Conecte-se conosco

Fique por dentro

Exposição “Amazônia”, de Cristina Jobim, traz a Floresta e os Corais da Amazônia ao Centro Cultural Correios RJ

Publicado

em

Exposição “Amazônia”, de Cristina Jobim, traz a Floresta e os Corais da Amazônia ao Centro Cultural Correios RJ, com curadoria da Tartaglia Arte.

Uma experiência visual e sensorial, com cores, sons, cheiros e luzes exaltando as obras, trazendo protesto e  conscientização em forma de arte.

 A artista plástica Cristina Jobim abre a exposição “Amazônia”, composta por salas sobre a ‘Floresta Amazônica’ e sobre os ‘Corais da Amazônia’, atenta à necessidade da preservação e conscientização desse tesouro natural, onde o observador poderá fazer uma verdadeira viagem visual e sensorial, com sons, cheiros e uma explosão de cores e luzes, que saem das telas e ganham vida, encantando visualmente e provocando as mais diversas emoções.

A  Amazônia é um bioma único no mundo, com 60% de sua extensão no Brasil, com rios, fauna e flora, fontes de água e vida. Recentemente foram descobertos os Corais da Amazônia – na bacia da foz do Rio Amazonas, recifes sobrevivem em grandes profundidades e onde quase não chega luz. A água da região é turva porque o rio carrega com ele pedaços de floresta: restos decompostos de árvores, folhas, terra, animais etc. Cientistas acreditam que nos Corais vivem peixes que nunca foram catalogados pela ciência, e também bactérias, fazendo dos recifes uma possível futura “farmácia submarina”.

Por isso, pessoas do mundo inteiro unem suas vozes para mostrar o quanto a floresta é importante para suas vidas. Proteger a Amazônia é proteger nosso futuro!

A exposição apresentará obras de diversos tamanhos, em acrílico sobre tela, mas que possuem vida própria, com curadoria de Riccardo Tartaglia e Regina Nobrez (Tartaglia Arte), no Centro Cultural Correio RJ, a partir do dia 16 de dezembro. 

O espaço expositivo  ‘Floresta Amazônica’  terá  telas de grandes e médios tamanhos e, no espaço expositivo ‘Corais da Amazônia’, uma parede sobre os corais, com 36 obras de pequenas dimensões , atuando isolada e simultaneamente, de modo a despertar a essencialidade de cada elemento que compõem o universo do bioma amazônico e a contribuição individual de cada um deles para a existência do todo.

De acordo com Cristina Jobim, “a Amazônia é um bioma composto por infinitos elementos orgânicos, cada qual com incontestável importância para a floresta. O despertar de luzes e cores de cada obra se materializa em sua concepção. Os corais, fonte de vida, com seus matizes infinitos, foram ao mesmo tempo fonte de inspiração para a coleção, e um recorte, um catalisador da mensagem do universo da exposição. Verdadeiramente, a grande influência para a minha criação”.

A obra de Cristina Jobim não mostra a influência de outros artistas, porque sua arte e técnica são frutos de pesquisas e experimentações próprias, resultado de sua inquietude em relação às cores e comportamento das mesmas em superfícies e densidades diferentes. Em “Amazônia”, há uma forma de protesto, porque a Arte reflete a vida. “Penso que neste momento em que vivemos, todos temos que destacar a importância da Amazônia, trazendo seus elementos para a luz, para a ótica crítica do espectador, resgatando o que a humanidade tem de mais precioso, que é a vida”, afirma Jobim.

 SOBRE CRISTINA JOBIM

Cristina Jobim nasceu em Salvador, vive no Rio de Janeiro há 25 anos e atua no segmento de Tecnologia da Informação. Começou a pintar aos seis anos de idade. Já pintou cerâmica, bandejas de madeira, utilitários, peças de decoração, que  compõem seu acervo pessoal e o de amigos. Tem no bairro de Copacabana, a praia, o mar, o sol e as flores, a natureza como inspiração. Procura a poesia das cores, as formas que dão o primeiro insight para a criação de uma obra. 

