Connect with us

Cultura

Auxílio emergencial: ajuda,queixas e devoluções

Published

on

Catiane Cabral, advogada*

Depois de um período sem resposta, finalmente o governo federal anunciou a prorrogação por mais dois meses o pagamento do auxílio emergencial. Os beneficiários vão receber mais duas parcelas no valor de R$ 600, que talvez possam ser divididos em mais de um pagamento no mês, segundo o Ministro da Economia.

Essa medida, amparada na Lei nº 13.982, de 2 de abril de 2020, tem ajudado muitas pessoas desde o início, apesar da demora na aprovação e de algumas queixas. As principais reclamações são instabilidades dos meios de acesso, além de inconstâncias nas informações. Como diversas alterações foram feitas desde o momento da publicação do decreto, isso criou uma sensação de insegurança por parte da população, sobretudo a parcela mais carente dela.

Outro problema foi a divulgação de difícil linguagem por parte das autoridades competentes, o que contribuiu para uma complicação nesses tempos de pandemia. Isso também mostrou quantas pessoas estão excluídas do mundo digital. Algumas pela falta de habilidade com a tecnologia outras pela falta de computador ou smartphone e acesso à internet.

Ainda tivemos erros de cadastramento cometidos por quem solicitou o auxílio. Muitos não se atentaram aos dados na hora de preenchimento, além de não observar se realmente preenchiam os requisitos necessários para a concessão do benefício. Esses fatores contribuíram para negação de muitos pedidos, o que também atrasou a vida de muita gente.

Quem teve o benefício negado, é necessário entender o motivo. Será que realmente preencheu os requisitos? A regra principal é não ter um emprego formal, ou seja, de carteira assinada. O auxílio só é pago a desempregados, trabalhadores informais e Micro Empreendedor Individual (MEI).

Por exemplo, precisa ter mais de 18 anos de idade, exceto se for mãe adolescente. A família só pode ter renda de até três salários mínimos (R$ 3.135), não pode estar recebendo seguro desemprego, não pode ter recebido durante o ano de 2018 mais de R$ 28.559,70, não receber benefício previdenciário ou assistencial, exceto o Bolsa Família.

Mas houve também quem obteve o auxílio sem preencher o requisito. Talvez por falha no sistema ou por mentir no momento do cadastro. Mas o que fazer para devolver a quantia e não enfrentar problemas na justiça futuramente? Para isso, o Ministério da Cidadania disponibiliza o site devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br. Por meio dele, é possível fazer a devolução das parcelas recebidas incorretamente.

Basta informar o CPF da pessoa, selecionar a opção de pagamento da GRU – “Banco do Brasil” ou “qualquer Banco”, seguir as instruções e clicar no botão “Emitir GRU”. Portanto, fique atento, busque seus direitos e tome cuidado com irregularidades.

(*) Catiane Cabral é advogada formada pela UNIG, pós graduada em Direito Previdenciário na faculdade LEGALE e pós graduada em Processo Civil e Gestão Jurídica pelo IBEMEC.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Teatro a distância: espetáculo “Cantos de Xícaras” está em cartaz na Cora Residencial Sênior

Published

on

Apresentações online acontecem em todas as unidades. Enredo aborda memórias e afetividade. 

Na Cora Residencial Senior, os residentes vivem novas experiências, com muita segurança, mesmo durante a pandemia. Desde março, está em cartaz, com transmissão online, o espetáculo teatral “Cantos de Xícaras” nas unidades Jardins, Higienópolis, Tatuapé, Ipiranga e Campo Belo.

“A iniciativa cultural da Cora é um sucesso e tem gerado reverberações incríveis por toda a nossa comunidade. Somos todos tocados de alguma forma. Após cada transmissão, promovemos um momento de conversa, onde podemos trocar experiências e reflexões. Ao final de cada apresentação, a atriz envia uma mensagem personalizada aos residentes, fazendo com que a experiência seja tão real e palpável, como se estivéssemos dentro do teatro”, afirma Guilherme Almeida, artista educador da Cora Residencial Senior.

“A peça me trouxe muita felicidade, porque me fez retornar ao meu passado, à minha adolescência.  Eu senti que todo o grupo se sentiu representado nas histórias das xícaras. Eu, por exemplo, me lembrei de quando era jovem e recebia visitas em casa. Eu tinha um aparelho e um carrinho de chá que ficavam na sala de visita, porque, naquele tempo, não era comum você oferecer um cafezinho para a visita. O mais usual era você oferecer um chá, acompanhado de bolo e biscoitos amanteigados, e a peça me trouxe essa recordação”, conta, emocionada, a residente Ana Guidi, de 79 anos.  

