Conecte-se conosco

News

Juliana Paes é a estrela da nova campanha de protetor solar

Publicado

em

Alta no consumo aponta consciência sobre proteção solar

Linha nacional de produtos suncare da Farmax registra crescimento nas vendas, apesar da retração do mercado na pandemia

A imposição do isolamento e a necessidade de ficar em casa para evitar o contágio pela Covid-19 não pareciam um cenário seguro para investimentos, especialmente em produtos de cuidados para a pele contra o sol. Mas houve quem apostou no contrário e acertou. Enquanto o mercado deste setor sofreu retração, a Farmax decidiu investir em sua linha suncare – e agora colhe resultados positivos.

Em 2020, as vendas dos produtos Sunless da Farmax tiveram aumento acima de 20% em volume e valor totais, contra -6,1% de valor total do mercado. “Foi um conjunto de decisões bem acertadas em um momento desafiador para todos. Era uma crise que estava se instaurando e a gente tinha que escolher entre pisar no freio ou acelerar. E a gente decidiu acelerar”, conta Carolina Diniz, Analista de Marketing e Inovação da Farmax.

O sucesso da linha Sunless continua aumentando em 2021. Entre janeiro e maio, o crescimento foi de 35,27%, contra 11,07% do mercado em venda de unidades, e de 46,35% a 12,51% por valor. A marca também aumentou a presença nos pontos de venda. Em 2020, estava presente em 48% das farmácias do Brasil e, neste ano, subiu para 52% das farmácias(Fonte dados: IQVIA / Unidades e Valor Sell Out Varejo Farmacêutico/ Crescimento comparado ao ano anterior / Atualizado em 22/06/2021)

Segundo Carolina Diniz, em 2020, a Farmax resolveu investir numa campanha robusta, com a imagem de uma celebridade que foi a atriz Grazi Massafera. “A gente já tinha os produtos que já eram de boa relação custo benefício, atrativos, de qualidade, e isso, aliado a um preço convidativo, já tinha uma fórmula de sucesso. Foi um combo que se completou com a decisão de fazer acontecer”.

Este ano, a Farmax aposta em outra beleza brasileira famosa do cenário artístico para a campanha da linha Sunless: a atriz Juliana Paes. Com o slogan “Seja quem for, Sunless cuida com você!”, a campanha lembra que proteção é para todos os momentos, não só para a praia, e que é preciso cuidado com  qualquer luz, inclusive artificial e de telas.

A Sunless é composta por um mix completo de produtos: protetores corporais, protetores faciais, protetores kids e baby e bronzeadores, com uma proteção de qualidade contra raios UVA e UVB, são produtos fáceis de espalhar e com toque seco

SERVIÇO:

Linha Sunless – Só o melhor do sol

Onde comprar: https://www.belezatododia.com.br/Sunless

Sobre a Farmax

Com sede em Divinópolis, Minas Gerais, a Farmax é uma das maiores indústrias produtoras de farmacêuticos, cosméticos e higiene pessoal do país. Presente em todo o Brasil e em vários países da América Latina, tem 10 marcas divididas em mais de 400 produtos nas linhas cosmética, farmacêutica, hospitalar e suplemento alimentar. A empresa tem em seu DNA a filosofia do cuidado, sempre presente na sua história, e possui como missão institucional contribuir com o bem-estar, beleza e saúde das pessoas para que elas vivam melhor diariamente. A companhia abastece mais de 70 mil farmácias e milhares de supermercados e lojas de cosméticos em todo o Brasil através de grandes distribuidores e atacadistas.