 

De inspiração livre e autodidata, aprimora suas técnicas, experimenta cores e amadurece suas aptidões artísticas a cada novo quadro. Após anos de produção amadora, colecionando elogios, críticas construtivas, resolveu dedicar-se a pintar profissionalmente. Produzir arte, em consonância com o mercado, exigiu da pintora conexão com tendências e comportamento de consumo cultural. Em busca de seu registro artístico pintou algumas séries de quadros, catalogados em fases ou coleções da artista. 

 

Possui obras em 4 países:  Alemanha, Brasil, Itália e Portugal, e alguns prêmios acumulados em sua carreira artística. Atualmente tem a Amazônia brasileira como inspiração principal e forma de conscientização. 

 

A TÉCNICA DE CRISTINA JOBIM

Acrílico sobre tela, bem difundida, uma opção clássica. Em busca de encontrar harmonia, de despistar as sombras, de iluminar os caminhos do olhar abstrato se vê a força da arte presente nos quadros.

As composições de cor conversam, convivendo sem roubar a cena. As cores mais vistas não ofuscam as cores menos presentes ou de potência reduzida. As cores não se sobrepõem intencionalmente e isso revela a personalidade artística do trabalho.

É como num jogo de encantamento, que provoca movimento no quadro, fazendo com que seu observador seja livremente conduzido. A ideia é de que se considere que o mesmo quadro leve a caminhos diferentes, interagindo com o estado de espírito de seu observador. Um padrão de início sem destino previsto, sequer conhecido.

EXPOSIÇÕES REALIZADAS

. Exposição Olhar 2017 – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo

. Exposição Mottainai 2018 – Memorial da América Latina SP

. VIII Salão Internacional de Artes Plásticas SINAP/AIAP 2018 – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo

. Exposição Garden 2018 – Restaurante Garden Ipanema RJ

. Exposição Pigmentando o Mundo 2019 – Museu da Receita Federal / Ministério do Planejamento RJ (individual)

. Exposição Pigmentando o Mundo 2 / 2020 – Museu da Receita Federal RJ (individual)

. Galeria de Artes Sala Djanira (individual)

. CEPERJ Rio de Janeiro (individual)

 

SOBRE A TARTAGLIA ARTE

 

A Tartaglia Arte foi fundada em 1950 como um estúdio de pintura pelo artista Piero Tartaglia, então conhecido como Piery. Após alguns anos, criou um ponto de referência e encontro cultural com outros artistas e jovens talentos onde, sob a orientação do Mestre, desenvolveram seu estilo pessoal. A paixão avassaladora de Tartaglia  pela expressão pictórica com explosões de cor pura e contrastes violentos que tornam a tela viva, deu vida à Escola do Disgregacionismo.  Posteriormente fundou as Galerias, para exposição permanente de seus trabalhos e os de seus alunos, e que hoje são dirigidas pelo filho Riccardo. 

 

O amor pela arte e uma visão cultural ampla são as peculiaridades deste grande artista, e representam sua herança moral e espiritual. Herança que continua sendo representada por Riccardo Tartaglia, que trabalha com a mesma seriedade e tenacidade na propagação da arte, através de exposições e eventos internacionais. Mas tudo com a assinatura de Riccardo Tartaglia e Regina Nobrez (Membro da Academia de Belas Artes do Rio de Janeiro e Embaixatriz Cultural com Honoris Causa, pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina – Honra da Arte de Florianópolis), o que confere um atestado de credibilidade e sensibilidade criativa. 

