Conecte-se conosco

Cultura

Mais amor, por favor

Published

on

*Psicóloga e Neuropsicologia Daniela Generoso

No último século, estamos sendo pautados constantemente sobre assuntos relacionados à saúde mental. E não. Esse não é um bom sinal. Falar sobre isso é importante, mas não por razões como o crescente aumento de casos de depressão, ansiedade, suicídio e outras doenças psicológicas. A sociedade, por si só, não está evoluindo.

Recentemente, fomos bombardeados com notícias sobre tortura psicológica em programas de reality show. A prática dessa violência é cometida através de punições emocionais repetidamente com intenção de ferir emocionalmente a vítima.

No BBB21, por exemplo, participantes foram julgados e isolados por seus companheiros de casa por atos falhos cometidos, mas sequer conseguiram ser ouvidos e perdoados. Já no programa da Itália, uma participante brasileira foi alvo de ataques pelo simples fato de não possuir a mesma nacionalidade que os demais, sofrendo com comentários misóginos e xenofóbicos.

Mas o mesmo acontece, por exemplo, no ambiente de trabalho, quando uma pessoa recebe punições fora do “normal” de seus superiores, não consegue ser ouvida ou recebe críticas não-construtivas por tudo que faz. O ciclo se torna vicioso. Esgotado, a pessoa chega em casa e diminui a esposa, a esposa diminui o filho e o filho faz o mesmo com o coleguinha na escola.

Quando uma crítica te puxa para cima, não julga você e, sim, suas ações, ela apresenta uma direção para melhorar. O resultado se torna positivo, principalmente, quando essa informação passa pelo filtro pessoal de reflexão e a pessoa entende que errou. Ela é considerada uma crítica construtiva, pois te faz querer evoluir e se aperfeiçoar.

No entanto, a infeliz “Era do cancelamento” não permite a oportunidade de errar, evoluir e melhorar. Errar faz parte da vida. Discordar do outro também. Porém, é preciso entender até que ponto o conflito de opiniões é tolerável. É claro que a opinião é individual e que ninguém precisa estar de acordo para conviver bem. Mas o respeito à diversidade de pensamentos, opostos ou não, é necessário para se conviver bem em sociedade, desde que não machuque o próximo.

As consequências para o cancelado podem ser desde depressão, ansiedade, baixa autoestima, transtorno de personalidade e até automutilação ou suicídio. Já as consequências negativas do “cancelador” só vão ser vistas e percebidas quando ele procurar ajuda tendo consciência do mal que fez. Isso porque o agressor sempre irá possuir características autoritárias e uma única visão do que é certo. A maldade e o egoísmo sempre vão estar nos outros, nunca nele.

Para tentar lidar com todo esse julgamento, primeiro é preciso o autoconhecimento. A partir disso, sabendo qual é a sua verdadeira identidade, a pessoa será capaz de não permitir que ninguém a diminua. Para esses casos, acompanhamentos com psicólogos sempre serão recomendados, além de queixa-crime.

A vida é feita de ciclos. Passamos tanto tempo sendo oprimidos. Podemos achar que revidar a opressão com mais opressão é a solução. Às vezes, chegamos a acreditar que esse ciclo de violência acontece apenas na televisão. Mas convivemos com isso no nosso dia a dia. Precisamos interromper esse ciclo. Lembre-se: não somos aquilo que o outro fez comigo, mas aquilo que escolhemos ser. Portanto, distribua mais o amor.

(*) Psicóloga, Pós-graduada em Neuropsicologia, Pós-graduanda em Psicologia Existencial Humanista, pós-graduada em direitos humanos, Mestranda na Universidade Européa Del Atlântico (Espanha), Formada pela UNESCO/UFRJ Interpretação de Desenho Infantil, Escritora, Professora  e supervisora de psicologia, fundadora e presidente do Instituto  “É Possível Sonhar”, que atende crianças, adolescentes e mulheres vítimas de violência doméstica.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Série de lives “Diálogos – Garantido Pela Cultura do Brasil” recebe o presidente da Estação Primeira de Mangueira, Elias Riche, dia 15 de maio

Published

on

Bate-papo será conduzido pelo presidente do Boi Garantido, Antônio Andrade Barbosa, com mediação do jornalista Daniel Castro

Associação Folclórica Boi Bumbá Garantido dá sequência, no dia 15 de maiosábado, ao projeto “Diálogos – Garantido Pela Cultura do Brasil”série de lives reunindo lideranças dos maiores grupos culturais do país, para debater o impacto e as perspectivas da cultura neste cenário.

