradas foram batizadas com os nomes dos negócios que o casarão abrigou entre 1866 e 1890. Os pratos principais homenageiam moradores ou pessoas que tiveram comércios no local. As sobremesas são de produtos que, em algum momento, foram comercializados no casarão.
 
O prato bicentenário terá como base o frango, pois a canja de galinha era a favorita de Dom Pedro II que, inclusive, colecionava cardápios.  A atual gastronomia introduziu maior variedade de pratos e que fazem parte das origens cariocas do Brasil colonial, como o picadinho, por exemplo, e a banana na sobremesa.

Segundo o professor de gastronomia Sandro Dias, na história bem mais recente, para os cariocas do Brasil colonial, o picadinho surge como um herdeiro dos guisados portugueses.  “Aqui sempre foi prato popular. Nasce nas chamadas casas de pasto e tabernas, que dariam origem aos botequins, por volta de 1816, geralmente frequentadas por funcionários públicos, comerciantes e reinóis, introduzindo o hábito de comer fora de casa, onde as refeições eram coletivas, servidas numa mesa redonda e divididas entre pratos de garfo ou de colher” (fonte Blog Sem Medida).

 
A banana, hoje tão brasileira, tem origem asiática, mas chegou ao Brasil com os portugueses no século XV. Todos os pratos trazem ingredientes que têm uma história, já que o Sobrado da Cidade já foi ponto de diversos comércios durante os séculos.

“Nosso cardápio mudou com o objetivo de prestigiar quem acompanha nosso trabalho e quer caminhar ao nosso lado. Tudo foi feito com o intuito de ter no casarão as raízes brasileiras e o amor pela história”, explica Carla Esteves, sócia do Sobrado da Cidade

 
O restaurante apresenta uma gastronomia que traduz o conceito do local. “Queremos mostrar um pouco do valor que tem nossa história. Creio ser um dever nosso, como cidadãos, preservar e levar a nossa origem aos mais novos. As vezes eu vejo as pessoas circulando pelas ruas, encantadas com as construções. Esse encantamento, na minha opinião, é o sentimento de pertencimento. Somos oriundos daquele espaço. O Brasil tem sua história registrada naquele local”, finaliza.
 

No segundo andar há o espaço Black Princess – a cerveja favorita de D. Pedro II. Como tudo dentro do Sobrado tem história, ela veio para agregar valor ao contexto. Nesse espaço existe uma jukebox que serve para música ambiente e também para alegrar as festas realizadas naquele espaço, que tem varandas e janelas coloniais.

Toda essa história embasada por uma parede de 23m de altura, construída pelos escravizados da época, em pedras e óleo de baleia, e que traduz o conceito do local. Na Rua do Rosário, 34 – Centro, RJ.

Instagram: @sobradodacidade

 

Serviço

Sobrado da Cidade
Rua do Rosário – 34 – Centro – Rio de Janeiro
De segunda a quarta das 11h às 18h
De quinta a sábado das 11h às 20h
Domingo 11h às 17h.
Aceita: cartões de crédito – débito – ticket refeição – pix
Acessibilidade
150 lugares

Continuar Lendo

Fique por dentro

Ano novo, cara nova: vinhos Felitche ganham outra roupagem em celebração pelos dez anos da marca.

Publicado

em

É inevitável: chega o fim de ano e começamos a pensar nas mudanças necessárias para o novo ano. Tudo bem que a maioria dessas mudanças fica apenas nas promessas, mas que uma repaginada sempre vem a calhar, isso também é verdade.

Perto de completar dez anos de existência, e aproveitando a grande demanda de vinhos que existe no final de ano, os vinhos Felitche ganharam “roupagem nova” e as garrafas agora apresentam novos rótulos que realmente expressam a ideia por trás desse chileno de qualidade: vinho para todos os momentos.

“O nome Felitche remete à felicidade e percebemos que nossas garrafas estavam muito sérias, o que nos levou a projetar um logo mais leve e que remete a momentos de alegria e comunhão que o vinho deve proporcionar”, explica Jonas Martins, sommelier e gerente da MMV Importadora.

O Felitche é produzido na Viña Alto Roble, pertence ao grupo Survalles, um dos maiores exportadores de vinhos do Chile, com várias marcas consagradas e de destaque mundial. Os rótulos Felitche são um projeto conjunto da vinícola com a MMV Importadora – pequenas produções e vinhos de alta qualidade que chegam ao cliente com preço justo e imbatível em suas categorias.

Por esta razão, a nova roupagem é um marco importante desses dez anos. Jonas Martins esclarece que o perfil do consumidor de vinhos no Brasil tem mudado muito nos últimos anos, e que aquela imagem de que vinho é algo apenas para momentos formais já não existe mais. “O mercado tem atraído novos consumidores, com um jeito novo de ser consumido, mais casual, porém, sem perder a particularidade do momento”, diz Martins.

Assim, é preciso atingir esse novo público com novos hábitos de consumo, que gosta de beber um vinho em baladas – inclusive algumas já possuem wine bares anexados – ou mesmo bares mais descontraídos.

Uma das garrafas com nova “cara” é o Felitche Pinot Noir. O rótulo mostra três pessoas dançando em um momento de muita diversão. Produzido 100% com uvas Pinot Noir, esse vinho tem aromas de frutas vermelhas, como morango e framboesa, e toque defumado. Em boca é leve, muito redondo, curto e refrescante, ideal para ser degustado entre amigos e em momentos mais descontraídos.

O Sauvignon Blanc, de cor amarelo-palha e aromas muito expressivos de limão e maracujá, muito refrescante em boca e com acidez marcante, tem na nova garrafa duas mulheres dançando. Já o Felitche Syrah, traz dois rapazes dançando que remetem ao caráter vivaz desse vinho. Com olfato de frutas vermelhas maduras, como framboesas combinadas a morangos e cerejas, é também frutado em boca com equilíbrio e maciez, combinando bem a boa acidez, taninos suaves e agradável final em boca.

Para quem gosta de bons vinhos com preços acessíveis, o Felitche é uma excelente pedida. Como ele é produzido em parceria com a MMV, esse é um produto que traz em si todo o conceito da importadora, que preza por vinícolas de pequeno e médio porte, porém, que produzam produtos de extrema qualidade e muito particulares – produtos que certamente trazem todo o conceito de bem-estar em sua concepção.

Continuar Lendo

Destaque