Conecte-se conosco

Gente

Novo álbum de Chiara Civello foi produzido por Marc Collin, líder da cultuada banda Nouvelle Vague

Publicado

em

Quem poderia imaginar que Feelings, The Good Life ou My Way foram todas escritas por compositores franceses?

OUÇA “CHANSONS”
https://lab344.lnk.to/chansons

 

A cantora e compositora italiana Chiara Civello, que vive entre Rio e Nova Iorque, e já colaborou com nomes como Burt Bacharach, Chico Buarque, Esperanza Spalding, Ana Carolina e Gilberto Gil, imprime sua marca de ótima intérprete com sofisticação e contemporaneidade pop/jazz nesta coleção de 12 canções clássicas escritas entre 1945 e 1975, todas de compositores franceses. Obras-primas que Frank Sinatra, Julio Inglesias, Elvis Presley, Madonna, Lady Gaga, Luciano Pavarotti, Céline Dion e Caetano Veloso eternizaram na trilha sonora de nossas vidas.

De Michel Legrand a Charles Aznavour, Charles Trénet, Édith Piaf, Jacques Brel ou Gilbert Bécaud e Francis Lai. Nomes conhecidos para os amantes da boa música francesa, mas não necessariamente para o público internacional.

E essa é a grande surpresa de Chansons. Essas belas canções cruzaram fronteiras por mais de 70 anos, sem referência à sua herança francesa. Com esta seleção de clássicos, agora elas vão das sombras para a luz na voz de Chiara Civello.

Pour Toi foi composta em 1956 por Louis Gasté, com letra de Albert Simonin e Marie-Hélène Bourquin. Em 1974 o brasileiro Morris Albert lançou seu grande sucesso, Feelings, que ocupou as paradas musicais em 52 países, e foi indicada ao Grammy e regravada por mais de 300 artistas, incluindo Frank Sinatra, Nina Simone, Elvis Presley, Caetano Veloso. Em 1987, um tribunal americano determinou que a coautoria da música fosse creditada ao francês Louis Gasté.

Nos anos 50 e 60, era comum um artista adicionar uma (ou duas) canções internacionais bem conhecidas (ou não) ao seu repertório, pedindo a um tradutor que fizesse uma adaptação no idioma de seu país de origem. Foi assim que Frank Sinatra e Elvis Presley acabaram cantando canções originalmente escritas em francês. My Way é a adaptação em inglês de Comme d’habitude, composta em 1967 por Claude François e Jacques Revaux.

“Sim. Eu fiz à minha maneira. Cada vez que aprendo uma música nova, aprendo algo sobre mim, sobre o ser humano, cada música é como um primeiro beijo, cada vez é diferente. Mas quanto mais me conheço, mais sei como começar a interpretar uma música: começo do silêncio”, revela Chiara.

Lançada originalmente em 1975 por Aznavour, Hier Encore é sobre a história de um homem que percebe que desperdiçou sua vida correndo atrás de sonhos, esperanças perdidas e amores fúteis. A versão em inglês foi intitulada “Yesterday When I Was Young”.

“Tendo me dedicado a covers e adaptações através do meu trabalho com a Nouvelle Vague, disse a mim mesmo que seria interessante reunir aquelas canções de padrões internacionais que foram originalmente escritas em francês para cantores franceses. Convidei então a cantora de jazz Chiara Civello para interpretar essas canções”, revela Marc Collin. “Para as gravações, reunimos alguns músicos muito bons em um estúdio vintage na cidade de Bari, no sul da Itália. Supervisionei as gravações e arranjos, e então adicionamos alguns teclados e vocais adicionais”, finaliza Marc.

 

 

Crédito: Dirk Vogel

 

INSTAGRAM
https://www.instagram.com/chiaracivello/

FACEBOOK
https://www.facebook.com/chiaracivelloofficial

Continuar Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gente

Sobrado da Cidade lança cardápio para o Bicentenário da Independência do Brasil

Publicado

em

Com pratos baseados na história do local, o casarão é o novo ponto de gastronomia e turismo do Centro do Rio
 
 

O Sobrado da Cidade, casarão de três andares do século XIX, no coração do Corredor Cultural do Centro do Rio, lança novo cardápio para homenagear os 200 anos da Independência do Brasil, preservando a história do local. 

 
O cardápio novo é um manual de História do Brasil. Os petiscos têm o nome das embarcações que por ali passaram, entre 1866 e 1870,  e que tinham suas rotas anunciadas pelo Secos & Molhados que havia no endereço. As entradas foram batizadas com os nomes dos negócios que o casarão abrigou entre 1866 e 1890. Os pratos principais homenageiam moradores ou pessoas que tiveram comércios no local. As sobremesas são de produtos que, em algum momento, foram comercializados no casarão.
 
O prato bicentenário terá como base o frango, pois a canja de galinha era a favorita de Dom Pedro II que, inclusive, colecionava cardápios.  A atual gastronomia introduziu maior variedade de pratos e que fazem parte das origens cariocas do Brasil colonial, como o picadinho, por exemplo, e a banana na sobremesa.

