Connect with us

News

Pesquisa inédita aponta 14 tendências para a indústria de moda e beleza voltada às mulheres 50+

Published

on

Conduzida pela Dezon, Hype60+ e Tsunami60+, a pesquisa “Wellness & Beleza Prateada” analisa hábitos comportamentais e dinâmicas sociais do consumidor brasileiro com mais de 50 anos. Com foco nas indústrias de beleza, moda e bem-estar, o estudo destaca um recorte com as 14 tendências que vão nortear o futuro e o desenvolvimento de produtos, serviços e da comunicação. As análises foram agrupadas nas dimensões Demanda Latente, Oceano Prateado, Territórios de Inovação e How To?

São Paulo, 9 de março de 2020 – Envelhecer é uma novidade. Por mais que a frase pareça uma contradição, o ser humano está vivendo mais. Como resultado da conquista da longevidade, temos encontrando desafios socioeconômicos nunca enfrentados e que demandam mudanças de paradigmas sobre a idade. Para sobreviver nesse futuro prateado, as marcas precisam operar uma mudança de mindset – até então orientada por uma obsessão pela beleza juvenil – para enxergar o enorme potencial da Economia da Longevidade. São os consumidores com mais de 50 anos que vão ensinar aos gestores de marcas sobre os hábitos, desejos e o mercado emergente que está se formando para uma população cada vez mais longeva. O futuro é velho e para entender os drivers de consumo desse novo mundo e apontar as tendências para os mercados de beleza, moda e bem-estar, a Dezon, Hype60+ e Tsunami60+ conduziram a pesquisa Wellness & Beleza Prateada, que foi divulgada no domingo, 8 de março, na Unibes Cultural.

O Brasil conta com mais de 30 milhões de pessoas com mais de 60 anos: 54 milhões, se considerarmos os 50+, de acordo com projeções do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As mulheres maduras já representam 13,7% da população, ultrapassando os 29 milhões de pessoas – o equivalente a quase três vezes a população de Portugal. “Os maduros de hoje têm um estilo de vida e hábitos de consumo que eram, há três décadas, associadas aos jovens. Namoram online e têm vida sexual ativa; trabalham; são ativistas de causas modernas; continuam curtindo rock e buscando aprimoramento intelectual e profissional. A definição de idoso está muito velha”, analisa Layla Vallias, cofundadora da Hype60+ e uma das coordenadoras da pesquisa, acrescentando que um dos erros mais comuns é considerar os idosos uma massa de consumidores com desejos e necessidades iguais. “Além das diferenças etárias, quando pensamos nas mulheres maduras, vemos que elas são as protagonistas dessa Economia da Longevidade; são elas que estão liderando o orgulho prateado”, afirma.

Para Bete Marin, cofundadora da Hype60+ e idealizadora do movimento Beleza Pura, embora as mulheres maduras representem um volume gigante da população e sejam as protagonistas da Revolução da Maturidadeelas são ignoradas pelas marcas. “Elas não estão na publicidade. Repare no anúncio de xampu, na vitrine das lojas e no e-commerce, ou nas campanhas de redes sociais. As mulheres maduras ainda são invisíveis na publicidade. Em Cannes de 2019, mais de 70% das agências de publicidade afirmaram nunca ter recebido um briefing voltado para o público sênior, apesar de serem responsáveis por 50% do consumo global. E, para piorar, se um departamento de marketing descobre que a média de idade do seu público mudou, isso é motivo de desespero. Afinal, sua marca está envelhecendo”, alerta.

Para trazer visibilidade ao Tsunami Prateado global e auxiliar as marcas a repensar produtos, serviços e posicionamento, Dezon, Hype60+ e Tsunami60+ apresentam a pesquisa inédita Wellness & Beleza Prateada.

PRINCIPAIS CONCLUSÕES | WELLNESS & BELEZA PRATEADA

Em DEMANDA LATENTE, a pesquisa aborda o quão invisível é o público maduro. Hoje, a população de brasileiros com mais de 60 anos cresce 3% ao ano, ou seja, um crescimento maior que qualquer outro grupo, em especial, de jovens. As estimativas mais conservadoras apontam que os maduros vão representar 25% da população mundial até 2040, formando um contingente de 2,1 bilhões de pessoas no mundo. Esse Tsunami Prateado – no Brasil, um grupo de 30 milhões – continua a ser ignorado por marcas e empresas. “Essa falta de visão não é uma prerrogativa do Brasil. Nos Estados Unidos, somente 15% das empresas já definiram alguma estratégia focada no público maduro”, analisa Bete Marin, cofundadora da Hype60+.