Após as participações de João Jorge Santos Rodrigues (presidente do Olodum) e de Biza Vianna (presidente do Centro Afro-Carioca), o terceiro encontro do projeto trará um bate-papo entre o presidente do BOI GARANTIDOAntônio Andrade Barbosa e o presidente da Estação Primeira de Mangueira, Elias Riche. A mediação da live, que ocorre a partir das 20h (horário de Brasília), é do jornalista Daniel Castro.

Na live, que poderá ser assistida nos canais do YouTube do Garantido (youtube.com/garantido) e da Estação Primeira de Mangueira (youtube.com/estacaoprimeirademangueira), os presidentes irão trocar ideias e propor soluções para o enfrentamento do momento atual pela qual passam essas duas grandes instituições culturais brasileiras, por conta da pandemia da Covid-19, que praticamente paralisou os segmentos da cultura e dos grandes eventos.

A série, que tem por objetivo valorizar o trabalho árduo dos profissionais da cultura e discutir propostas e soluções para o setor, contará ainda nas próximas semanas com novos convidados representantes de grupos e entidades culturais de várias regiões do país, com reconhecimento nacional e internacional.

SERVIÇO

Diálogos – Garantido Pela Cultura do Brasil

Com Antônio Andrade Barbosa (presidente do Boi Garantido) e Elias Riche (presidente da Estação Primeira de Mangueira)

Dia 15 de maio, sábado

Horário: 20h (horário de Brasília)

Mediação: Daniel Castro

Transmissão: Canais no YouTube do Garantido (youtube.com/garantido) e da Estação Primeira de Mangueira (youtube.com/estacaoprimeirademangueira)

Continue Reading

Cultura

Teatro a distância: espetáculo “Cantos de Xícaras” está em cartaz na Cora Residencial Sênior

Published

on

Apresentações online acontecem em todas as unidades. Enredo aborda memórias e afetividade. 

Na Cora Residencial Senior, os residentes vivem novas experiências, com muita segurança, mesmo durante a pandemia. Desde março, está em cartaz, com transmissão online, o espetáculo teatral “Cantos de Xícaras” nas unidades Jardins, Higienópolis, Tatuapé, Ipiranga e Campo Belo.

“A iniciativa cultural da Cora é um sucesso e tem gerado reverberações incríveis por toda a nossa comunidade. Somos todos tocados de alguma forma. Após cada transmissão, promovemos um momento de conversa, onde podemos trocar experiências e reflexões. Ao final de cada apresentação, a atriz envia uma mensagem personalizada aos residentes, fazendo com que a experiência seja tão real e palpável, como se estivéssemos dentro do teatro”, afirma Guilherme Almeida, artista educador da Cora Residencial Senior.

“A peça me trouxe muita felicidade, porque me fez retornar ao meu passado, à minha adolescência.  Eu senti que todo o grupo se sentiu representado nas histórias das xícaras. Eu, por exemplo, me lembrei de quando era jovem e recebia visitas em casa. Eu tinha um aparelho e um carrinho de chá que ficavam na sala de visita, porque, naquele tempo, não era comum você oferecer um cafezinho para a visita. O mais usual era você oferecer um chá, acompanhado de bolo e biscoitos amanteigados, e a peça me trouxe essa recordação”, conta, emocionada, a residente Ana Guidi, de 79 anos.  

As boas lembranças do passado também foram experimentadas pela residente Arlette Salles, de 85 anos. “Me lembrei de quando meus tios e tias nos visitavam e ficavam ali tomando chá com meus pais. Me lembrei de um jogo de xícaras de porcelana que meu marido amava. Eu agradeço por esses momentos de alegria e boas lembranças da minha família. Me trouxe uma emoção tão grande que estou emocionada até agora.” 

A peça “Cantos de Xícaras” conta a história de uma xícara centenária que decide compartilhar com o público suas experiências, promovendo reflexões sobre vida, tempo e existência. O espetáculo tem produção de Ana Elisa Mello e Samya Enes, com direção, dramaturgia e interpretação de Helena Miguel.  


