Conecte-se conosco

Cultura

“Mindset, novo normal empreendedor” aborda desafios atuais do mundo dos negócios

Publicado

em

Livro de coautoria de Carla Béck, psicóloga e consultora em Desenvolvimento Humano e Organizacional

Cuidar da saúde mental é sempre importante, ainda mais após vivenciar tempos pandêmicos. No setor empresarial, para conseguir manter esse controle, é preciso primeiro reconhecer a importância de ambientes com segurança psicológica que permitam testes, novas experiências, erros e evoluções. É com base nesta reflexão que Carla Béck, fundadora da Infinita Engenharia do Potencial Humano, lança na próxima sexta-feira, dia 17/12, o livro “Mindset, novo normal empreendedor”, no qual é coautora e responsável pelo capítulo “Errar é preciso”. Também coescrito por especialistas em psicologia e carreira, o livro que já está à venda, será lançado no dia 17 de dezembro, às 20h, com transmissão direta pelo canal do YouTube da Literare Books.

Carla Béck, coautora do livro “Mindset, novo normal empreendedor”: Errar é preciso – Créditos: Divulgação

Carla Béck é psicóloga e consultora em Desenvolvimento Humano e Organizacional e também coautora do livro “Estratégias empresariais para pequenas e médias empresas”. Nestes últimos 10 anos à frente da Infinita Engenharia do Potencial Humano, em Campinas (SP), Carla reúne experiência atendendo às empresas de médio e grande portes bem como líderes em busca de aprimoramento de equipes. A psicóloga é uma das primeiras especialistas no Brasil a difundir o conceito “Agilidade Emocional”, que tem se tornado tema central de discussões do presente e importante habilidade para o futuro.

Com mais de 30 anos de experiência como psicóloga e consultora em Desenvolvimento Humano e Organizacional, Carla Béck decidiu escrever o capítulo “Errar é preciso” para poder compartilhar algumas percepções e aprendizados em relação ao fato de que o erro faz parte de nosso aprendizado. “Aprendemos e evoluímos através das nossas experiências. Se pudermos dar mais atenção e confiança na evolução a partir do erro, conseguimos assimilar e acomodar os novos aprendizados”, afirma.

Continuar Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cultura

Anna Persia Bastos, designer de espaços e casas saudáveis

Publicado

em

EDITORIA ARTES/ CULTURA/ DESIGN/ ARQUITETURA/ SUSTENTABILIDADE
Anna Persia Bastos, designer de espaços e casas saudáveis, abre a exposição “REUTILIZAR PARA CRIAR ARTE SUSTENTANDO O PLANETA”, com peças que valorizam a reutilização de vergalhões e sobras das obras
Mostra ocupa o Gabinete do Espaço BB, com curadoria de Marcia Marschhausen e parceria de artistas plásticos, combinando sustentabilidade, saudabilidade, design e arte.
 
 
 
 

Anna Persia Bastos, designer de interiores conhecida por seus projetos de casas/espaços saudáveis e inclusivos, abre a exposição  “REUTILIZAR PARA CRIAR SUSTENTANDO O 🌎 ”  – ( REUTILIZAR PARA CRIAR ARTE SUSTENTANDO O PLANETA), no Gabinete do Espaço BB, no Shopping Cassino Atlântico, com curadoria da arquiteta Marcia Marschhausen, onde apresenta peças que misturam o vergalhão e a arte, criados pela Designer, em parceria com artistas plásticos convidados, utilizando materiais retirados de sobras das obras, com o objetivo de transformar o que seria descarte, em mobiliário e peças sustentáveis, sempre presentes em seus trabalhos.


 
A mostra, que ocorre entre 09 de junho e 09 de julho de 2022, traz o vergalhão como material principal e a parceria de artistas plásticos, mostrando que arte, design, saudabilidade e sustentabilidade caminham juntos e podem ser transformadores. “O Brasil é o terceiro maior produtor de ferro do mundo. O ferro é um material que pode ser ressignificado em toda a sua vida, imprimindo a passagem do tempo. Trabalho com ele sempre enferrujado, num processo natural, transformando o que poderia ser lixo em soluções de espaço ou objetos de decoração”, explica Anna Persia Bastos. 
 
