Connect with us

Gente

Sassá Sushi apresenta combinado especial para Dia das Mães

Published

on

A casa oferece opção leve e saborosa para os que não abrem mão da culinária japonesa, além de desconto no curso online do Mestre Sassá

Para celebrar o Dia das Mães, que acontece em 09 de maio, o Sassá Sushi – restaurante japonês com mais de 18 anos de tradição – oferece combinado especial. Elaborado por Alexandre Saber, mais conhecido como Mestre Sassá, são 56 peças entre sushis, sashimis, dyo’s e niguiris, acompanhadas por uma tábua de corte exclusiva, por R$259,90. Além disso, o combinado inclui também um voucher de 50% de desconto no curso online sobre culinária japonesa do Mestre Sassá.

Lançado recentemente, o curso conta com nove módulos, cada um com aproximadamente 15 minutos, onde é ensinado o preparo de um jantar completo para ser vir até dez pessoas. Entre os temas abordados, estão o tempero do arroz, sushis, sashimis e temaki de salmão, shimeji na manteiga, montagem de combinado e outros detalhes. Cada módulo oferece ainda um conteúdo extra com a lista de ingredientes e utensílios necessários, além de receitas e até um glossário. Mais detalhes sobre o curso podem ser conferidos pelo link (https://www.youtube.com/channel/UCnfQdGllCYoEIdKekSgTOAw).

A encomenda do combinado já pode ser feita pelas plataformas de delivery da casa, tanto pelo WhatssApp (11)99201-1605, como no site (www.sassasushi.com.br).

SOBRE SASSÁ SUSHI

Em 1998, Alexandre Saber, mais conhecido como Sassá, iniciou seu negócio na gastronomia, na garagem da casa onde morava com seus pais, no Jardins. Ali, passou cinco anos ensinando culinária japonesa para diferentes perfis de pessoas, acima de tudo, para os amantes das técnicas e iguarias, que queriam preparar um jantar para amigos e famílias. Com o passar do tempo e um portfólio de alunos cada vez mais interessado em ter mais experiências no local, Sassá decidiu ampliar seus serviços e abriu, em 2003, no Itaim, seu primeiro restaurante.

Já são 17 anos oferecendo seu menu no bairro. Na Horácio Lafer, 640, desde 2006, funciona restaurante, delivery e as sempre procuradas aulas de comida japonesa, onde ministra junto de sua equipe de sushimen, numa sala à parte, mas toda envidraçada, tornando possível para os alunos visualizarem também o dia a dia do restaurante. Visionário que é, em 2008, Sassá iniciou uma outra operação, advinda do mesmo ponto do Itaim e que, à época, era ainda muito pouco explorada na cidade, o delivery. Hoje, o serviço sai de cinco diferentes pontos da cidade, desde o Jardins e Morumbi, onde fica a cozinha central, aos novos endereços da Vila Leopoldina e Tatuapé, que atendem 12 mil pedidos por mês. 

Empreendendo a todo momento, Sassá ao lado de seu sócio já possuem um pequeno conglomerado em torno da marca Sassá Sushi, composta por presença no varejo, além de serviço de catering e a empresas, onde instala geladeiras self service para os colaboradores se servirem de maneira fácil e prática. “É uma história de paixão e muito trabalho, partindo do simples desejo de reunir os amigos em casa.”, define Sassá.

Serviço – Sassá Sushi Itaim

Endereço: Av. Horácio Lafer, 640 – Itaim Bibi – São Paulo – SP
Telefone – Itaim Bibi: (11) 3078-4538
Telefone Delivery: (11) 5183-3898 / (11)99201-1605

Plataforma Delivery: www.sassasushi.com.br
Capacidade: 80 pessoas
Horários de Funcionamento – Itaim: 
– Segunda a sexta: das 12h às 15h / das 19h às 23h
– Sábado: das 12h às 23h
– Domingo: das 12h às 23h
Formas de pagamento: Visa, Master, Amex, Alelo, Ticket Restaurante, Sodexo
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCnfQdGllCYoEIdKekSgTOAw
Instagram: @sassasushi

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gente

Cresce procura por veículos na internet, mas insegurança na entrega ainda afasta clientes

Published

on

As vendas de veículos na internet cresceram 20% no segundo semestre do ano passado, na comparação com primeiro semestre de 2020, durante a Pandemia, de acordo com uma pesquisa divulgada pela OLX, uma das maiores plataformas de e-commerce do país.
O levantamento, divulgado pelo jornal Extra, aponta que 16% dos usuários do site que estavam interessados em um novo veículo tinham como objetivo trabalhar com serviços de entrega e aplicativos de transporte.
Segundo especialistas, a procura pela compra de veículos para trabalho está relacionada com os maiores índices de desemprego e a ampliação do mercado autônomo de transportes como válvula de escape para quem precisa recompor a renda familiar.
Dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), apontam que 2021 começou com queda na venda de veículos no Brasil. A comercialização de automóveis leves caiu 11,7%, na comparação entre janeiro de 2020 e o mesmo mês deste ano. Com relação a dezembro do ano passado, a queda registrada é de 30,17%.