Segundo o professor de gastronomia Sandro Dias, na história bem mais recente, para os cariocas do Brasil colonial, o picadinho surge como um herdeiro dos guisados portugueses.  “Aqui sempre foi prato popular. Nasce nas chamadas casas de pasto e tabernas, que dariam origem aos botequins, por volta de 1816, geralmente frequentadas por funcionários públicos, comerciantes e reinóis, introduzindo o hábito de comer fora de casa, onde as refeições eram coletivas, servidas numa mesa redonda e divididas entre pratos de garfo ou de colher” (fonte Blog Sem Medida).

 
A banana, hoje tão brasileira, tem origem asiática, mas chegou ao Brasil com os portugueses no século XV. Todos os pratos trazem ingredientes que têm uma história, já que o Sobrado da Cidade já foi ponto de diversos comércios durante os séculos.

“Nosso cardápio mudou com o objetivo de prestigiar quem acompanha nosso trabalho e quer caminhar ao nosso lado. Tudo foi feito com o intuito de ter no casarão as raízes brasileiras e o amor pela história”, explica Carla Esteves, sócia do Sobrado da Cidade

 
O restaurante apresenta uma gastronomia que traduz o conceito do local. “Queremos mostrar um pouco do valor que tem nossa história. Creio ser um dever nosso, como cidadãos, preservar e levar a nossa origem aos mais novos. As vezes eu vejo as pessoas circulando pelas ruas, encantadas com as construções. Esse encantamento, na minha opinião, é o sentimento de pertencimento. Somos oriundos daquele espaço. O Brasil tem sua história registrada naquele local”, finaliza.
 

No segundo andar há o espaço Black Princess – a cerveja favorita de D. Pedro II. Como tudo dentro do Sobrado tem história, ela veio para agregar valor ao contexto. Nesse espaço existe uma jukebox que serve para música ambiente e também para alegrar as festas realizadas naquele espaço, que tem varandas e janelas coloniais.

Toda essa história embasada por uma parede de 23m de altura, construída pelos escravizados da época, em pedras e óleo de baleia, e que traduz o conceito do local. Na Rua do Rosário, 34 – Centro, RJ.

Instagram: @sobradodacidade

 

Serviço

Sobrado da Cidade
Rua do Rosário – 34 – Centro – Rio de Janeiro
De segunda a quarta das 11h às 18h
De quinta a sábado das 11h às 20h
Domingo 11h às 17h.
Aceita: cartões de crédito – débito – ticket refeição – pix
Acessibilidade
150 lugares

Continuar Lendo

Gente

Melinda Garcia estende exposição Imortal: Arte, Alma e Futuro para homenagear o Centenário da Semana de Arte Moderna de 1922.

Publicado

em

Pinturas abstratas e esculturas que  tratam da imortalidade da arte podem ser visitadas até o dia 05 de fevereiro do Centro Cultural Correios RJ.
 
 
 
artista plástica Melinda Garcia estende a exposição “Imortal: Arte, Alma e Futuro” até o dia 05 de fevereiro para homenagear o Centenário da Semana de Arte Moderna de 1922 que, assim como Melinda, trouxe modernas tendências das artes plásticas, com formas que chocaram os apreciadores de uma arte mais comportada. Era um novo momento de vanguarda que se iniciava e que influenciou diversos artistas ao longo do século, em todas as artes. 
 
Com curadoria de Riccardo Tartaglia e Regina Nobrez, no Centro Cultural Correios RJ, a exposição apresenta 45 peças, entre pinturas e esculturas, abstratas, de diversas épocas, mostrando a imortalidade da alma e da arte, em uma profusão de cores e materiais, que encantam o observador, fazendo-o participar dessa transcendência que a artista quer passar. 
A artista também apresenta um outro lado criativo, através do livro ‘Holomovimento: Espelho D’Alma’, escrito para mostrar a importância do movimento transcendente do profano ao sagrado, motivo pelo qual tem duas capas: Surrealismo e Misticismo, para que o leitor possa optar por onde começa sua viagem.

“O que caracteriza, pois, o artista é nem tanto estar inscrito numa realidade social, sendo este o destino comum de todos, artistas ou não, quanto saber e poder extrair dela alguma coisa que se encontre nela em seu estado latente, não prevista ou, em todo caso, não vista pelos outros, e que faça acessar uma realidade e seu conhecimento com sua ação. Nesse sentido, a obra de Melinda Garcia parece bem exemplar da “alma do futuro”, que é o tema desta exposição.” (Bruno Péquignot, Professor Emérito de Sociologia: Nova Sorbonne – Paris 3)

É em seu atelier no Cassino Atlântico – Espaço de Arte Melinda Garcia – que traz à vida as obras que estão expostas na Exposição “Imortal: Arte, Alma e Futuro”. Arte é Imortal porque sua essência nasce na Alma, que é eterna, e o Futuro chega quando essa essência se mistura entre as sensações do artista e do público. Como a Semana de 22, Melinda Garcia está sempre à frente de seu tempo e suas obras serão sempre modernas e imortais.
Sobre Melinda Garcia
 
Melinda Garcia  é uma artista plástica carioca , escultora e escritora brasileira. Suas contribuições artísticas mais relevantes podem ser apreciadas publicamente no Brasil, nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo. As formas angulares e posteriormente as séries temáticas são marcas de sua percepção com forte influência da arte conceitual, trazendo também abstrações que dialogam com a estética e função holística do objeto artístico.