Embora as relações amorosas sejam importantes e desejadas em qualquer idade, na maturidade elas se tornam mais relevantes. Nesse momento da vida, a busca pela pulsão de vida é grande. Muitos brasileiros chegam à maturidade com verdadeiros companheiros de jornada; a perda de parceiros, então, é uma preocupação para os que estão casados. Para quem já vivenciou a perda, a encontra de um novo parceiro torna-se essencial para dar um “brilho” aos dias. A pesquisa Tsunami60+ revela 68% dos entrevistados estão em um relacionamento; 76% dos mais de 1.700 maduros ouvidos pelo estudo declararam estar satisfeitos com a vida afetiva atual; entre os com mais de 75 anos, esse índice sobre para 86%.

Em OCEANO PRATEADO, a pesquisa analisa o desejo de consumo dos 60+. As mulheres maduras apontam a invisibilidade como principal desafio, sobretudo porque as marcas têm falhado em não conhecerem os gostos, corpos e estilo de vida. A palavra “exclusão” define o sentimento de ser ignorado pelas marcas. Quatro entre 10 maduros com mais de 55 anos declararam que não há produtos e serviços para consumidores com a idade deles, sendo as mulheres as que mais reclamaram do fenômeno: 43% delas contra 20% deles. As categorias mais apontadas – e com maior demanda por parte do consumidor maduro – são vestuário, calçado e acessórios (56%); alimentos diet ou sem glúten (40%); serviços de turismo (36%); cursos (31%); soluções para acessibilidade em casa (28%); produtos de beleza e higiene pessoal (27%); e cursos de línguas/intercâmbio (22%).

Consumo | Quando perguntados qual seria o desejo, a resposta é simples: unir a estética contemporânea e atrativa ao conforto e usabilidade, levando em consideração as demandas específicas dos corpos com mais de 60 anos. No subtexto, romper com o estereótipo das cores neutras, da linguagem pastel e sem vida. “As mulheres, na maturidade, vivem uma fase de liberdade. Elas se sentem livres para viver e ser o que quiserem, pois já cuidaram dos filhos e do marido; agora, querem cuidar de si. Estão abertas para novos aprendizados, novas amizades, novas paixões. Muitas decidem se separar para viver um novo romance consigo mesma”, detalha Layla Vallias.

A nova geração de mulheres brasileiras 50+ é formada por baby boomers – nascidas entre 1945 e 1964 – e têm, hoje, entre 54 e 73 anos. Agentes de grandes transformações econômicas e sociais no mundo – foram elas que queimaram o sutiã –, as maduras são ativas, ganham mais do que a média da população e gastam mais com elas mesmas; 83% acham a beleza importante; 80% consomem cosméticos; e 90% não se sentem representadas na comunicação das marcas de cosméticos. Segundo Bete Marin, essas mulheres sentem orgulho da sua idade e trajetória.

“Militaram contra a ditadura na juventude e hoje questionam o anti-aging. Elas querem viver a idade com liberdade; desejam consumir produtos e serviços que acompanhem esses desejos e um dos pontos é banir essa proposta da indústria de beleza que devem parecer jovens”, afirma a executiva, citando o estudo do Reino Unido, conduzido pela Royal Society for Public Health, que evidenciou que 49% das mulheres maduras se sentem pressionadas a continuar parecendo jovem – o que causa um grande impacto na saúde emocional, física e mental. No país, mulheres entre 50 e 70 anos já representam 58% do mercado de beleza britânico e 82% dessas consumidoras sentem que as roupas feitas para elas são antiquadas e não as representam.