Site: tartagliaarte.org

 

SERVIÇO

 

Exposição: “AMAZÔNIA”

Artista: CRISTINA JOBIM

Instagram: @cristinajobim.art

Curadoria: Riccardo Tartaglia e Regina Nobrez – Tartaglia Arte

Instagram: @reginanobreztartaglia @tartagliaarte

Local: Centro Cultural Correios RJ (Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, RJ)

Abertura: 16 de dezembro de 2021 às 17h

Visitação: 17 de dezembro de 2021 a 06 de fevereiro de 2022

Dias e horários: terça a sábado, das 12h às 19h

Censura Livre

Acesso Gratuito

Acessibilidade: Sim

Assessoria de Imprensa: Paula Ramagem @_paula_r_soares

Representação comercial: Tartaglia Arte (21) 96588-2653 

Concebido e organizado por Tartaglia Arte – www.tartagliaarte.org

Apoio: Centro Cultural Correios – RJ /  Ministério das Comunicações – Governo Federal

Uso de máscaras e comprovante de vacinação são obrigatórios

Fotos: 1. Pintura “TIO AQUA (isolado por água)”

          2. Convite exposição

          3. Cristina Jobim

 

 

Continuar Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique por dentro

Com escassez de testes, empresa afirma ter insumos suficientes para exames da Covid-19, na Bahia

Publicado

em

Testes Moleculares garante estoque para realizar exames RT-PCR pelos próximos dois meses e promete dar conta do aumento da demanda dos 25 laboratórios parceiros no estado, entregando resultados em 24 horas

O aumento em 98% na procura pelos testes para detectar a infecção pelo Coronavírus, anunciado pela Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) nesta quarta-feira (12), tem gerado preocupação no país, considerando a elevação das taxas relacionadas com a Pandemia da Covid-19, mas a companhia Testes Moleculares garante que os 25 laboratórios parceiros, na Bahia, terão condições de atender a ampliação desta demanda com um estoque de insumos capaz de realizar exames pelos próximos dois meses.

No início de 2020, a Testes Moleculares realizava 150 testes RT-PCR, em média, diariamente, mas chegou a processar entre 800 e 1.000 exames, por dia, no pico da Pandemia. Levando em conta a atual reserva de material, o investimento em tecnologia e o compromisso com princípios que envolvem segurança e celeridade, a empresa garante que os laboratórios credenciados vão continuar conseguindo entregar os resultados dos pacientes num prazo de até 24 horas.

De acordo com o CEO da companhia, Gabriel Rodrigues, o desabastecimento de insumos fundamentais para os testes é provocado, dentre outras coisas, “pela alta na procura por empresas de todo o mundo e, também, pela demora nos despachos de cargas de importação, por causa da greve dos servidores da Receita Federal”. O empresário afirma que a Testes Moleculares se antecipou à crise e driblou a escassez ampliando o estoque destes materiais.

A nota técnica emitida pela Abramed alerta para uma possível “falta de oferta de exames”, por causa da “alta transmissibilidade da nova variante Ômicron” que “causou aumento exponencial de casos, o que vem demandando significativo aumento da capacidade produtiva global de testes”.

Diante do cenário, a Abramed sugeriu às entidades parceiras que sejam priorizados os atendimentos para “pacientes que tenham maior gravidade de sintomas; pacientes hospitalizados e cirúrgicos; pessoas no grupo de risco; trabalhadores assistenciais da área da saúde; e colaboradores de serviços essenciais”.

A Testes Moleculares – Uma das empresas mais promissoras no mercado de diagnósticos do Brasil, a Testes Moleculares credencia novos laboratórios em todo o país para expandir a atuação.
Concentrada na promoção da saúde com a precisão, agilidade e economia que a vida moderna exige, a companhia se transformou em uma referência na área, destacando-se como o primeiro grupo do setor privado a investir em diagnósticos via DNA/RNA no Brasil.
Já em maio de 2020, três meses após a Pandemia da Covid-19 ser decretada oficialmente no país, a Testes Moleculares já realizava mais de 1.000 amostras por dia, tarefa que acabou sendo expandida para todas as unidades dos cinco estados: Bahia, Brasília, Goiás, Pará e São Paulo.
O caráter inovador da companhia, os investimentos no setor de biologia molecular e health tech em larga escala (quando um grupo se concentra em desenvolver soluções para otimizar processos no setor da saúde) são o lastro para o sucesso da Testes Moleculares até aqui, garantindo rigor no cumprimento de prazos no processamento de amostras enviadas pelos parceiros.
A empresa é especialista na realização de exames para a detecção de arboviroses como a Chikungunya, Dengue e Zika, além de vírus respiratórios como as Influenzas A e B e outros sete.
O controle de qualidade é certificado pela Controllab, a Universidade de São Paulo (USP) e o Lacen, que garantem a taxa de assertividade Padrão Ouro nos resultados dos exames de 99,6%.