No período de transição da arte brasileira, que corresponde à produção neoconcretista do início dos anos 60, sofreu grande influência em sua produção e fez com que, mais tarde, valorizasse a harmonia das formas rítmicas, com movimento, os vazios e linhas curvas características de sua produção.

Um de seus trabalhos mais conhecidos ‘Velocidade, Alma e Emoção’ é um monumento em homenagem a Ayrton Senna, situado na cidade de São Paulo, no interior do Parque do Ibirapuera. Também a ‘Gabriela”, personagem de Jorge Amado, na entrada de um prédio na praia do Leblon, RJ.

Em 2017, ganhou o prêmio na categoria Escultura, concedido pela XI Bienal de Arte Contemporânea de Florença (Art Florence Biennale). O convite surgiu logo após o sucesso da exposição ‘Holomovimento – Fragmentos do Todo’,  realizada um ano antes no Cassino Atlântico (Copacabana, RJ), em parceria com o fotógrafo Bruno Barreto (Nuno).

Sobre a Tartaglia Arte
 
A Tartaglia Arte foi fundada em 1950 como um estúdio de pintura pelo artista Piero Tartaglia, então conhecido como Piery. Após alguns anos, criou um ponto de referência e encontro cultural com outros artistas e jovens talentos onde, sob a orientação do Mestre, desenvolveram seu estilo pessoal. A paixão avassaladora de Tartaglia  pela expressão pictórica com explosões de cor pura e contrastes violentos que tornam a tela viva, deu vida à Escola do Disgregacionismo.  Posteriormente fundou as Galerias, para exposição permanente de seus trabalhos e os de seus alunos, e que hoje são dirigidas pelo filho Riccardo. 
 
O amor pela arte e uma visão cultural ampla são as peculiaridades deste grande artista, e representam sua herança moral e espiritual. Herança que continua sendo representada por Riccardo Tartaglia, que trabalha com a mesma seriedade e tenacidade na propagação da arte, através de exposições e eventos internacionais. Mas tudo com a assinatura de Riccardo Tartaglia e Regina Nobrez (Membro da Academia de Belas Artes do Rio de Janeiro e Embaixatriz Cultural com Honoris Causa, pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina – Honra da Arte de Florianópolis), o que confere um atestado de credibilidade e sensibilidade criativa. 
 
Serviço
 
Exposição: “IMORTAL: ARTE, ALMA E FUTURO”
Artista: MELINDA GARCIA 
Instagram: @melinda_garcia_escultora
Curadoria: Riccardo Tartaglia e Regina Nobrez – Tartaglia Arte
Instagram: @reginanobreztartaglia @tartagliaarte
Local: Centro Cultural Correios RJ (Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, RJ)
Abertura: 21 de outubro de 2021 às 17h
Visitação: 22 de outubro a 05 de fevereiro de 2022
Dias e horários: terça a sábado, das 12h às 19h
Censura Livre
Acesso Gratuito
Acessibilidade: Sim
Assessoria de Imprensa: Paula Ramagem @_paula_r_soares
Representação comercial
Riccardo Tartaglia (21) 96588-2653 (telefone e whatsapp)
Regina Nobrez (48) 98463-5707 (whatsapp)
Concebido e organizado por Tartaglia Arte – www.tartagliaarte.org
Apoio: Centro Cultural Correios – RJ / Círculo Ítalo Brasileiro – SC / Consolato Onorario Italiano – Florianópolis/SC / Ministério das Comunicações – Governo Federal
 
👉 Fotos Marcelo Wance
01. Abstração em Vermelho
02. Refração da Luz
03. Noosfera (escultura) e Pulsão Interior (parede)

Continuar Lendo

Gente

Marina Brum e Rute Rocha são as estrelas do Especial 2021

Publicado

em

Marina Brum e Rute Rocha são as estrelas do Especial 2021 Bella da Semana!

Acesse www.belladasemana.com.br

Finalmente chegou o momento mais aguardado do ano para os fãs do Bella da Semana. Marina Brum e Rute Rocha se encontram para comemorar a chegada de 2022 da maneira mais gostosa possível no ensaio especial de fim de ano.

Após a divulgação dos ensaios solos das Bellas, nesta semana a maior revista masculina do Brasil divulga a primeira parte das fotos com as duas modelos. Confira no www.belladasemana.com.br

 

Continuar Lendo

Destaque