Apesar de representarem 50% do consumo mundial, 70% das agências nunca recebeu um briefing para criar uma campanha para maduros. Em 2020, a Silver Economy, como é conhecida nos Estados Unidos, deve movimentar US$ 15 trilhões, de acordo com levantamento do Bank of America Merrill Lynch. Na prática, essa é a terceira maior atividade econômica do mundo. No Brasil, oito em cada 10 maduros têm renda própria e não vivem somente da aposentadoria. Entre as mulheres, esse número sobre para nove. “Nesse ano, no mundo, o número de mulheres chegará aos 500 milhões e elas são as principais shoppers e protagonistas da longevidade”, afirma Bete.

Na dimensão TERRITÓRIOS DE INOVAÇÃO, a pesquisa aponta para as 14 oportunidades de desenvolver produtos, serviços, experiências e criar posicionamentos de comunicação alinhados ao lifestyle da nossa geração de maduros. Com análise da especialista em tendências Iza Dezon, da Dezon Consultoria Estratégica – representante oficial da Peclers Paris no Brasil –, o estudo traz conceitos como Transgeracional; Forte, não Fragile; Cosméticos Universais; Idade Emocional; Quebrando tabus; Wellness Educativo; New Age, Better Age; De dentro pra fora; Beleza Prateada; Femcare; Bactérias Saudáveis; O brilho da idade; Escape Sensorial; e Alta Performance.

Segundo Iza, os Territórios trazem insights consistentes para que as marcas possam inovar a partir de um real e profundo conhecimento desse público consumidor. Em Transgeracional, primeira tendência do estudo, a especialista faz uma provocação focada na criação de produtos que possam ser usados por diferentes gerações, algo como o que a marca Benetton atingiu; Forte, não fragile – segunda tendência – fala sobre a necessidade de enxergar para além do estereótipo de fragilidade e debilidade física trazidas pela idade. “É preciso substituir essa noção pela força e potência que a idade traz”, afirma, acrescentando que apenas 10% dos brasileiros com mais de 55 anos acreditam que a palavra “idoso” define uma pessoa madura. Aliás, um a cada três prefere a palavra maduro por ser uma designação mais propositiva.

Na terceira tendência, Cosméticos Universais, a especialista questiona o quanto o uso de inúmeros produtos – com diversos passos de aplicação – se tornou uma prática que não dialoga com a contemporaneidade. A proposta é a criação de produtos para aplicar em vários tipos de peles, corpos, áreas do corpo, idades. Em Idade Emocional, a reflexão trazida pela escritora Perla Servan Schreiber, de 75 anos, sobre a noção imaginária que temos da própria idade – que não corresponde à realidade cronológica do envelhecer. Ela contesta a ideia de que não há sensualidade, sedução, desejos e sexualidade entre os 60+; portanto, a quarta tendência defende uma ressignificação. A pesquisa Tsunami60+ aponta que 25% das mulheres maduras têm relações sexuais semanais.

Em Quebrando Tabus, a proposta da quinta tendência é trocar a seriedade – com a qual é pintada a velhice – pela noção de alegria; pelo lúdico capaz de subverter a falsa noção de que idoso prefere bege. Wellness Educativo, sexta tendência, aponta para plataformas de comunicação que tragam conteúdos para além das marcas e produtos; que abordem, por exemplo, bem-estar e estilo de vida. New Age, Better Age aborda a importância de produtos baseados em saberes milenares que essa geração aprecia desde o surgimento do movimento alternativo na sua juventude. A oitava tendência, De dentro pra fora, traz insights sobre produtos – alimentos e bebidas – que promovem saúde e bem-estar, tais como suplementos alimentares e balas de colágeno.

“Em Beleza Prateada, o foco recai para os cabelos. A moda do branco ou prateado está nas cabeças das maduras e também das jovens mulheres. A nona tendência aborda os produtos para manter a beleza desses cabelos brancos de mulheres de todas as idades”, detalha Iza. Em Femcare, o foco direto da 10ª tendência é a saúde – abordando questões como menopausa e incontinência urinária, que atinge uma entre quatro mulheres 40+. Bactérias Saudáveis, segundo Iza Dezon, é a tendência que aborda o uso de prebióticos e probióticos, focando na saúde da pele. O Brilho da Idade, 12ª tendência, são produtos alinhados ao conceito de radiance – substituindo o anti-aging. Em Escape Sensorial, o minimalismo; a noção de produtos simples que promovem estímulos sensoriais. A última tendência, Alta Performance, coloca em primeiro plano o fitness. “Se pensa no fitness como algo que só interessa aos jovens; nada mais equivocado. Essa nova geração de maduros se interessa pelo universo que envolve de devices a roupas”, afirma Iza.