As boas lembranças do passado também foram experimentadas pela residente Arlette Salles, de 85 anos. “Me lembrei de quando meus tios e tias nos visitavam e ficavam ali tomando chá com meus pais. Me lembrei de um jogo de xícaras de porcelana que meu marido amava. Eu agradeço por esses momentos de alegria e boas lembranças da minha família. Me trouxe uma emoção tão grande que estou emocionada até agora.” 

A peça “Cantos de Xícaras” conta a história de uma xícara centenária que decide compartilhar com o público suas experiências, promovendo reflexões sobre vida, tempo e existência. O espetáculo tem produção de Ana Elisa Mello e Samya Enes, com direção, dramaturgia e interpretação de Helena Miguel.  


Sobre a Cora Residencial SeniorA Cora foi criada em 2015, com o objetivo de revolucionar o conceito de instituição de longa permanência, rompendo com o antigo modelo de casas de repouso. Atualmente com cinco unidades, está presente em bairros com localizações estratégicas na cidade de São Paulo. Cora é referência em cuidado aos idosos, oferecendo equipes de assistência multidisciplinar, estruturas completas, segurança e socialização para maiores de 60 anos. O atendimento nas unidades diferencia-se por proporcionar cuidado, afeto e atenção profissional para o bem-estar e qualidade de vida dos idosos. 

Continue Reading

Cultura

Japan House São Paulo

Published

on

A Japan House São Paulo informa que reabrirá as portas da sua sede, localizada na Avenida Paulista, 52, a partir do dia 01 de maio. Com horário de funcionamento reduzido para cinco horas diárias, das 11h às 16h, de terça-feira a domingo, a instituição seguirá atuando em conformidade com as orientações da Organização Mundial da Saúde, Ministério da Saúde e Secretarias Estadual e Municipal de Saúde visando contribuir para a não disseminação da Covid-19.

As lojas SHIN, Furoshiki e o Café Sabor Mirai, localizadas dentro da Japan House São Paulo, acompanham a data de abertura e horário de funcionamento a partir do dia 01 de maio. Para informações sobre o restaurante Aizomê (reservas e horários) consulte www.aizome.com.br .

Seguindo todos os protocolos de segurança, a visitação permanece livre e gratuita, e agora com capacidade de público limitada a 25%. Com a conquista do selo Safeguard, da Certificadora Internacional Bureau Veritas, que atesta a implementação de rígidos padrões de higiene e medidas de proteção de segurança sanitária, continuam em vigência a obrigatoriedade do uso de máscaras pelos visitantes e colaboradores; disponibilização de dispensers de álcool em gel em vários pontos; tapetes desinfetantes no acesso à instituição; aferição de temperatura corporal de todos os visitantes; demarcações no chão para garantir o distanciamento social de 1,5 metro; aumento na frequência da higienização de todos os ambientes; apresentação das medidas de segurança por meio de vídeo e QR Code.

Os espaços expositivos reabrem com as mostras “DŌ: o caminho de Shoko Kanazawa” e “Embalagens: designs contemporâneos do Japão” e há duas formas de programar a visitação: por meio de reserva online pelo site https://agendamento.japanhousesp.com.br/; ou diretamente na instituição, conforme ordem de chegada. Além disso, a instituição mantém a programação nas plataformas digitais (site, facebook, instagram, twitter e podcast) para compartilhar com o público as diferentes vertentes do Japão. Para acompanhar as novidades, basta acessar as redes sociais @JapanHouseSP ou pela #JHSPONLINE.

