Conecte-se conosco

Eventos

Exposição Máquina Kalunga de Aline Motta abre para visitação nesta sexta-feira, dia 29 no Sesc Belenzinho

Publicado

em

Sesc Belenzinho traz a obra da artista que tem desenvolvido rigorosa pesquisa sobre a natureza da imagem, genealogias e prospecções de histórias, partindo da invenção de uma perspectiva íntima pessoal

SESC apresenta exposição Máquina Kalunga – Instalação de Aline Motta

Confira as Imagens

Abertura:  28 de julho, às 20h

Visitação do público: 29 de julho a 11 de dezembro de 2022

Mais uma vez o átrio do Sesc Belenzinho é palco de um trabalho especialmente concebido para a sua arquitetura. Aline Motta em sua Máquina Kalunga, por meio de fotografias e projeções, reafirma o leitmotiv de sua obra: a busca por suas origens e uma conexão profunda com a natureza. Nesta instalação, a artista busca proporcionar um mergulho em sua poética, em que a própria arquitetura do espaço com suas transparências, reflexos e rebatimentos se transformam em possíveis manifestações físicas do mundo espiritual.

Como Aline esclarece, “máquina kalunga é uma máquina de ver o invisível com seus olhos d’água”. Segundo cosmologias centro-africanas, o que separa as dimensões dos vivos e dos mortos é uma linha fina de água chamada Kalunga. “Nessa forma de ver o mundo, a água guarda memória, a água é vista como um veículo, a água é uma máquina do tempo”. Assim, Aline foi buscar, em seu extenso arquivo, imagens que continham água, tema que protagoniza também o seu livro recém lançado “A água é uma máquina do tempo” (Fósforo/Luna Parque Edições).

Em Máquina Kalunga, com curadoria de Claudinei Roberto da Silva, as projeções no piso do átrio partem de fotos 3×4 ampliadas e impressas em tecido leve, voal. Essas imagens sobre tecido colocadas em contato direto com a natureza foram fotografadas pela artista em viagens. Além de Vassouras/RJ, cidade de sua família materna, ela levou as peças para Mariana/MG, aldeias no norte de Portugal e para o continente africano, onde esteve em Serra Leoa e Nigéria. Para a intervenção no Sesc Belenzinho, Aline selecionou somente as fotografias de obras colocadas sobre rios, cachoeiras e mar para construir um diálogo com o espaço da unidade. “Quis que as imagens das pessoas retratadas, ao serem projetadas no piso, surgissem como se fossem da água da piscina que está visível sob o chão de vidro transparente do átrio”, afirma Aline.

Já na grande lateral de vidro do espaço, com 15,50 metros de altura e 21 de largura, foi ampliada e plotada uma foto da série “(Outros) Fundamentos” (2017-2019), a última parte da trilogia iniciada com “Pontes sobre Abismos” e “Se o mar tivesse varandas”. A imagem apresentada no Sesc Belenzinho foi captada em Lagos/Nigéria, contudo o projeto também foi desenvolvido em Cachoeira/BA e Rio de Janeiro/RJ para dar conta das consequências da jornada que a artista empreendeu em busca de suas raízes. Com isso, Aline Motta procura reestabelecer laços com seus ancestrais comuns, através das águas e pontes que conectam as três cidades, imaginando uma possível comunicação por espelhos, que refletiriam a mesma luz dos dois lados do Atlântico.

“O carvão, que é resultado do magma, quando submetido a pressões altíssimas e violentas transmuta-se em diamante. A “Máquina Kalunga” de Aline Motta verte em diamante o carvão da memória, magma solidificado da sua e da nossa história. Sua poesia faz as vezes da pressão que, submetendo a história a organiza em imagens, que transcendem, mas também confirmam o contexto que comentam. Como todo diamante a obra resultante desse processo é polifacetada”, afirma o curador.