 
Entre as peças expostas, o visitante encontrará:
. Painéis de tela com aros de vergalhão, para o teto, saindo do lugar comum – o quadro sai da parede e ocupa o teto.
. Painéis em vergalhão, com pedaçõs de reuso
. Vitrine com paineis de espelho e vergalhão, com intervenções em vidro, em parceria com artista plástica.
. Banco shoho, todo em vergalhão
. Textura com casca de mexilhão retirado da Bahia de Guanabara
. Mesinhas laterais de vergalhão/mesa de vergalhão com tampo de cimento e isopor/ mesinha de chapa de ferro ressignificada com tampo de resina
. Cuba de banheiro de pé, customizada em parceria com uma artista plástica  (reuso de obra – do lixo ao uso)
. Fotos de projetos, onde os vergalhões são utilizados para mostrar o conceito de espaço aberto, sem ser excludente, possibilitando a entrada de luz natural e ventilação.
 
 
 

SOBRE O VERGALHÃO COMO MATÉRIA-PRIMA



“O descarte consciente não é uma coisa muito simples aqui no Brasil. Temos muita dificuldade de achar parceiros que estão realmente interessados em levar esta proposta adiante. Na verdade, temos uma obrigação em dar um destino aos materiais que são gerados na obra. Entulho, ferro, vasilhames de tintas, verniz e tantos outros. O que acontece é que não temos um local para destinar este material. Tento, sempre que possível, criar oportunidades, para que as coisas não parem no lixo. Então, todos os materiais retirados da obra, busco doar para pessoas que precisam ou têm interesse. Os ferros, faço campanha para que outros profissionais me doem, já que é o principal material que utilizo em meus projetos. Uso técnicas para gerar menos resíduos numa obra. E assim, vou dando minha contribuição ao mundo”, afirma a designer.
 

SOBRE SUSTENTABILIDADE
 
 
Em relação à sustentabilidade, também está relacionado ao respeito á todas as coisas. Não podemos pensar que não somos responsáveis por um mundo melhor, uma vida mais salutar.  Acredito que não temos saída a não ser buscar um mundo mais sustentável. Sustentável no sentido do não desperdício, de não acabar com as fontes naturais que nos foram dadas e estamos exterminando com tudo, de não aceitação ao trabalho escravo e por aí vai. Em todos os meus projetos sempre busco materiais com baixo impacto, que não agridem o meio ambiente, formas de não gerar tanto lixo, de poluir menos o meio ambiente, de reaproveitar o que o cliente tem, repaginando e dando outro valor a peças e mobiliários. É um olhar amoroso pelo que temos e o medo de perder esta riqueza.
 
 
SOBRE ANNA PERSIA BASTOS

Psicóloga de formação (UNESA), sempre teve o olhar voltado para a importância do espaço na constituição do sujeito. Iniciou estudo para Personal Organizer e daí passou para o Design de Interiores. –  Instituto Marangoni Milano – Escola de Design em Design de Interiores para Profissionais . Especialização em Design de Interiores: ambientação e produção de espaço – IPOG . Mestre em Diversidade e Inclusão em conforto ambiental em espaços de inclusão – UFF . Técnico em Design de Interiores – IBDI . Design de Espaços- metodologia MADEIN – Instituto Europeu de Design. Também cursou Neuro Design, Design Biofílico  e Vegan Design. Para  2022, prepara o lançamento do livro “Conforto Ambiental e Educação”.

Anna Persia Bastos é designer de espaços, e toca o studio Persia Interiores,  sendo o seu maior prazer  projetar espaços que façam a diferença para as pessoas, acreditando que os ambientes que nos cercam nos influenciam a todo o tempo. Então, por que não criar espaços que beneficiem a vida, que sejam sustentáveis, inclusivos e que respeitem a diversidade? Este é o seu propósito, transformar a vida das pessoas, levando saúde e melhor qualidade de vida aos moradores. Propósito que levou o studio Persia Interiores ao Archathon Sudeste 2022 , além de ser uma das referências na área.

 

Prêmios de Sustentabilidade

O GLOBO – Mostra Casa Design 2013
O GLOBO – Mostra Casa Design 2014
Mostra Morar Mais por Menos Rio 2019

Vencedora do 1º concurso cultural Archaclub_NFD, 2021
Participou da Bienal de Arquitetura de Veneza de 2021, com o projeto Caminho Sensitivo

Prêmios Empresas

Prêmio Gran Awards de Excelência de Qualidade 2014 e Empresa do Ano em Qualidade
Prêmio Excelência Empresarial 2014
Prêmio Quality- Excelência em Qualidade 2014
Prêmio Excelência e Qualidade Brasil 2014

Pacto com a natureza

“A essência dos meus projetos está na busca pela sustentabilidade, sempre com o menor impacto ao meio ambiente, através da reutilização e renovação de materiais e mobiliários de forma criativa”.