Continuar Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

News

Dia Internacional de Luta contra a AIDS

Publicado

em

Dia Internacional de Luta contra a AIDS: Blued, entidades e empresas lançam a campanha “#BePositive Quebre os Tabus do HIV”

Além do aplicativo, RNP+BRASIL, Viveração, Rede de Jovens SP+, Aliança Nacional LGBTI+, Prudence, DKT Internacional e especialistas promoverão debates sobre a AIDS e o HIV

São Paulo, novembro de 2021 – Na próxima quarta-feira, 1º de dezembro, Dia Internacional de Luta contra a AIDS, o Blued, aplicativo móvel líder mundial para pessoas gays, bi, trans e queer, se juntará a grandes empresas, entidades, médicos e especialistas na campanha #BePositive Quebre os Tabus do HIV, que promoverá debates de conscientização sobre a luta contra o HIV e a AIDS. Entre os nomes confirmados então a RNP+BRASIL BRASIL (Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e AIDS), Podcast Viveração, Rede de Jovens SP+, Aliança Nacional LGBTI+ e Prudence, marca brasileira líder em preservativos, além do Dr. Eduardo Ditzel (infectologista), Dr. Vinícius Borges (infectologista), Augusto Menna (jornalista, tradutor e ativista LGBTQIA) e Welton Gabriel (palestrante, consultor em saúde e educação sexual e ativista).

Infelizmente, a desinformação provocada pela falta de conhecimento pode trazer danos irreversíveis para a sociedade. Sabemos que o HIV e a AIDS não têm cura, apesar do tratamento correto e realizado no início do contágio ter eficácia para uma vida saudável. Ainda existe muita desinformação sobre prevenção, tratamento e relacionamento com pessoas que vivem com HIV. Por isso, a campanha Quebre os Tabus do HIV quer estimular a conscientização sobre a doença, a partir do Dia Internacional de Luta Contra a AIDS, comemorado em 1º de dezembro.

Por possuir, entre as suas funcionalidades exclusivas, a realização de Lives e Chats dentro do aplicativo, o que destaca o Blued dentre os demais, todas as ações da campanha serão realizadas no aplicativo. No início deste ano, a BlueCity começou a convidar organizações a se registrarem no Blued e fornecer serviços críticos relacionados ao HIV para os mais de 6 milhões de usuários ativos mensais do aplicativo em 170 países e regiões ao redor do mundo. As organizações que são verificadas pelo Blued receberão apoio no aplicativo e na mídia social para fornecer seus serviços dentro de sua região, aumentando sua visibilidade, bem como a conscientização sobre ações preventivas. Os usuários podem contatar diretamente essas organizações para receber aconselhamento, marcar compromissos para testes de HIV, acesso ao PrEP e PEP e entregas de kits domésticos, e muito mais.

Além disso, haverá três Lives mediadas pelo Podcast Viveração. A primeira no perfil da Rede Jovens SP+, com participação de Ricardo de Mello e debaterá sobre “O acolhimento de quem vive com HIV”; a segunda no perfil da RNP+BRASIL, com Paulo Giacomini, representante da entidade no Estado de SP, sobre “A luta contra o estigma social do HIV”. Finalizando o dia; e a última será com o médico infectologista Eduardo Ditzel sobre “Tratamento e prevenção, o caminho para ser i=i (indetectável = intransmissível)”.

Blued, entidades e empresas lançam a campanha “#BePositive os Tabus do HIV”
Divulgação

Para Blued, o projeto vem reforçar a importância da educação sobre o HIV e a AIDS. “Precisamos romper preconceitos além de promover saúde e vida normal com HIV. Queremos, a partir da iniciativa, promover ainda mais debates, conversas, trocas de experiências dentro do APP. Acreditamos que apenas assim, proporcionando um ambiente saudável para discutir o tema, é que vamos integrar a sociedade para a causa, agindo com informação para prevenir e tratar”, explica Liam, head of Blued International.

Além das Lives, serão abertas duas Salas de Chat por voz no app Blued para discutir o tema e trazer entidades e pessoas que vivem com HIV para a conversa. No dia 1 de dezembro às 17h30, o perfil da Aliança Nacional LGBTI+ abrirá a conversa com Gregory Rodrigues, coordenador nacional de Comunicação. Já no dia 03 de dezembro, as 17h, o perfil do Podcast Viveração será liderado por Augusto Menna Barreto, coordenador e idealizador do projeto que é focado em saúde, sexualidade e direitos humanos, financiado neste ano por um edital de uma agência da ONU. O objetivo de ambas é engajar e informar os usuários da plataforma.