 

Sobre Aline Motta

Nasceu em Niterói (RJ), vive e trabalha em São Paulo. É bacharel em Comunicação Social pela UFRJ e pós-graduada em Cinema pela The New School University (NY). Combina diferentes técnicas e práticas artísticas, mesclando fotografia, vídeo, instalação, performance, arte sonora, colagem, impressos e materiais têxteis. Sua investigação busca revelar outras corporalidades, criar sentido, ressignificar memórias e elaborar outras formas de existência. Foi contemplada com o Programa Rumos Itaú Cultural 2015/2016, com a Bolsa ZUM de Fotografia do Instituto Moreira Salles 2018 e com 7º Prêmio Indústria Nacional Marcantonio Vilaça 2019. Recentemente participou de exposições importantes como “Histórias Feministas, artistas depois de 2000” – MASP, “Histórias Afro-Atlânticas” – MASP/Tomie Ohtake, “Cuando cambia el mundo” – Centro Cultural Kirchner, Buenos Aires, Argentina e “Pensar tudo de nuevo” – Les Rencontres de la Photographie, Arles, França. Abriu sua exposição individual “Aline Motta: memória, viagem e água” no MAR/Museu de Arte do Rio em 2020. Em 2021 exibiu seus trabalhos em vídeo no New Museum (NY) no programa “Screen Series”. Em 2022 lançou seu primeiro livro “A água é uma máquina do tempo” pelas editoras Fósforo e Luna Parque Edições.

SOBRE O SESC SÃO PAULO

Com 75 anos de atuação, o Sesc – Serviço Social do Comércio conta com uma rede de 45 unidades operacionais no estado de São Paulo e desenvolve ações com o objetivo de promover bem-estar e qualidade de vida aos trabalhadores do comércio, serviços, turismo e para toda a sociedade. Mantido pelos empresários do setor, o Sesc é uma entidade privada que atua nas dimensões físico-esportiva, meio ambiente, saúde, odontologia, turismo social, artes, alimentação e segurança alimentar, inclusão, diversidade e cidadania. As iniciativas da instituição partem das perspectivas cultural e educativa voltadas para todas as faixas etárias, com o objetivo de contribuir para experiências mais duradouras e significativas. São atendidas nas unidades do estado de São Paulo cerca de 30 milhões de pessoas por ano. Hoje, aproximadamente 50 organizações nacionais e internacionais do campo das artes, esportes, cultura, saúde, meio ambiente, turismo, serviço social e direitos humanos contam com representantes do Sesc São Paulo em suas instâncias consultivas e deliberativas.

Serviço:

Máquina Kalunga, instalação de Aline Motta

Curadoria: Claudinei Roberto da Silva

Projeto Multimídia: Toni Baptiste e Flávio Camargo | Coletivo Coletores

Produção Executiva: Daniele Carvalho | Canaes_

Abertura

28 de julho de 2022, quinta-feira, às 20h

Visitação

De 29 de julho a 11 de dezembro de 2022

Terças e sábados, das 10h às 21h

Domingos e feriados, das 10h às 18h

Átrio

Livre para todos os públicos

Sesc Belenzinho

Endereço: Rua Padre Adelino, 1000.

Belenzinho – São Paulo (SP)

Telefone: (11) 2076-9700

www.sescsp.org.br/belenzinho

Estacionamento

De terça a sábado, das 9h às 21h. Domingos e feriados, das 9h às 18h.
Credenciados plenos do Sesc: R$ 5,50 a primeira hora e R$ 2,00 por hora adicional. Não credenciados no Sesc: R$ 12,00 a primeira hora e R$ 3,00 por hora adicional.

Transporte Público
Metro Belém (550m) | Estação Tatuapé (1400m)

Continuar Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Eventos

Feira do Bom Retiro vai combinar K-Pop com música venezuelana neste fim de semana

Publicado

em

Cantora Fran Castelar vai interpretar canções tradicionais da Venezuela e grupos de K-Pop farão apresentações especiais

No próximo sábado, dia 01 de outubro, a Feira do Bom Retiro terá uma programação diferente, combinando apresentações de K-Pop covers com o show da cantora Fran Castelar que irá subir ao palco para apresentar um repertório baseado nos cantos de trabalho da Venezuela, que são as canções interpretadas tradicionalmente sem acompanhamento musical, ronde a cantora revela a potência do próprio canto como uma forma de se reafirmar e de se manter conectada às suas origens é a sua riqueza cultural.