Continuar Lendo

Fique por dentro

Sobrado da Cidade lança cardápio para o Bicentenário da Independência do Brasil e conta a história do local

Publicado

em

Com pratos baseados na história do local, o casarão é o novo ponto de gastronomia e turismo do Centro do Rio
 
 

O Sobrado da Cidade, casarão de três andares do século XIX, no coração do Corredor Cultural do Centro do Rio, sob a direção da empresária Carla Esteves, lança novo cardápio para homenagear os 200 anos da Independência do Brasil, preservando a história do local. 

 
O cardápio novo é um manual de História do Brasil. Os petiscos têm o nome das embarcações que por ali passaram, entre 1866 e 1870,  e que tinham suas rotas anunciadas pelo Secos & Molhados que havia no endereço. As entradas foram batizadas com os nomes dos negócios que o casarão abrigou entre 1866 e 1890. Os pratos principais homenageiam moradores ou pessoas que tiveram comércios no local. As sobremesas são de produtos que, em algum momento, foram comercializados no casarão.
 
O prato bicentenário terá como base o frango, pois a canja de galinha era a favorita de Dom Pedro II que, inclusive, colecionava cardápios.  A atual gastronomia introduziu maior variedade de pratos e que fazem parte das origens cariocas do Brasil colonial, como o picadinho, por exemplo, e a banana na sobremesa.

Segundo o professor de gastronomia Sandro Dias, na história bem mais recente, para os cariocas do Brasil colonial, o picadinho surge como um herdeiro dos guisados portugueses.  “Aqui sempre foi prato popular. Nasce nas chamadas casas de pasto e tabernas, que dariam origem aos botequins, por volta de 1816, geralmente frequentadas por funcionários públicos, comerciantes e reinóis, introduzindo o hábito de comer fora de casa, onde as refeições eram coletivas, servidas numa mesa redonda e divididas entre pratos de garfo ou de colher” (fonte Blog Sem Medida).

 
A banana, hoje tão brasileira, tem origem asiática, mas chegou ao Brasil com os portugueses no século XV. Todos os pratos trazem ingredientes que têm uma história, já que o Sobrado da Cidade já foi ponto de diversos comércios durante os séculos.

“Nosso cardápio mudou com o objetivo de prestigiar quem acompanha nosso trabalho e quer caminhar ao nosso lado. Tudo foi feito com o intuito de ter no casarão as raízes brasileiras e o amor pela história”, explica Carla Esteves, sócia do Sobrado da Cidade

 
O restaurante apresenta uma gastronomia que traduz o conceito do local. “Queremos mostrar um pouco do valor que tem nossa história. Creio ser um dever nosso, como cidadãos, preservar e levar a nossa origem aos mais novos. As vezes eu vejo as pessoas circulando pelas ruas, encantadas com as construções. Esse encantamento, na minha opinião, é o sentimento de pertencimento. Somos oriundos daquele espaço. O Brasil tem sua história registrada naquele local”, finaliza.
 

No segundo andar há o espaço Black Princess – a cerveja favorita de D. Pedro II. Como tudo dentro do Sobrado tem história, ela veio para agregar valor ao contexto. Nesse espaço existe uma jukebox que serve para música ambiente e também para alegrar as festas realizadas naquele espaço, que tem varandas e janelas coloniais.