Para o Dr. Eduardo Ditzel, infectologista especialista em infectologia hospitalar e clínica, HIV e Infecções Sexualmente Transmissíveis, “existem várias formas de prevenir o HIV e as infecções de transmissão sexual, precisamos entender que fazer uso de preservativos é fundamental e uma das principais formas, mas também tratar quem tem a infecção através da PREP e da PEP além de testagens frequente. Pessoas HIV positivas possuem uma vida normal”.

Médico infectologista e idealizador do canal doutor Maravilha, Dr. Vinicius Borges destaca que uma pessoa vivendo com o HIV com carga indetectável por no mínimo 6 meses não transmite o vírus por via sexual. “Há pessoas que nunca se testaram, podem ter o HIV com a carga viral alta que facilita a transmissão. Portanto, nunca ter feito exames é ‘mais arriscado’ do ponto de vista epidemiológico que ter e tratar”, afirma. Mas o médico reforça, “o acesso ao diagnóstico, ao tratamento e a possibilidade de estar indetectável envolve várias vulnerabilidades e desigualdades. Precisamos vencer a sorofobia e trazer mais qualidade de vida a quem vive e convive com o HIV”.

Campanha Quebre os Tabus do HIV

Programação 01/12

Live Rede Jovens SP+ com Ricardo de Mello e mediação do Podcast Viveração
Tema: O acolhimento de quem vive com HIV
Horário: às 12h

Live RNP+Brasil com Paulo Giacomini, representante da entidade no Estado de SP e mediação do Podcast Viveração
Tema: A luta contra o estigma social do HIV
Horário: às 16h

Sala de chat de voz do perfil Aliança Nacional LGBTI 🇧🇷, com Gregory Rodrigues, coordenador nacional de Comunicação
Horário: às 17h30

Live com Dr. Eduardo Ditzel, médico e infectologista
Tema: Tratamento e Prevenção, o caminho para o i=i (indetectável = intransmissível)
Horário: às 19h

Programação 03/12

Sala de chat de voz o perfil Viveração Podcast, com Augusto Menna Barreto, coordenador e idealizador do projeto
Horário: às 17h

 

 

Sobre o BLUED

O Blued é um aplicativo móvel líder mundial para pessoas gays, bi, trans e queer. Mais do que um aplicativo de encontros, ele integra serviços de streaming ao vivo com feeds de notícias sociais personalizáveis, chamadas de vídeo e voz, bem como o acesso a serviços profissionais relacionados à saúde em mercados selecionados. Blued é o hub central para a plataforma LGBTQ líder mundial, BlueCity (listada na NASDAQ como BLCT), o Blued está disponível em 13 idiomas e conecta mais de 60 milhões de usuários registrados em cerca de 170 cidades.

Continuar Lendo

News

O roubo da identidade

Publicado

em

O que seria o roubo de identidade? Não é o roubo de seus documentos, mas da sua personalidade como cidadão, de sua privacidade, de seus sigilos financeiros.

Me lembro quando nos idos anos de 2005 acompanhava uma série de televisão em que um dos personagens teve sua identidade roubada e começaram seus terríveis pesadelos, ações na corte americana de cobranças, problemas com a polícia, inclusive sendo presa indevidamente.

O que acontece hoje em nosso país é o roubo de identidade dos cidadãos brasileiros, quando pessoas mal-intencionadas de posse de números dos documentos, RG, CPF e nome completo, baixam aplicativos de supostos bancos virtuais e abrem uma conta corrente.

Por que supostos bancos virtuais? Muitos bancos virtuais em seus APP e website induzem as pessoas acreditarem tratar-se de um banco quando, na verdade, são empresas de pagamentos autorizadas a operarem no sistema PIX.

Atualmente o Banco Central possui mais de 760 empresas cadastradas para trabalharem com o sistema PIX, sendo emissores e receptores das transferências de numerários via esta modalidade recém-inaugurada.

Ainda há mais de 60 empresas aguardando a homologação ou autorização do BACEN para atuarem nesta atividade.

Geralmente os meliantes que se utilizam deste tipo de golpe, invadem um perfil de uma empresa que vende no Instagram, por exemplo, e abrem uma conta em uma destas operadoras de meios de pagamentos, anunciam a venda neste post falso de algum produto por um preço muito atrativo, abaixo do mercado, e fornecem os dados para pagamento da conta também fraudada.