Em HOW TO?, a pesquisa traz as oportunidades de comunicação, apontando para a diversidade na longevidade. Segundo Layla Vallias, uma das coordenadoras do estudo Tsunami60+ os maduros são diversos, sobretudo porque cada pessoa é a somatória das experiências. “Até quando segmentamos por gênero, notamos as diferenças nesse universo que é envelhecer. Enquanto os homens vivem uma fase de reclusão, as mulheres vivem a liberdade. Um erro comum das marcas é tratar todos iguais; o mesmo produto não serve a consumidores de 60, 70, 80, 90 ou 100 anos”, analisa.

O estudo Wellness & Beleza Prateada aponta para um novo olhar de comunicação. Para o cidadão do século XXI, envelhecer é um processo completamente diferente do que foi décadas atrás. Essa mudança está inteiramente associada à presença da internet na vida dos novos seniores. A partir do advento da conectividade, eles buscam conhecimento no YouTube; diversão no Facebook; e relacionamento no Instagram e pelo WhatsApp. A internet é a janela para o mundo; no ambiente digital, os maduros conversam, matam saudades, ficam próximos da família, reencontram afetos do passado, mantêm grupos de novos e antigos amigos; experimentam novos amores, planejam viagens físicas e intelectuais. A rede os mantém conectados com uma vida pulsante, ativa e digital. A produção de conteúdo digital, contemporâneo e relevante – que dialogue com os desafios, anseios e necessidades desse público – pode inserir marcas dentro de um novo contexto. Há real potencial de transformar a relação dos maduros com produtos e serviços. Hoje, de acordo com análise desses brasileiros, eles são consumidores invisíveis.

Segundo Layla Vallias é preciso recalibrar o olhar sobre o envelhecimento com base no uso de dados, pesquisas e momentos de escuta e empatia com os novos maduros brasileiros. “Precisamos motivar a sociedade a questionar o ageismo; o preconceito contra as pessoas com mais de 60 anos é prejudicial à sociedade e aos negócios”, afirma, acrescentando que os influenciadores digitais estão apresentando aos maduros novos produtos e serviços. Entre 71% dos entrevistados com mais de 50 anos, a afirmativa recorrente é que ficaram sabendo de determinado item de consumo por indicação desses atores digitais; 18% dos maduros buscam informações de produtos e serviços com esses influenciadores digitais e celebridades. 75% dos maduros afirmaram que descobriram e compraram produtos por essa indicação. Ou seja, há uma compra efetiva impulsionada pela recomendação. Entre os que compraram, 48% adquiriram produtos de higiene e beleza; 41% compraram roupas; e 33% calçados. Entre as demais categorias que merecem destaque: perfume (30%); viagem (31%); eletrodoméstico (25%); e serviço por assinatura (16%).

SOBRE HYPE60+

Consultoria de marketing especializada no consumidor sênior que ajuda empresas, marcas e organizações a criar melhores produtos, serviços e experiências, sempre pelo ponto de vista dos maduros. A trajetória da empresa começou com o Amo Minha Idade, uma comunidade digital com cerca de 9 mil seguidores seniores. Dessa vivência, nasceu o Hype60+, oferecendo serviços que vão da estratégia de comunicação ao desenvolvimento de produtos para empresas que desejam se relacionar melhor com o público sênior. Entre os projetos já realizados estão o estudo Tsunami60+, O movimento Beleza Pura, o hub de influenciadores Silver Makers e o Amo Minha Idade e clientes como TV Globo, SulAmérica, Procter & Gamble, Santander, Drogaria São Paulo e Pacheco, Raia Drogasil, Grupo Fleury, Cora Residencial, Kimberly-Clarck, Nestlé, Danone, Grupo Couromoda, Akousis Aparelhos Auditivos, Riomar, Sindireceita e Unibes Cultural. Mais informações: http://hype60mais.com.br/.