No universo do K-Pop os grupos Stagebreaker e War farão apresentações especiais durante o evento que também terá sessões de Random Play Dance, de Circuito Internacional e Circuitos de K-Pop.

Além de curtir as apresentações o público poderá vestir Hanbok , as tradicionais roupas coreanas, e levar para casa seus nomes escritos em caligrafia tradicional. As barracas também oferecem souvenirs com imagens dos ídolos de K-Pop e de atores de K-drama, além de peças de artesanato.

Para quem quiser fazer uma imersão gastronômica tem desde pratos típicos  coreanos como Topoki, Kimbap, Kimchi, Bulgogui, Bibimbap, Cachorro Quente no Palito, Batata Furacão e Frango Apimentado até outras opções como Churrasco, Yakissoba, Tempura, Guioza, Saltenãs bolivianas, Arepas Venezuelanas e Doces Paraguaios, acompanhados de bebidas e drinks super coloridos.

Organizada pela Associação de Desenvolvimento K-Town Bom Retiro, a Feira do Bom Retiro acontece semanalmente, aos sábados, das 11h às 17h e tem entrada gratuita.

 

FEIRA DO BOM RETIRO

Programação: 01/10

11h40 – Show com a cantora venezuelana Fran Castellar

12h00 – Random Play Dance

12h:30 – Circuito Internacional

13h30 – Apresentação especial STAGEBREAKER

13h40 – Random Play Dance

14h00 – Apresentação especial W.A.R

14h10 – Circuito K- Pop

15h00 – Random Play Dance

15h30 – STAGEBREAKER

15h40 – Circuito K-Pop 2

16h30 – Random Play Dance

17:00 – Apresentação especial W.A.R

17:05 – Finalização

 

SOBRE O BOM RETIRO

Localizado no Centro de São Paulo, próximo a Estação da Luz, o bairro do Bom Retiro se destaca por ser um polo nacional de confecção com mais de 300 lojas, além de cafés e restaurantes, oferecendo infraestrutura completa para lojistas e mais de 120 mil pessoas que circulam por suas ruas diariamente.

Em paralelo à sua vocação comercial, o bairro também possui uma importante herança patrimonial e cultural e tem espaços que fazem parte da história da cidade como o Centro Comercial do Bom Retiro.

Com entradas pelas ruas José Paulino e Ribeiro de Lima, o Centro Comercial. inaugurado em 1960, reúne lojas, escritórios e restaurantes em torno de ruas de paralelepípedos cheias de história e muito charme.

 

FEIRA DO BOM RETIRO

DATA: 01/10/2022

HORÁRIO: 11h às 17h

LOCAL: Centro Comercial Bom Retiro – entradas pelas ruas José Paulino, 226 e Ribeiro de Lima, 453 – Bom Retiro

EVENTO GRATUITO

@feiradobomretiro

Continuar Lendo

Eventos

Museu da Língua Portuguesa promove música de concerto, sarau, visita mediada na Primavera dos Museus e contação de histórias

Publicado

em

Gratuitos, eventos como o Plataforma Conexões, Sarau Língua Afiada, Primavera dos Museus e Na Ponta da Língua vão acontecer entre os dias 21 e 30 de setembro

Museu da Língua Portuguesa prepara uma intensa e diversificada programação entre os dias 21 e 30 de setembro. As atividades, todas elas gratuitas, envolvem música de concerto, sarau de poesia, visita mediada dentro do projeto Primavera dos Museus, jogos sobre nosso idioma e até mesmo alongamento e aula de step.

As ações têm início no dia 21 de setembro, quarta-feira, quando ocorrem mais um encontro do projeto Com Viver – Ocupação UBS Bom Retiro e outra edição do Plataforma Conexões. Neste dia, as duas atividades vão ser realizadas no mesmo horário, a partir das 14h, no Saguão B do Museu da Língua Portuguesa. Enquanto profissionais da UBS Bom Retiro vão oferecer alongamento e introdução à dança circular, os pianistas Emilly Alberto, Ingrid Uemura e Lucca Verdi apresentam o espetáculo CPTMúsica: Conversas, Piano, Travessias e Música, no qual interpretam músicas de concerto, como “O Trenzinho do Caipira”, de Heitor Villa-Lobos.