 
 
Anna Persia Bastos / studio Persia Interiores
Instagram:  @persiainteriores
Contato (21) 99660-5571
 
 
 
 
SOBRE O ESPAÇO BB 
 
O Espaço BB tem como objetivo produzir  conhecimento e aproximar seu público da criação.
Além de esposições individuais e coletivas, promove encontros com curadores, críticos, colecionadores e artistas convidados. Realiza, também, exposições bimestrais sob a curadoria da arquiteta Marcia Marschhausen.
Instagram: @espacobbartesvisuais
 
 
SERVIÇO
 
Exposição: “REUTILIZAR PARA CRIAR SUSTENTANDO O 🌎 ”  – ( REUTILIZAR PARA CRIAR ARTE SUSTENTANDO O PLANETA)
Expositora: Anna Persia Bastos
Local: Espaço BB – Gabinete
Endereço: Av. Atlântica, 4.240 – loja 311 – Posto 6/Copacabana
Shopping Cassino Atlântico
Entre o mar e a arte
Dias e horários: de terça a sábado, das 14h às 19h
Assessoria de Imprensa: Paula Ramagem
Evento gratuito
Classificação livre
Acessibilidade e estacionamento no local.
Fotos:
01. Anna Persia Bastos e Claudio Martins – mesa de vergalhão com tampo de cimento e isopor
02. Anna Persia Bastos e Vânia Meirelles – pintura em tela com restos da obra – nas peças foram usados resíduos: massa acrílica, pregos, areia, tinta de parede.
03. Mesinha com pés em vergalhões
04/05/06. Foto projeto de hamburgueria (ferro e pedra, materiais principais. Referência à técnica do Gabiao, utilizada nas encostas, impossibilitando os deslizamentos).
07. Anna Persia e Sergio Gabriel de Souza – mesinha de chapa de ferro ressignificada com tampo de resina
08. Anna Persia Bastos – reuso de materiais
09/10. Anna Persia Bastos

Continuar Lendo

Cultura

Teatro móvel, em parceria com a ISA CTEEP, percorre municípios do Estado de São Paulo com apresentações gratuitas

Publicado

em

  • Com diversas atrações artísticas, que já alcançaram mais de 40 mil pessoas neste ano, o Emcena Brasil vai rodar o Estado até a primeira semana de junho
  • Osasco será o próximo município a receber o espetáculo gratuito, entre os dias 14 e 15 de maio

 

São Paulo, 12 de maio de 2022 – Iniciadas durante a pandemia, as apresentações gratuitas realizadas pela Companhia Abareteatro, em parceria com a ISA CTEEP, uma das principais transmissoras de energia do País, têm levado alegria e entretenimento a milhares de pessoas de todas as idades do Estado de São Paulo. Desde o início da temporada, em fevereiro, o circuito cultural impactou mais de 40 mil crianças, adolescentes e adultos, além de beneficiar artistas locais de cada uma das cidades visitadas, com um espaço para apresentação na grade de atividades do Emcena.

Nesta semana, Osasco, na Grande São Paulo, vai receber o espetáculo, nos dias 14 e 15 de maio, das 16h às 21h, com entrada gratuita, na Praça Santa Rita (Fábrica de Cultura). Nos próximos finais de semana do mês, a atração segue para  Bauru e Arthur Nogueira.

Até agora, o projeto já visitou São Miguel Paulista, Mogi Guaçu, Mogi das Cruzes, Mirassol, Jandira, Itapecerica da Serra, Cubatão, Cesário Lange, Boituva, Amparo e Limeira. Até junho, vai passar por mais quatro cidades.

Ainda em meio à pandemia de covid-19, o projeto, que transformou um contêiner adaptado em palco, começou a rodar São Paulo, para entreter tanto o público infantil quanto adulto. Com dois dias de lazer, imersão na cultura popular e valorização dos artistas nacionais, a equipe de 30 artistas e técnicos traz de volta o sorriso para o rosto das famílias, por meio de apresentações de teatro, sessões de cinema, atividades recreativas, espetáculos de circo e de mamulengos, típicos fantoches do Nordeste.