SOBRE A DEZON

Fundada em 2018, a Dezon é uma consultoria estratégica e criativa que analisa tendências de comportamento, moda, beleza e design com foco em inovação e projeção de futuro. Fundada e dirigida por Iza Dezon, a consultoria é a representante exclusiva, no mercado latino-americano, da PeclersParis e serviços de consultoria para marcas, startups e empresas de moda, beleza, arquitetura, decoração, design, mobilidade, entre outros segmentos. Brasileira, Iza Dezon morou mais de uma década na Europa – entre Londres, Milão e Paris –, onde se formou em Fashion Styling pelo Instituto Marangoni. Com mestrado em Gestão de Luxo, Moda e Beleza pelo Institut Français de la Mode (IFM), a especialista em tendências trabalhou para as marcas Prada e Moncler. Em 2011, ingressou na equipe da PeclersParis, na França, onde trabalhou no departamento de Research and Future Insight (s), focado em pesquisa e redação de tendências socioculturais. Em 2015, voltou ao Brasil, onde abriu a filial da PeclersParis na América Latina. Com a PeclersParis Brasil, Iza fez diversas curadorias de eventos; ministrou cursos, além de palestras em importantes feiras e eventos. Escreveu textos e deu entrevistas publicadas em relevantes veículos de moda, beleza, decoração e economia. Unindo a expertise de Iza Dezon à tradição e reconhecimento da PeclersParis, a parceria oferece uma gama extensa de serviços que abordam de maneira ampla, profunda e perspicaz as mais diversas tendências de comportamento de consumo cujo foco principal está na previsão de tendências e inovação de marca e produto.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

News

Breno Silva é “Cancelado” em clipe dirigido por Lívian Aragão

Published

on

Cantor gaúcho imprime nova identidade ao bailão e comemora a chegada ao casting da gravadora Warner Music

Felipe Gaspar

Mais fotos em: https://we.tl/t-sp2920vsvD

Nesta sexta-feira, 07, o cantor gaúcho Breno Silva será “Cancelado” na internet! Brincadeiras à parte, o primeiro single do cantor chega ao Youtube com um tema muito atual: o cancelamento.  A música também será lançada nas plataformas digitais ainda em maio.

“Cancelado” foi composta por Cauê Beltrame, Alessandro Turra, Cesar Moreno e Mauricio Lima, vocalista da banda baile Rainha Musical, importante nome que leva o ritmo bailão para todo o sul do país.

Este trabalho é muito especial para o cantor pois enaltece sua tradição dentro do ritmo (bailão). Para Lívian Aragão o lançamento também tem grande importância, pois marca sua estreia como diretora e produtora de vídeo, além de atuar. A atriz se formou no começo de 2021, em teatro, em Los Angeles, mas antes disso já atuou em novelas como Flor do Caribe, Malhação e Tempo de Amar, e claro, deu seu brilho ao lado do pai, Renato Aragão em diversos trabalhos. “É o primeiro videoclipe que estou produzindo, e dirigindo, está sendo uma novidade muito boa! Fico feliz em participar deste projeto e acredito que será incrível” conta Lívian.

O clipe traz em seu enredo a história de um casal que, como tantos outros, brigou e o namorado foi “cancelado” pela amada. Seu amigo, interpretado pelo influenciador digital e humorista Badin O Colono, brinca por diversas vezes: “quem é que nunca foi cancelado uma vez na vida?” tentando deixar a situação mais normal. Falando nisso, Badin é outro personagem importante do clipe. Ele traz uma leveza marcante, diversão e irreverência com seu jeito engraçado. Sobre ele, Breno Silva diz: “Ele é assim mesmo, nos divertimos muito nas gravações, ter ele neste trabalho foi mais uma grande felicidade. Ele é um grande artista e um nome muito querido em várias regiões do Brasil e até mesmo alguns países próximos, desejo que ele seja cada vez mais reconhecido”.

Breno Silva é um dos mais recentes contratados pela gravadora Warner Music, e tem dado um ar jovem para o ritmo que canta, com o bordão “É bailão que fala!” que virou até título de seu EP – inclusive, “Cancelado” faz parte deste trabalho – ele pretende expandir seu reconhecimento e contribuir para que todo Brasil conheça a batida alegre e romântica que já é tão famosa no sul do país. Acompanhe Breno Silva nas redes sociais: @brenosilvacantor.