CPTMúsica é a quinta atração do projeto Plataforma Conexões, que selecionou oito trabalhos nas áreas de teatro, música, dança, contação de histórias e literatura, que têm como fio condutor o tema Travessias pela Cidade, de artistas ou grupos iniciantes. Os escolhidos entraram para a programação cultural de 2022 do Museu.

No dia 28 de setembro, acontece outro encontro do projeto Com Viver – Ocupação UBS Bom Retiro, desta vez oferecendo aula de step, exercício aeróbico realizado com o uso de uma pequena plataforma, e novamente alongamento.

Já no fim de semana dos dias 24 e 25 de setembro, o Museu da Língua Portuguesa organiza mais uma edição do Sarau Língua Afiada, realiza visitas mediadas dentro da programação da Primavera dos Museus e estreia o projeto Domingo no Museu.

Na sétima edição do Sarau Língua Afiada, sempre sob o comando do ativista cultural Sérgio Vaz, os convidados serão a turma do Sarau Asas Abertas e o DJ Zeca, responsável pelo som. O evento vai acontecer no dia 24, sábado, no Pátio B do Museu, das 12h às 14h, com o microfone aberto para quem quiser dividir a sua poesia com o público presente.

O Núcleo Educativo, nos dias 24 e 25, às 10h e às 13h, prepara visitas temáticas dentro da programação da Primavera dos Museus. Com o tema Independência e museus: outros 200, outras histórias, o tour oferecerá um outro olhar sobre o bicentenário da Independência do país por meio do conteúdo encontrado na exposição principal do Museu da Língua Portuguesa. Para participar, não é necessário realizar agendamento; basta comparecer 15 minutos antes em um ponto próximo à bilheteria do pátio A. O visitante deve ficar atento, pois o número de participantes é limitado (15 pessoas por grupo): no sábado, a entrada é gratuita, enquanto no domingo é o valor do ingresso do Museu (R$ 20, a inteira, R$ 10, a meia).

No dia 25, domingo, acontece a estreia do Domingo no Museu, a partir das 11h, no Saguão B. Neste projeto, o Museu da Língua Portuguesa convidará famílias de bairros mais afastados do bairro da Luz, onde está localizado, para assistir a espetáculos artísticos – quem vier ao Museu ou estiver nele também poderá prestigiá-los. Neste dia, a atração é OLHARidade: contos de voz e de ver, do grupo Romarias, um coletivo de surdas e ouvintes que mescla teatro, poesia, narração de histórias e interação com o público por meio de linguagem bilíngue (português e libras).

O projeto É hora de história é a atração do dia 29 de setembro (quinta-feira). Nesta atividade, a atriz Ana Luísa Lacombe apresenta “Contos de Fadas Brasileiros”. Este espetáculo de contação de histórias vai começar às 14h, no Saguão B do Museu da Língua Portuguesa.

Para encerrar o mês, o Núcleo Educativo realiza a atividade Na Ponta da Língua, no dia 30 de setembro (sexta-feira), das 12h às 13h, no Saguão Central da Estação da Luz. Por lá, ele convida os transeuntes a participar de jogos sobre nosso idioma e a cultura popular. Nesta edição da ação, a brincadeira proposta será o Dê a Letra, na qual o participante será, digamos, desafiado a revelar se realmente sabe a letra de famosas canções da música popular brasileira.

 

SERVIÇO 

Projeto Com Viver – Ocupação UBS Bom Retiro 
Dias 21 e 28 de setembro
Das 14h às 15h30
No Saguão B do Museu da Língua Portuguesa
Grátis

 

lataforma Conexões – “CPTMúsica: Conversas, Piano, Travessias e Música”
Dia 21 de setembro
Das 14h às 15h
No Saguão B do Museu da Língua Portuguesa
Grátis

 

7º Sarau Língua Afiada – Com Sarau Asas Abertas e DJ Zeca
Dia 24 de setembro
Das 12h às 14h
No Pátio B do Museu da Língua Portuguesa
Grátis

 