Sobre a Cora Residencial SeniorA Cora foi criada em 2015, com o objetivo de revolucionar o conceito de instituição de longa permanência, rompendo com o antigo modelo de casas de repouso. Atualmente com cinco unidades, está presente em bairros com localizações estratégicas na cidade de São Paulo. Cora é referência em cuidado aos idosos, oferecendo equipes de assistência multidisciplinar, estruturas completas, segurança e socialização para maiores de 60 anos. O atendimento nas unidades diferencia-se por proporcionar cuidado, afeto e atenção profissional para o bem-estar e qualidade de vida dos idosos. 

Continue Reading

Cultura

Japan House São Paulo

Published

on

A Japan House São Paulo informa que reabrirá as portas da sua sede, localizada na Avenida Paulista, 52, a partir do dia 01 de maio. Com horário de funcionamento reduzido para cinco horas diárias, das 11h às 16h, de terça-feira a domingo, a instituição seguirá atuando em conformidade com as orientações da Organização Mundial da Saúde, Ministério da Saúde e Secretarias Estadual e Municipal de Saúde visando contribuir para a não disseminação da Covid-19.

As lojas SHIN, Furoshiki e o Café Sabor Mirai, localizadas dentro da Japan House São Paulo, acompanham a data de abertura e horário de funcionamento a partir do dia 01 de maio. Para informações sobre o restaurante Aizomê (reservas e horários) consulte www.aizome.com.br .

Seguindo todos os protocolos de segurança, a visitação permanece livre e gratuita, e agora com capacidade de público limitada a 25%. Com a conquista do selo Safeguard, da Certificadora Internacional Bureau Veritas, que atesta a implementação de rígidos padrões de higiene e medidas de proteção de segurança sanitária, continuam em vigência a obrigatoriedade do uso de máscaras pelos visitantes e colaboradores; disponibilização de dispensers de álcool em gel em vários pontos; tapetes desinfetantes no acesso à instituição; aferição de temperatura corporal de todos os visitantes; demarcações no chão para garantir o distanciamento social de 1,5 metro; aumento na frequência da higienização de todos os ambientes; apresentação das medidas de segurança por meio de vídeo e QR Code.

Os espaços expositivos reabrem com as mostras “DŌ: o caminho de Shoko Kanazawa” e “Embalagens: designs contemporâneos do Japão” e há duas formas de programar a visitação: por meio de reserva online pelo site https://agendamento.japanhousesp.com.br/; ou diretamente na instituição, conforme ordem de chegada. Além disso, a instituição mantém a programação nas plataformas digitais (site, facebook, instagram, twitter e podcast) para compartilhar com o público as diferentes vertentes do Japão. Para acompanhar as novidades, basta acessar as redes sociais @JapanHouseSP ou pela #JHSPONLINE.

Reabertura Japan House São Paulo

Dia 01 de maio de 2021

Avenida Paulista, 52

Horário de funcionamento: Terça-feira a domingo

Horário: das 11h às 16h

Entrada livre e gratuita

Para informações e reserva online antecipada:: https://agendamento.japanhousesp.com.br/

Confira as mídias sociais da Japan House São Paulo:

Site: www.japanhouse.jp/saopaulo  

Instagram: @japanhousesp 

Twitter: //twitter.com/japanhousesp 

Youtube: www.youtube.com/japanhousesaopaulo 

Facebook: https://www.facebook.com/JapanHouseSP

LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/japanhousesp 

Sobre a Japan House São Paulo (JHSP):

A Japan House é uma iniciativa com a finalidade de divulgar os diversos atrativos, atividades e medidas governamentais do Japão, ampliando o conhecimento de toda a comunidade internacional referente à cultura japonesa. Inaugurada em 30 de abril de 2017, a Japan House São Paulo foi a primeira a abrir as portas, seguida por Londres (Inglaterra) e Los Angeles (EUA). Atua como plataforma pública na geração de oportunidades de cooperação e intercâmbio entre o Japão e o Brasil, nas mais diversas áreas como artes, negócios, esportes, design, moda, gastronomia, educação, turismo, ciência e tecnologia. Apresentando o Japão, promove exposições, seminários, workshops e inúmeras outras atividades em sua sede, em outros espaços e digitalmente. Em fevereiro de 2020, a Japan House São Paulo alcançou a marca de 2 milhões de visitantes, sendo considerada uma das principais instituições culturais da Avenida Paulista. Desde abril de 2020, a instituição possui a Certificação LEED na categoria Platinum – o mais alto nível de reconhecimento do programa – concedida a edificações sustentáveis.

Continue Reading

Destaque