Após decorrido o prazo para que o comprador receba a mercadoria, ele se dá conta de que foi lesado, comparece a uma delegacia de polícia, abre um boletim de ocorrência e representa na mesma data.

É nessa situação quando a pessoa que teve sua identidade roubada é informada que há um inquérito policial que está apurando a má conduta.

Começa assim o pesadelo daquele que roubaram a identidade.

Como algumas empresas de meio de pagamento limitam o volume de transferências, os meliantes abrem contas em diversas outras, e com o passar do tempo inicia-se uma nova maratona do cidadão que teve sua identidade roubada, torna-se um martírio, uma penitência sem fim e cada dia mais problemas.

Você busca socorro junto ao Banco Central do Brasil e este diz que não tem como fiscalizar ou fazer qualquer coisa, mas o número do seu CPF está rodando como chave de PIX para os meliantes aplicarem cada vez mais golpes.

Muitos pensavam, antes deste artigo, que o PIX era autorizado apenas aos bancos comerciais, instituições autorizadas a funcionar como bancos pelo Banco Central do Brasil. Engano seu, estas empresas de meios de pagamento, de crédito direto, algumas cooperativas, estão habilitadas pelo Banco Central a operar com o PIX.

Ao invés de o PIX vir para facilitar a todos, está criando um enorme problema para muitas pessoas, aquelas que são vitimas do golpe de vendas e as vítimas que têm suas identidades roubadas.

Mais uma informação importante, caso seja vítima de roubo de identidade, dificilmente conseguirá contato direto com estas empresas de pagamento, pois, em sua maioria não atendem pessoas físicas.

Vale ainda acrescer que a fragilidade do sistema favorece a lavagem de dinheiro, passando de uma conta para outra sem deixar rastros significativos.

Os golpes dados pelo WhatsApp muitas vezes utilizam uma conta digital para pagamento, certamente contas de empresas de meios de pagamento.

Não há segurança no sistema para a abertura de conta nestas empresas, basta baixar o APP e preencher um formulário básico sem precisar enviar cópia dos documentos e nem a foto do correntista.

Sobre Paulo Akiyama

Paulo Eduardo Akiyama é formado em economia e em direito desde 1984. É palestrante, autor de artigos, sócio do escritório Akiyama Advogados Associados e atua com ênfase no direito empresarial e direito de família. Para mais informações acesse http://www.akiyamaadvogadosemsaopaulo.com.br/ ou ligue para  (11) 3675-8600. E-mail akyama@akiyama.adv.br

 

Continuar Lendo

News

Dia do Empreendedorismo Feminino: conheça 14 histórias para se inspirar

Publicado

em

A trajetória de mulheres comuns que acreditaram no sonho de ter um próprio negócio e foram muito mais além pode ser a inspiração para outras investirem em si próprias 

Segundo dados do Global Entrepreneurship Monitor, o Brasil tem 30 milhões de mulheres que estão à frente de seus próprios negócios, número este que chega a quase metade de todo mercado empreendedor (48,7%). Dados da Rede Mulher Empreendedora também revelam que no ano de 2020 a iniciativa cresceu 40%. Com a proximidade do Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino, celebrado em 19 de novembro, conheça 14 negócios reais e bem-sucedidos liderados por elas, de diversos segmentos, para se inspirar e até mesmo investir:

Da história de ousadia da “mulher de mil e uma tarefas”, em 1996 nasceu a rede Pello Menos, pioneira nos serviços de depilação à cera indolor e sem hora marcada no Brasil. De porta em porta e no boca a boca, Regina Jordão convenceu muita mulher a conhecer sua cera exclusiva, capaz de minimizar as dores do processo depilatório. Com apenas seis meses, a segunda loja começou a ser estruturada. Hoje, a rede tem faturamento anual de R$ 43 milhões, mais de 45 unidades nos estados do Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo e, além da versão com cera, passou a oferecer a laser também. A executiva conta com ajuda da filha, Alessandra Jordão, que começou na rede quando tinha apenas 16 anos.
Vegetariana desde os 15 anos e vegana há cinco, foi somente no curso de gastronomia na Universidade Estácio, na cidade do Rio de Janeiro, que a carioca Michelle Rodriguez  conheceu o colega e hoje sócio Celso Fortes. A parceria em sala de aula extrapolou as paredes da faculdade e juntos decidiram testar novos pratos que não levassem qualquer ingrediente de origem animal, que tivessem textura e fossem realmente saborosos. Foi então que, em 2016, fundaram o Açougue Vegano. Em 2019 a marca entrou para o franchising e em 2020 faturou R$ 1,4 milhão. Atualmente, possui seis lojas no Rio de Janeiro, São Paulo e Paraíba e tem previsão de inaugurar outras quatro até o fim do ano.
Uma das filiais do Mané, rede de botecos, ganhou destaque desde seu surgimento por ser uma versão totalmente feminina. Localizada em Copacabana, na cidade do Rio de Janeiro, tem à frente de sua gestão três cariocas: Carla TarsitanoNatália Magalhães Suélen Gomes. Natália e Suélen se conheceram em 2018, quando faziam pós-graduação em marketing em Portugal e foi deste encontro que surgiu a ideia de promover uma feira voltada ao empreendedorismo feminino que soasse como “Feito por Elas” na cidade. O sucesso foi tanto que elas pegaram gosto por empreender e decidiram implementar a ideia aqui no Brasil. Mas foi com o incentivo de Carla, amiga das empreendedoras e que se tornou a terceira sócia, que a feira virou um projeto de boteco, transformando-se no bar Mané “Delas”.
Aos 23 anos, em uma sala de espera de consultório médico, ao tomar o famoso “chá de cadeira”, Luciana Piquet enxergou uma oportunidade de negócio. A ideia era simples: oferecer serviços de manicure e pedicure nas salas de espera de consultórios. Com um empréstimo de cinco mil reais, feito pelo pai, e um carrinho especial para as manicures circularem pelas clínicas médicas, nascia em 2011 a SPA Express. Com o passar do tempo o negócio evoluiu, o cardápio de serviços foi reestruturado e os atendimentos passaram a ser realizados em casa. Em 2014, a empresária entrou para o franchising e hoje está à frente de uma rede de franquias de SPA em domicílio com 44 operações e com uma previsão de faturamento de R$ 4,5 milhões para este ano.
Aos 76 anos, Sônia Ramos, ou simplesmente Vó Sônia, colhe os frutos de uma atitude empreendedora tomada no ano de 2009, na cidade de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, quando fundou a Casa de Bolos, rede pioneira no segmento de bolos caseiros. Tudo começou quando Rafael, seu filho caçula, perdeu o emprego e a família se viu obrigada a encontrar uma maneira urgente de complementar a renda para fechar as contas do mês. A ideia de fazer os bolos caseiros e sair vendendo pela redondeza ganhou não só as ruas, como também pessoas que passaram a encomendar as iguarias e fazer o “boca a boca”, a propaganda mais eficaz do mundo. De bolo em bolo, o negócio prosperou, em 2011 entrou para o franchising e está prestes a inaugurar a 400ª loja.
Enquanto umas mulheres começam despretensiosamente no empreendedorismo, outras já vislumbram o mundo aos seus pés. Foi pensando em conquistar todo Brasil e outros países da América e Europa, que a jovem nascida no interior de São Paulo, Camila Miglhorini, criou o Mr. Fit, primeira rede de fast food saudável do Brasil. O negócio que já nasceu formatado para ser franquia, teve sua primeira unidade aberta no ano de 2013, na cidade de Paulínia, interior de São Paulo e hoje conta com mais de 500 franquias espalhadas pelo Brasil e exterior,. A expectativa da empresária é encerrar o ano de 2021 com um faturamento na casa dos R$90 milhões.