Primavera dos Museus – Visita mediada “Independência e museus: outros 200, outras histórias”
Dias 24 e 25 de setembro
Às 10h e às 13h
No Museu da Língua Portuguesa
Grátis (no sábado) e R$ 20, inteira, e R$ 10, meia (no domingo)
Sem necessidade de inscrição prévia; grupos são formados 15 minutos antes próximo à bilheteria, no pátio A

 

Domingo no Museu – “OLHARidade: contos de voz e de ver”
Dia 25 de setembro
A partir das 11h
No Saguão B do Museu da Língua Portuguesa
Grátis

 

É hora de história – “Contos de Fadas Brasileiros”, com Ana Luísa Lacombe
Dia 29 de setembro
Às 14h
No Saguão B do Museu da Língua Portuguesa
Grátis

 

Na Ponta da Língua – Dê a Letra
Dia 30 de setembro
Das 12h às 13h
No Saguão Central da Estação da Luz
Grátis

 

Exposição principal 
De terça a domingo, das 9h às 16h30 (permanência até 18h)
R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Grátis para crianças até 7 anos
Grátis aos sábados
Acesso pelo Portão A (em frente à Pinacoteca)
Ingressos na bilheteria ou pela internet:
https://bileto.sympla.com.br/event/68203 

 

 

Museu da Língua Portuguesa
Praça da Luz s/n – Luz – São Paulo
Estacionamento conveniado (Garage K): entrada pela avenida Tiradentes, 248, e pela rua João Teodoro, 78

 

SOBRE O MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA
Localizado na Estação da Luz, o MLP tem como tema o patrimônio imaterial que é a língua portuguesa e faz uso da tecnologia e de suportes interativos para construir e apresentar seu acervo. O público é convidado para uma viagem sensorial e subjetiva, apresentando a língua como uma manifestação cultural viva, rica, diversa e em constante construção.

O Museu da Língua Portuguesa foi concebido e implantado em parceria com a Fundação Roberto Marinho. O IDBrasil é a Organização Social de Cultura responsável pela sua gestão.

 

PATROCÍNIOS E PARCERIAS
A reconstrução do Museu tem patrocínio máster da EDP e patrocínio do Grupo Globo, Itaú Unibanco e Sabesp – todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O apoio é da Fundação Calouste Gulbenkian.

A Temporada 2022 conta com patrocínio do Grupo Volvo, do Instituto Cultural Vale e do Itaú Unibanco, apoio da Booking.com e do Grupo Ultra e das empresas parceiras Cabot, Marsh McLennan, escritório Mattos Filho, Verde Asset Management, Faber-Castell e Bain&Company. Rádio CBN, Revista Piauí, Guia da Semana, Dinamize e JCDecaux são seus parceiros de mídia. A Temporada é realizada por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

 

Continuar Lendo

Eventos

Albertina Prates abre a exposição “Oculus”, no showroom da Tartaglia Arte – Galeria 221 de Melinda Garcia

Publicado

em

Albertina Prates abre a exposição itinerante “Oculus”, no showroom da Tartaglia Arte – Galeria 221 de Melinda Garcia, atendendo a pedidos após sucesso da individual de mesmo nome realizada em maio deste ano.
 
 
 
 A artista traz algumas das peças de grandes dimensões, que também ocuparão os corredores do Shopping Cassino Atlântico, com telas que esbanjam sensualidade e questionamentos.
 
 
 

A artista plástica Albertina Prates abre a exposição “Oculus” , atendendo a pedidos após o sucesso da individual de mesmo nome no Centro Cultural Correios RJ (maio/julho 2022), onde apresenta pinturas em grandes dimensões, com  proposta atemporal, pois fala do ser humano – homens, mulheres e crianças, em sua humanidade. Na composição das obras, o nu é o ponto de partida e  a vestimenta indica o tempo, produzindo pensamentos e criando perturbações, levando o espectador a estabelecer uma relação entre a natureza, a vida humana e sua interferência sobre outros seres vivos no planeta. 