“Incentivar projetos que fomentam o acesso à cultura, com grande potencial de alcance de crianças e jovens cidadãos, como o Emcena Brasil, é reforçar nosso senso de liderança transformadora, além de afirmar nosso compromisso com o desenvolvimento socioeconômico das regiões onde atuamos e, assim, contribuir com a agenda de ESG”, afirma Ana Carolina David, gerente de comunicação e sustentabilidade da ISA CTEEP.

Nos últimos dois anos, a ISA CTEEP realizou investimentos sociais e doações que totalizaram R$ 21 milhões. Hoje a companhia tem 21 projetos sociais em andamento, em diversos Estados, a fim de promover a prática do esporte, o acesso à cultura e a formação cidadã de professores e estudantes.

Confira a programação completa:

 

Serviço

Emcena Brasil – Um show de cultura pertinho de você

Osasco

Data: 14 e 15 de maio de 2022

Local: Praça Santa Rita (Fábrica de Cultura)

Horário: das 16h às 21h

Entrada: gratuita

Classificação: livre.

 

Sobre a ISA CTEEP

Com uma equipe de mais de 1.400 colaboradores, a ISA CTEEP está presente em 17 Estados, operando uma complexa rede de transmissão por onde trafegam 30% de toda a energia elétrica transmitida no Brasil e 92% no Estado de São Paulo. Seu sistema elétrico é composto por aproximadamente 21 mil km de redes de linhas de transmissão e 137 subestações (ativos em operação e em construção) com tensão de até 550 kV. Seu principal acionista é o Grupo Multilatino ISA, que detém 35,82% do capital total.

 

Continuar Lendo

Cultura

Du Flausino abre a exposição “…no silêncio das flores”, primeira individual no Centro Cultural Correios RJ

Publicado

em

Du Flausino abre a exposição “…no silêncio das flores”, primeira individual no Rio de Janeiro, com 40 trabalhos de diferentes mídias sobre a simbologia das flores na cultura contemporânea.
A mostra, que acontece no Centro Cultural Correios RJ,  traz uma reflexão sobre o vazio existencial e utiliza as flores como metáfora para investigar as relações afetivas , com curadoria e produção cultural de Cota Azevedo

artista plástica mineira Du Flausino abre a exposição individual  “…no silêncio das flores” , no Centro Cultural Correios RJ, com curadoria e produção cultural de Cota Azevedo, onde apresenta cerca de 40 trabalhos de diferentes mídias – pinturas (óleo e acrílica), fotografias, bordados, vídeo-performance e trabalhos instalativos, distribuídos em duas salas, entre os dias 26 de maio e 9 de julho de 2022, trazendo, como temática central, a simbologia das flores na cultura contemporânea, como ícones, usados como metáforas que preenchem as lacunas deixadas pelo tempo, pela distância, pelas perdas, pelas relações afetivas. 

As obras apresentadas nesta exposição trazem, em suas poéticas, dualidades como morte e vida, exageros e delicadezas. São trabalhos que revelam os antagonismos das linguagens do humano nas relações, nos valores e nas atitudes em seu cotidiano. As flores são metáforas encontradas por Du Flausino para debater as conexões afetivas em seu tempo. “O que as flores dizem a respeito de nós? Por que estamos sempre recorrendo às flores para decorar e perfumar nosso dia a dia? Faço uma reflexão sobre as delicadezas que existem em torno da utilização deste símbolo no cotidiano, como elas nos proporcionam sentido a um estado psíquico”, explica Du Flausino. 
 
 
 A exposição “…no silêncio das flores” reflete sobre o humano e as suas questões, na relação com o meio, na sua representação social, seus desejos, afetos e sentimentos. Em muitas situações, a flor tem o papel de dar significância às existências, a citar: a casa decorada com flores para que ela se torne agradável e aconchegante; flores oferecidas como presente para declarar amor e amizade, aos que nascem como boas vindas, aos que morrem como despedida.

 

Desde 2010, Du Flausino, expõem trabalhos com o foco na poética floral, e apresenta, agora, a sua primeira individual no Rio de Janeiro, do conjunto dos seus  estudos e práticas, em séries. Em “Flores de plástico”, o olhar cria um viés que projeta perdas e objetifica sentimentos. Em a “Casa de Fernanda”, as relações afetivas perpassam pelas vivências e valores. A casa é como a possibilidade de encontros e afetos transcritos pelas imagens e flores.
 