Reabertura Japan House São Paulo

Dia 01 de maio de 2021

Avenida Paulista, 52

Horário de funcionamento: Terça-feira a domingo

Horário: das 11h às 16h

Entrada livre e gratuita

Para informações e reserva online antecipada:: https://agendamento.japanhousesp.com.br/

Confira as mídias sociais da Japan House São Paulo:

Site: www.japanhouse.jp/saopaulo  

Instagram: @japanhousesp 

Twitter: //twitter.com/japanhousesp 

Youtube: www.youtube.com/japanhousesaopaulo 

Facebook: https://www.facebook.com/JapanHouseSP

LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/japanhousesp 

Sobre a Japan House São Paulo (JHSP):

A Japan House é uma iniciativa com a finalidade de divulgar os diversos atrativos, atividades e medidas governamentais do Japão, ampliando o conhecimento de toda a comunidade internacional referente à cultura japonesa. Inaugurada em 30 de abril de 2017, a Japan House São Paulo foi a primeira a abrir as portas, seguida por Londres (Inglaterra) e Los Angeles (EUA). Atua como plataforma pública na geração de oportunidades de cooperação e intercâmbio entre o Japão e o Brasil, nas mais diversas áreas como artes, negócios, esportes, design, moda, gastronomia, educação, turismo, ciência e tecnologia. Apresentando o Japão, promove exposições, seminários, workshops e inúmeras outras atividades em sua sede, em outros espaços e digitalmente. Em fevereiro de 2020, a Japan House São Paulo alcançou a marca de 2 milhões de visitantes, sendo considerada uma das principais instituições culturais da Avenida Paulista. Desde abril de 2020, a instituição possui a Certificação LEED na categoria Platinum – o mais alto nível de reconhecimento do programa – concedida a edificações sustentáveis.

Continue Reading

Cultura

Museu do Futebol lança nesta terça (27) o Audioguia Mulheres do Futebol, narrado por Leci Brandão

Published

on

Audioguia estará disponível como nova camada de conteúdo nas salas do Museu e nas plataformas digitais, para ser ouvido de qualquer lugar

O Museu do Futebol, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, lança nesta terça-feira (27) o Audioguia Mulheres do Futebol. Resultado da campanha de financiamento coletivo Minha Voz faz História, projeto selecionado pelo Programa Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural, o audioguia narrado pela cantora e compositora Leci Brandão reúne 100 anos de histórias das mulheres do futebol brasileiro, passando pela trajetória de atletas, treinadoras, árbitras, jornalistas e torcedoras.

Apoiado por 343 benfeitores, o audioguia será disponibilizado como um complemento à exposição de longa duração do Museu do Futebol, apontando os itens e trazendo histórias do futebol feminino relacionadas ao tema de cada uma das salas. Na Sala Heróis, por exemplo, são destacadas as heroínas da modalidade; os causos do Mundial feminino são contados na Sala Copas do Mundo; enquanto na Sala Exaltação, a narração traz histórias das torcedoras que ocupam as arquibancadas e lutam pelo direito de torcer.  

Há também homenagens a grandes jogadoras. Na Sala Anjos Barrocos, Leci conta a trajetória de Sissi, primeira grande camisa 10 da seleção brasileira feminina, e de Cristiane, maior artilheira dos Jogos Olímpicos, enquanto no espaço dedicado a Pelé e Garrincha, as homenageadas são Marta e Formiga.

Além de complementar a visita ao Museu, o Audioguia Mulheres do Futebol também será disponibilizado em plataformas digitais como SpotifyYouTube e no https://app.museudofutebol.org.br/, para que as histórias das mulheres do futebol possam ser ouvidas e utilizadas em ações educativas em qualquer lugar do Brasil e do mundo.

O lançamento será feito durante a mesa de encerramento do seminário “Proibidas e Insurgentes – Os 80 anos da lei que vetou mulheres no esporte”, na próxima terça-feira (27), às 17h, com transmissão gratuita pelo YouTube e Facebook do Museu. O teaser já está disponível: https://bit.ly/3ejfLyj.

Sobre o Museu do Futebol – O Museu do Futebol está instalado em uma área de 6,9 mil metros quadrados sob as arquibancadas do Estádio do Pacaembu. É um espaço interativo, lúdico e multimídia, no qual a história do esporte mais popular do Brasil se confunde com a própria história do país. É uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo, com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e é gerido pelo IDBrasil, Organização Social de Cultura.

A Temporada 2021 do Museu do Futebol tem o patrocínio do Aché Laboratórios Farmacêuticos, que também patrocina o projeto “Museu Amigo do Idoso”. Tem como apoiadores: Sportv/Globo, EMS Farmacêutica, TIVIT, Evonik, Pinheiro Neto Advogados e Governo Federal, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. A Rádio CBN, UOL, Revista Piauí, Gazeta Esportiva e Guia da Semana são seus parceiros de mídia.

Continue Reading

Destaque

Copyright © 2021 ocimar.com. Todos os direitos reservados.