A exposição, itinerante, pode ser visitada no showroom da Tartaglia Arte – Galeria 221 de Melinda Garcia e nos corredores do Shopping Cassino Atlântico, com curadoria de Riccardo Tartaglia e Regina Nobrez,  entre os dias 22 de setembro e 18 de outubro de 2022. “

 
 
“…As imagens de Albertina Prates nos convidam a sair da posição confortável de senhores da visão, levando-nos a situações de vertigens ou de pequenos imprevistos, fazendo-nos atravessar a estrutura da vigília e alcançar a sonoridade de situações silenciadas e indizíveis…” Lígia Czesnat – Professora do Departamento de História -UFSC e Artista Plástica.

SOBRE A EXPOSIÇÃO 

“Albertina Prates apresenta pinturas de dimensões gigantes. Para além de uma produção estética, suas pinturas podem ser consideradas como ato de produzir pensamento, demandar uma perturbação, um ruído, uma fissura. Albertina leva o espectador a estabelecer uma relação entre a natureza, a vida humana e sua interferência sobre os outros seres vivos no planeta.

As figuras de arquétipos mitológicos transitam no campo conceitual. E, antagonicamente, num plano mais contemporâneo, na linguagem que constituI o humano, reverberando as pesquisas de manipulação genética que se oferecem como um fio condutor ao estranhamento … a de que os seres humanos se estimulam a serem CO-CRIADORES com DEUS.. E,  nessa travessia,  a artista propõe reflexões às circunstâncias que resguardam os elos entre a terra e o homem – o homem, o céu e seu Deus. Sua poética se dá da obra para o planeta com sua fauna e flora, e a referência é o fazer HUMANO, onde se reconhece sua solidão indômita, sua força atávica, sua fragilidade e sua necessidade nata de conexão com o DIVINO.”

SOBRE ALBERTINA PRATES

Nascida em Criciúma, trabalha e mora em Florianópolis/SC desde 1975. “Na composição de minhas obras, o nu é o ponto de partida – a vestimenta indica o tempo e a minha proposta é o ATEMPORAL,  pois falo do ‘SER – HUMANO’ : homens, mulheres, crianças e sua HUMANIDADE”, explica a artista.  Admira  William Blake, Lucian Freud e Francis Bacon.
Formou-se em Artes plásticas – UDESC. Pós-graduada em Gerontologia – UFSC e em Artes Visuais Contemporâneas – UDESC.
Foi apresentadora do VARIEDADES Jornal do Almoço – TV RBS.  Atuou no cinema e no teatro como atriz, cantora, figurinista e direção artística.
Nas escolas de samba, como Carnavalesca, criando enredos, figurinos, carros e alegorias. Ilustrou livros de Odir Nascimento e Vilson Francisco de Farias. Criou o selo de emissão especial “Área de proteção Ambiental da Baleia Franca”. Criou cartões telefônicos – Brasil Telecom – Edição Colecionador.
Participou de Salões de Artes Contemporânea em Blumenau e Itajaí/SC. Criou grandes painéis em mosaico e em pintura acrílica em importantes obras públicas de SC. Tem pinturas espalhadas pelo Brasil e Europa em coleções particulares. Participa de exposições coletivas e individuais desde 1973.
A obra “BEEMOT” recebeu prêmio de reconhecimento em Belgrado (medalha de prata) – Serbia – Museum Night 2013
A obra “CASULO” recebeu prêmio de reconhecimento em Budapeste (medalha de ouro) – Nádor Galéria – e participou de uma exposição coletiva itinerante por Viena, Madri e Berlim (2013).
A obra “CHEIRO DE JARDIM” está catalogada no livro do Salon SNBA – Carrousel Du Louvre – Paris (2013).
A obra ¨CHEIRO DE JARDIM III¨ recebeu prêmio (medalha de prata) no SALÃO INTERNACIONAL DE ARTE – Araras/SP (2013).
Integra, como artista plástica, o livro ANTOLOGIA – 10 anos – ACALI – Academia Catarinense do livro (2013).
Seu nome consta do livro de Artes “INDICADOR CATARINENSE” – MASC.
Participa do Catálogo de Arte e do Anuário de Arte – ARTE ATUAL – Salvador/BA (2014)
Recebeu prêmio (medalha de bronze) SBBA – Rio International Exhibition – Rio de Janeiro (2014)
Participou da II BIENAL Internacional de Arte Contemporânea – Argentina (2014)
Participa do livro “ARTE BRASILEIRA NA CONTEMPORANEIDADE” – São Paulo e Nova York – Ed. Ornitorrinco (2016)
Participou da Bienal de Curitiba – Filme da Cineasta Mara Salla – Curta vídeo-Arte – “A ARTE QUE ME HABITA” (2017 e 2018).