Toda essa história embasada por uma parede de 23m de altura, construída pelos escravizados da época, em pedras e óleo de baleia, e que traduz o conceito do local. Na Rua do Rosário, 34 – Centro, RJ.

Instagram: @sobradodacidade

 

Serviço

Sobrado da Cidade
Rua do Rosário – 34 – Centro – Rio de Janeiro
De segunda a quarta das 11h às 18h
De quinta a sábado das 11h às 20h
Domingo 11h às 17h.
Aceita: cartões de crédito – débito – ticket refeição – pix
Acessibilidade
150 lugares

Continuar Lendo

Fique por dentro

Ano novo, cara nova: vinhos Felitche ganham outra roupagem em celebração pelos dez anos da marca.

Publicado

em

É inevitável: chega o fim de ano e começamos a pensar nas mudanças necessárias para o novo ano. Tudo bem que a maioria dessas mudanças fica apenas nas promessas, mas que uma repaginada sempre vem a calhar, isso também é verdade.

Perto de completar dez anos de existência, e aproveitando a grande demanda de vinhos que existe no final de ano, os vinhos Felitche ganharam “roupagem nova” e as garrafas agora apresentam novos rótulos que realmente expressam a ideia por trás desse chileno de qualidade: vinho para todos os momentos.

“O nome Felitche remete à felicidade e percebemos que nossas garrafas estavam muito sérias, o que nos levou a projetar um logo mais leve e que remete a momentos de alegria e comunhão que o vinho deve proporcionar”, explica Jonas Martins, sommelier e gerente da MMV Importadora.

O Felitche é produzido na Viña Alto Roble, pertence ao grupo Survalles, um dos maiores exportadores de vinhos do Chile, com várias marcas consagradas e de destaque mundial. Os rótulos Felitche são um projeto conjunto da vinícola com a MMV Importadora – pequenas produções e vinhos de alta qualidade que chegam ao cliente com preço justo e imbatível em suas categorias.

Por esta razão, a nova roupagem é um marco importante desses dez anos. Jonas Martins esclarece que o perfil do consumidor de vinhos no Brasil tem mudado muito nos últimos anos, e que aquela imagem de que vinho é algo apenas para momentos formais já não existe mais. “O mercado tem atraído novos consumidores, com um jeito novo de ser consumido, mais casual, porém, sem perder a particularidade do momento”, diz Martins.

Assim, é preciso atingir esse novo público com novos hábitos de consumo, que gosta de beber um vinho em baladas – inclusive algumas já possuem wine bares anexados – ou mesmo bares mais descontraídos.

Uma das garrafas com nova “cara” é o Felitche Pinot Noir. O rótulo mostra três pessoas dançando em um momento de muita diversão. Produzido 100% com uvas Pinot Noir, esse vinho tem aromas de frutas vermelhas, como morango e framboesa, e toque defumado. Em boca é leve, muito redondo, curto e refrescante, ideal para ser degustado entre amigos e em momentos mais descontraídos.

O Sauvignon Blanc, de cor amarelo-palha e aromas muito expressivos de limão e maracujá, muito refrescante em boca e com acidez marcante, tem na nova garrafa duas mulheres dançando. Já o Felitche Syrah, traz dois rapazes dançando que remetem ao caráter vivaz desse vinho. Com olfato de frutas vermelhas maduras, como framboesas combinadas a morangos e cerejas, é também frutado em boca com equilíbrio e maciez, combinando bem a boa acidez, taninos suaves e agradável final em boca.

Para quem gosta de bons vinhos com preços acessíveis, o Felitche é uma excelente pedida. Como ele é produzido em parceria com a MMV, esse é um produto que traz em si todo o conceito da importadora, que preza por vinícolas de pequeno e médio porte, porém, que produzam produtos de extrema qualidade e muito particulares – produtos que certamente trazem todo o conceito de bem-estar em sua concepção.

Continuar Lendo

Destaque