Os desafios sempre moveram Sanauá Morais Peixoto e foi assim que a vendedora, que batia de porta em porta para oferecer sapatos, conseguiu se formar em biomedicina. No entanto, a estabilidade de uma carreira no serviço público nunca fizeram seus olhos brilharem e determinada a embarcar em uma nova jornada, vendeu o apartamento e o carro para realizar o sonho de empreender. Há cinco anos como franqueada da Emagrecentro, uma das maiores redes de estética corporal do país, a empresária comemora o negócio, que está alinhado com seus valores e propósito de vida.
Fernanda Navarro começou a trabalhar aos 14 anos após o pai abandonar a mãe com cinco filhos. Em 2013, já com 36 anos,  começou a trabalhar como supervisora da Home Angels, rede de cuidadores de pessoas, referência na América Latina trabalho com idoso. Gostou tanto que resolveu empreender e investir na marca, tornando-se uma das 100 franqueadas da rede. Fernanda acredita que o empoderamento feminino está cada vez maior, o que tem levado muitas a seguir o caminho do empreendedorismo.
Em 2016 a administradora Erica Duran viu seu salão de beleza falir. Após três meses procurando um emprego, foi admitida para trabalhar no departamento comercial da rede CleanNew, franquia especializada em higienização e blindagem de estofados, em Salvador. A executiva desempenhou tão bem seu trabalho que foi convidada para assumir uma das unidades da rede, na própria cidade. Sem o valor necessário para aquisição da franquia, negociou com a franqueadora, topou o desafio de empreender novamente e hoje se sente realizada com o novo negócio.
Cristiane Maria é formada em ciências da computação, mas não se encontrou na área. Depois de passar por alguns trabalhos, conseguiu um emprego de vendedora na primeira loja da Anjos Colchões & Sofás, rede especializada em estofados e colchões, em Foz do Iguaçu, no Paraná. Algum tempo depois, foi designada para uma unidade pequena e sem muito fluxo e em uma semana conseguiu dobrar o número de vendas. A paixão pela marca foi tanta que decidiu, junto com o marido, vender um terreno e um carro para adquirir a primeira franquia da marca. Hoje possui quatro lojas na mesma cidade.
Carina Soares viu sua estabilidade profissional se transformar na pandemia. Ainda se recuperando de uma síndrome do pânico que a atingiu em 2019, sofreu o revés das medidas de isolamento impostas em 2020, quando a empresa de equipamentos para laboratório, que tinha junto ao marido, perdeu o movimento. Disposta a se reerguer, adquiriu sua primeira franquia em janeiro deste ano, uma unidade da Sofá Novo de Novo, rede de higienização e impermeabilização de estofados.
Acostumada a ambientes extremamente masculinos, a franqueada da rede de anúncios em saco de pão, PremiaPão, Weslaine Glória, que em paralelo a franquia também atua no mercado de construção e aluguel de maquinário, comenta os desafios de ser empreendedora. “Algumas pessoas quando veem mulheres em cargos de liderança ou à frente de um negócio tentam diminuir nossa credibilidade, mas não me abalo, se estou certa daquilo que estou fazendo, não bato boca, apenas faço e vejo o resultado”. A empresária ainda aconselha outras mulheres que desejam empreender. “Capacite-se, busque conhecimento na área que quer atuar e mesmo com medo siga em frente”.
Há 11 anos como franqueada da Park Education, rede de educação bilíngue, criatividade e soft skills, Fabíola Fadigatti, conta que o sonho de ter a própria escola a levou ao empreendedorismo e ressalta a importância de ter recebido o apoio de uma franqueadora para o sucesso do negócio. “Se eu não tivesse uma franquia me apoiando, eu jamais teria investido, porque são muitas decisões em áreas que não dominava, como financeira, marketing, além de todos os desafios do dia-a-dia”, revela. Ela também aconselha outras mulheres que pretendem empreender. “Tenha ao seu redor pessoas que te respeitem, entendam sobre o seu negócio e se dediquem a ele , conclui Fabíola.
Sempre sonhando alto e inspirada na sua família, que é de empreendedores, Talita Gerdulli El-Haj Ahmad, que já atuava como dentista em um consultório particular, decidiu diversificar os investimentos e optou por abrir um outro negócio no mercado de Saúde, Beleza e Bem-Estar tornando-se franqueada da Face Doctor, rede de harmonização facial e depilação a laser. A empresária pretende expandir adquirindo mais duas operações da rede, além de ter como objetivo atuar também em novos segmentos no futuro.

 

Continuar Lendo

Destaque