Principais exposições individuais

“SANTA CATARINA DE ALEXANDRIA”- Espaço Cultural – UFSC (1992)
“TANGENDO PÚRPURA”- Casa da Cultura ESTÁCIO DE SÁ (2003)
“MULHERES DO NOSSO TEMPO” – Espaço Cultural do Centro de Eventos- São José (2006)
“VANITAS” – MASC/CIC (2009)
“PONTO FORA DA CURVA” – Espaço Cultural Lindolf Bell/CIC (2015)
“A PELE” – MASC/CIC (2017)
“HABITACULUNS” – Fundação Cultural BADESC (2017/18)
“ALBERTINA PRATES 1980-2019 – TARTAGLIA ARTE/Roma (2019). Espaço Cultural CORREIOS/Porto Alegre.
“OCULUS” – Centro Cultural Correios RJ 2022

Últimas Exposições Coletivas



“156 Anos de Cruz e Souza” – “DIZER E VER CRUZ E SOUZA” – MHSC – Florianópolis (2017)
“EPPUR SI MUOVE – MESC/BADESC” – Florianópolis (2018)
“CARTOGRAFIAS DO CAMINHAR” – Fundação Assis e MHSJ – Florianópolis (2018)
“OGNUNO IL SUO STILE” – Tartaglia Arte Roma e Centro Cultural Correios – Rio de Janeiro e Brasília (2018/19)
“DIALÉTICAS DO ENTORNO” – MHSC – Florianópolis (2019)
“ARTENDA” – ACAP – Maratona Cultural/Floripa Conecta – Florianópolis (2019)
“RESISTÊNCIA – ATO POÉTICO EM COR E FORMA” – Espaço Cultural Lindolf Bell/CIC – Florianópolis (2019).
  
 
SOBRE A TARTAGLIA ARTE

A Tartaglia Arte foi fundada em 1950 como um estúdio de pintura pelo artista Piero Tartaglia, então conhecido como Piery. Após alguns anos, criou um ponto de referência e encontro cultural com outros artistas e jovens talentos onde, sob a orientação do Mestre, desenvolveram seu estilo pessoal. A paixão avassaladora de Tartaglia  pela expressão pictórica com explosões de cor pura e contrastes violentos que tornam a tela viva, deu vida à Escola do Disgregacionismo.  Posteriormente fundou as Galerias, para exposição permanente de seus trabalhos e os de seus alunos, e que hoje são dirigidas pelo filho Riccardo.


O amor pela arte e uma visão cultural ampla são as peculiaridades deste grande artista, e representam sua herança moral e espiritual. Herança que continua sendo representada por Riccardo Tartaglia, que trabalha com a mesma seriedade e tenacidade na propagação da arte, através de exposições e eventos internacionais. Mas tudo com a assinatura de Riccardo Tartaglia e Regina Nobrez (Membro da Academia de Belas Artes do Rio de Janeiro e Embaixatriz Cultural com Honoris Causa, pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina – Honra da Arte de Florianópolis), o que confere um atestado de credibilidade e sensibilidade criativa.
Site: tartagliaarte.org
 


SERVIÇO

 
Exposição: “Oculus”
Artista: Albertina Prates @albertinaprates
Curadoria: Riccardo Tartaglia e Regina Nobrez
Instagram: @riccardotartaglia @reginanobreztartaglia
 
Data de abertura: 22 de setembro de 2022
Visitação: 22 de setembro a 18 de outubro de 2022
Assessoria de Imprensa: Paula Ramagem
Realização: Tartaglia Arte
 
Local: Showroom Tartaglia Arte – Galeria 221 Melinda Garcia
Shopping Cassino Atlântico
Av. Atlântica, 4.240 – 2º piso – Posto 6 – Copacabana – RJ
De segunda a sábado, das 12h às 19h
Entrada: gratuita
Classificação: livre

Continuar Lendo

Destaque