 
Sobre a exposição
 
. “Flores de plástico desbotam” (série de pinturas e vídeo performance) – a flor artificial faz alusão às perdas, à vaidade e à morte.
. “Casa de Fernanda” (bordado e fotografias) – local de encontros, afetos, amor, sonhos, miudezas e delicadezas.
. “Sobre o gelo” (fotografia) – imagens de locais públicos (in)ocupados.
. “Sudário” (bordado e trabalhos instalativos) – quando se preenche a vida com o kitsch.
 
 
Sobre Du Flausino
 
Du Flausino nasceu na cidade de Dom Cavati, Minas Gerais, e reside atualmente em Belo Horizonte. Artista plástica, bacharelada em pintura e fotografia, pela Escola Guignard, MG, atua também como professora de pintura e arteterapeuta. Em seu currículo consta a exposição individual “#floresdeplasticodesbotam”, Galeria da Assembleia Cultural do Estado de Minas Gerais, via edital, em 2019. Fotografias da série “A pele que habito”, Galeria ‘Estação das Artes’ do Museu Cabo Branco de João Pessoa, Paraíba, em 2019. Participou de várias coletivas pelo Brasil. A artista utiliza várias técnicas em seus trabalhos, como pintura sobre tela, costura em tecidos, fotografia, performances, instalação e vídeo. Sua linguagem permeia a estética da arte barroca, com suas dualidades – morte/vida, brutalidade/delicadeza, pureza/sedução, originalidade/imitação, entre outros.
 
 
Trecho do texto curatorial  ‘O Antropomorfismo da natureza-morta’, de Cota Azevedo
 
“As inscrições de uma pessoa no mundo sempre se valem de mitologias individuais que navegam por territórios da imagem e da palavra. E o artista parece carregar para si a tarefa de evocar estas percepções humanas, particulares e coletivas, das encenações da vida, das alegrias e das dores, como um modo de atravessamento simbólico do existir. Na exposição “No silêncio das flores”, há uma enunciação, ainda no ‘tempo’ contemporâneo, à temática natureza-morta -, por denominação se trataria das representações de objetos estáticos como flores, fruto e utensílios comuns do cotidiano, nas obras artísticas. Para além desta terminologia exata, a mineira Du Flausino aponta para o deslocamento das significâncias concretas dos motivos florais a um outro lugar, o do antropomorfismo, que atribui para as formas e/ou aos seres irracionais, as condições humanas.” 
 
(‘O antropomorfismo da natureza-morta’, de Cota Azevedo, curadora, jornalista crítica e artista multidisciplinar).
 
Sobre Cota Azevedo
 
Cota Azevedo é curadora independente, jornalista crítica e artista multidisciplinar. Com formação de pós-graduação em Curadoria, Museologia e Gestão de produção; e em  História da Arte; pela Universidade Estácio de Sá; além de pós em Psicanálise e a Psicologia; pela Faculdade Metropolitana. Entre os anos de 2021 e 2022 atuou com cerca de dez curadorias, idivididuais e coletivas. Como Comunicadora, Cota se formou em Jornalismo, no ano de 2009, no Centro Universitário Newton Paiva e desde então produzir textos críticos para difentes mídias.  No que tange a sua produção artística cita-se as suas duas exposições individuais.Em 2021 -2022,  “O avesso e a lenda dos dias”, exibidas em São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ).;  Em 2020 – 2021, “Sopros’ expostas também no Centro Cultural dos Correios do Rio de Janeiro, com divulgações em grandes veículos especializados como Veja, Diário Carioca, ArtRio, Revista das Artes e dentre outros.
 
 
Serviço
 
Exposição: “… no silêncio das flores”
Artista: Du Flausino
Instagram: @du.flausino
Curadoria e produção cultural: Cota Azevedo
Instagram: @cotaazevedo
Local: Centro Cultural Correios RJ
Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro – RJ
Abertura: 26 de maio de 2022 às 16h
Visitação: 27 de maio a 09 de julho de 2022
Dias e horários: de terça a sábado, das 12h às 19h
Assessoria de Imprensa: Paula Ramagem @_paula_r_soares
Entrada franca
Censura livre
Acessibilidade

Continuar Lendo

Destaque