Para Caitano Marcatto, especialista em logística de veículos, mesmo com a Pandemia, os números do setor poderiam ser melhores, a queda no índice de vendas de carros, motos e utilitários pela internet poderia ser ainda maior, mas ainda há muita insegurança por parte dos usuários.
Ele destaca que “nem todas as vendas de usados em plataformas como o OLX e Mercado Livre acabam sendo concretizadas por causa do receio dos compradores com relação à garantia de entrega e qualidade do produto”.
Diferente do que acontece com outros itens comercializados nas plataformas de e-commerce, os sites não acompanham até o fim a venda de veículos, bens de grande valor agregado, e apenas apresentam os produtos como vitrines virtuais, só viabilizando contato entre comprador e vendedor, deixando o fechamento do negócio sob responsabilidade das partes.
O professor universitário Marcos Melo passou por essa situação. Na busca por um modelo específico, percebeu ter sido alvo de inúmeras ofertas fraudulentas e, na dúvida, preferiu “abrir mão de propostas de fora de Salvador”. Ele achou um carro dentro do perfil desejado em um bairro próximo de casa e optou por inspecionar o veículo pessoalmente, antes de fechar negócio.
Já o empresário Claudio Urpia enfrentou várias situações de tentativas de fraude antes de conseguir comercializar o carro por uma das plataformas, em Brasília. Segundo ele, após inúmeras tentativas, “foi melhor vender o veículo abaixo do que valia para acelerar o processo”. Ele até desistiu de comprar o novo carro pela internet, justamente para não experimentar os mesmos riscos que presenciou na venda do anterior.
Caitano Marcatto é CEO da EVO!, uma startup voltada para a transporte de veículos. Ele defende que mais pessoas podem passar a ter segurança para comprar carros, motos e utilitários pela internet com a oferta de um serviço de entrega transparente, que disponibiliza o acesso a um valor de frete mais em conta, que permite o rastreamento do bem até o destino final e garante a segurança da chegada do produto. Para atender essa necessidade do mercado a EVO! desenvolveu o Car Delivery.
Marcatto acredita que “a aplicação do Car Delivery no fluxo de compras das grandes plataformas de vendas de carros pode favorecer o comércio de veículos no mundo virtual. Com uma estratégia bem montada, seguindo uma cadeia operacional, o pagamento da transação feito pelo comprador ficaria congelado, como uma caução, e só seria efetivado após o fim do processo de entrega do bem”, afirma.
O Car Delivery já está disponível em todos os estados do país, por meio do endereço www.transportedeveiculos.com.br e pode ser contratado de forma avulsa por qualquer usuário.
Com um pequeno in…

Continue Reading

Gente

Advogada Katia Meira fala sobre direitos LGBTQIA+ na Live “Conhecer para Acolher”

Published

on

Somos Todos Iguais, afirma a Presidente da Comissão Especial da Diversidade Sexual e Gênero, da OAB Barra RJ.
É importante saber que a orientação sexual e a identidade de gênero de cada pessoa não é uma escolha e que as pessoas LGBTQIA+  têm os mesmos direitos que as demais. A Declaração Universal do Direitos Humanos de 1948 garante a igualdade em dignidade e direitos como inerente a todos os seres humanos. A Organização Mundial da Saúde (OMS), por exemplo,  mudou o entendimento sobre transgeneridade em seu guia, que serve de referência para estatísticas e diagnósticos médicos: ser transgênero – em geral, ter uma identidade de gênero que não corresponde ao seu sexo atribuído ao nascer – não é mais considerado doença.


Como ter acesso a essas informações?
No dia 13 de maio, às 19h, a Comissão Especial da Diversidade Sexual e Gênero, da OAB Barra RJ, apresenta a Live “Conhecer Para Acolher”, pelo canal do YouTube, onde sua presidente, a advogada Katia Meira divulgará a existência da Comissão, projetos que possam contar com a participação do empresariado da Barra, e a importância de uma comissão como essa, para esclarecer o que significa a sigla LGBTQIA+, identidade de gênero, orientação sexual e seus direitos. 
Katia  Meira atua como conselheira da Ordem dos Advogados do Brasil e delegada de prerrogativas na subseção Barra da Tijuca da OAB RJ. Seu histórico na luta pelas causas sociais e dos direitos humanos foram fundamentais e decisivos para chegar nesse lugar de defesa, luta e conscientização dos direitos dos indivíduos. É importante que este tema esteja em discussão. Falar sobre gênero e sexualidade é parte da construção do respeito à diferença, e dá oportunidade de conhecer outras ações, que não necessariamente o preconceito e a violência com o que  ‘parece’ diferente.
“Nossa missão é executar um trabalho onde tenhamos uma linguagem única após o entendimento de todos os conceito, dar acesso à informação e educação para que todos sejam tratados de forma igualitária, trazer o empresariado para serem parceiros e caminharem ao nosso lado. Não vamos resolver todos os problemas, mas criar uma cultura de respeito e igualdade”, afirma Katia Meira.
A Comissão Especial da Diversidade Sexual e de Gênero foi criada durante a pandemia pela OAB-RJ da Barra, pelo presidente do conselho subsevcional da 57ª subseção da Ordem dos Advogados do Brasil, do Estado do Rio de Janeiro, Dr. Marcus Soares, através da portaria número 1239/2020, fundamentando atuação e atividades.
Instagram: @diversidadeoabrj_barra

Continue Reading

Gente

O que a sua empresa tem feito para reaproximar os times?

Published

on

Por Lucas Biânchiní

Em tempos de distanciamento social, a relação entre colaboradores e gestores ganhou novas camadas, por isso, já respondendo à pergunta do título: muitas organizações não têm feito nada para melhorar a relação dos profissionais.

É notório que a “dificuldade” até então com a tecnologia ou com o digital não é mais uma realidade, ou não deveria ser. Hoje as organizações não podem se dar ao luxo de pensar se mudam ou não. A economia aberta, globalização e flexibilidade fazem com que a mudança seja imperativa. Onde se adaptar já não é uma pergunta senão um dever. Essas demandas se tornaram essenciais para a sobrevivência de qualquer empresa, daqui em diante o foco está em ter uma cultura que mantenha a empresa coesa e adaptável para enfrentar novos momentos de crise e mudança. 

O que ficou evidente nesse cenário de trabalho a distância em muitas empresas foi a cultura da insegurança. O que mais vimos nos líderes foi uma grande incapacidade de confiar no time que, até então, ele tinha contato físico diário. Já que muitos deles ainda se viam como responsáveis por todas as tomadas de decisões que envolviam a sua área, não conseguiram assumir que nem sempre eles vão poder estar diretamente envolvidos.  

Um dos maiores erros da liderança remota é o micro-gerenciamento. Esse erro também acontece no presencial: é aquela famosa “pescoçada” para olhar o que o funcionário está fazendo naquele momento, mas no digital essa prática assume um outro patamar. Quando o gestor começa a querer centralizar a tomada de decisões, fiscalizar quem está online, se o colaborador já fez cada ação programada de cinco em cinco minutos isso gera um clima de desconfiança dentro da empresa.  

O desafio do líder nesse novo cenário é permitir que o time consiga tomar decisões e trabalhar em rede, assumindo um papel de facilitador. Liderar pelo exemplo ainda é um ponto chave, já que não faz sentido exigir do time, inovação, colaboração e agilidade, sendo que a rotina desse profissional reflete o posto desses comportamentos.  

Para que isso se torne realidade, os gestores têm que realmente trazer à prática os valores que estão descritos no site da empresa e que muitos nem sabem quais são. Para uma organização passar por esse processo de mudança é necessário ter essa liderança muito engajada em ensinar e promover um ambiente inclusivo de aceitação ao erro e dar o exemplo do que fazer e do que não fazer.  

Uma dica prática para quem ainda está nesse momento de mudança é criar espaços para adaptações. Faz muita diferença proporcionar momentos em que a equipe possa compartilhar o que está funcionando e o que não está. Esse feedback, se bem trabalhado, seja por meio de uma reunião remota semanal, ou uma ferramenta de comunicação assíncrona, dará insumos para que esse líder pense em formas de evoluir.  

Pensando na comunicação, sendo ela ainda o grande problema de muitas organizações, é preciso esquecer a comunicação por interrupção. O imediatismo cria uma cultura de ansiedade que só atrapalha o time. Também é válido manter uma estrutura remota que proporcione colaboração real para a equipe. O WhatsApp, um e-mail e uma sala no zoom não são um escritório virtual. Além da comunicação ficar desorganizada e misturar vida pessoal e profissional, essas ferramentas não são eficientes. Ter um período diário claro de trabalho em que os colaboradores estarão disponíveis e fazer uma daily meeting, muitas vezes pode apoiar na tomada de decisões rápidas e maior compartilhamento de informações entre o time de forma otimizada.  

E por último e mais importante, é preciso estimular a autonomia e confie no time! Dar clareza para a equipe sobre o objetivo a ser alcançado é muito mais importante do que falar quais tarefas precisam ser feitas. Muito mais eficaz do que delegar tarefas é lançar bons desafios. Com certeza, o resultado de inovação e mudança que uma equipe com liberdade trás fará muita diferença em qualquer cultura. 

Lucas Biânchiní

Sócio da Conexão Talento, Administrador formado pelo Ibmec, Líder dos times de Inovação, Marketing e Pessoas. Responsável pela construção de diversos projetos de consultoria de RH para pequenas, médias e grandes empresas. Master Practitioner em Programação Neurolinguística (INAp). Especialista de Assessment em MBTI (Fellipelli) e DISC (Solides). Com diversas formações e projetos realizados nas frentes de Design Thinking, Cultura, Estratégia Digital, Scrum, Kanban, OKR’s, Cargos e Salários, Marketing Digital, Inovação em Educação, dentre outros.

Continue Reading

Destaque

Copyright © 2021 ocimar.com. Todos os direitos reservados.