Assista aqui: https://www.youtube.com/watch?v=df0U_5kUV2c

Continue Reading

News

Fundador da Base Viral, Rodrigo Noll ensina como aumentar cartela de clientes sem gastar por isso.

Published

on

Maior especialista em marketing e vendas por indicação do Brasil, e criador do método VPI, garante que empresas que ainda usam forma antiga de vender, como o “boca a boca”, sem incentivo e estratégias, deixam de de faturar até 54%

Os efeitos da pandemia da Covid-19 para o mundo estão sendo sentidos em diversos setores. O da economia é, sem dúvidas, um dos mais afetados por ela. Porém, apesar da crise, muitas empresas descobriram neste momento uma forma de se adaptar e crescer exponencialmente. Um exemplo é a Base Viral – primeira empresa do Brasil especializado na criação de programas de indicação – que, em meio ao agravo do vírus, cresceu quatro vezes sua capacidade em 2020. A projeção é de mais crescimento neste ano.

“As medidas de isolamento e distanciamento social alavancaram os meios digitais, com isso, algumas estratégias de vendas e indicação de clientes pela forma antiga de vender, o famoso “boca a boca”, sem incentivo e estratégias, ficou praticamente inviável”, afirma o CEO da empresa, Rodrigo Noll. “Nossa ferramenta sempre foi o método VIP, Vendas por Indicação, que é uma visão estratégica e organizada do marketing de indicação, e com a pandemia as empresas perceberam ainda mais a eficácia desse planejamento elaborado”, explica o empresário.

Ainda segundo Rodrigo, que é especialista em Estratégia Empresarial Disruptiva, pela Universidade de Harvard, e especialista em Empreendedorismo, pela Babson College, não adianta querer utilizar os benefícios da indicação sem conhecer os processos para tirar proveito da estratégia.

“Neste tempo de pandemia é fundamental oferecer confiança e suporte aos clientes, criando uma relação de troca, de parceria. Deste modo, o VIP utiliza-se de estratégias como a recompensa e a mecânica, que aumentam a relação entre eles, gerando mais interesse da parte do cliente em indicar a empresa a outras pessoas, e, consequentemente, aumentando o potencial de vendas da empresa. Um ciclo que se constrói com estratégias”, completa.

Rodrigo destaca alguns pontos do VIP para as empresas, sobretudo em tempos e pandemia.

“Um bom Programa de Indicação faz a empresa ‘pular’ algumas etapas para conquistar novos clientes, pois as indicações vêm direto dos públicos segmentados que já fazem parte da sua carteira. Além disso, há redução de custos, já que a aquisição de novos clientes é bem menor”, finaliza.

Quem é Rodrigo Noll
Empresário, especialista em marketing e vendas por indicação, estrategista, inovador e aficionado por novas ideias e soluções de mercado. Esses são alguns dos atributos de Rodrigo Noll, CEO da Base Viral – primeira empresa do Brasil especializado na criação de programas de indicação -, e criador do método VPI (Vendas por Indicação).
Tudo começou há cerca de cinco anos, quando imerso no mercado tradicional de marketing e vendas Rodrigo percebeu que a forma antiga de vender, o “boca a boca”, sem incentivo e estratégias, fazia com que empresas deixassem de faturar até 54%.
De acordo com ele, 83% dos clientes satisfeitos com uma empresa afirmam que estariam dispostos a indicá-la, porém somente 29% o faziam, os demais deixavam de fazer por motivos simples, como esquecimento, falta de engajamento necessário e gastos desnecessários.
Foi então que ele criou o método VPI, Vendas por Indicação. O método ajuda empresas a venderem mais, sem precisar gastar mais por isso. A estratégia utiliza apenas os clientes atuais de um negócio para vender mais sem precisar oferecer descontos ou fazer anúncios. É uma metodologia digital, organizada, ativa. Desde que começou a oferecer consultorias de VPI, já registrou mais de 350 cases de sucesso, e sua estratégia já gerou mais de R$ 40 milhões para seus clientes.
Rodrigo Noll, que é especialista em Estratégia Empresarial Disruptiva, pela Universidade de Harvard, e especialista em Empreendedorismo, pela Babson College, foi convidado para palestrar no TED, um dos maiores eventos de ideias e lideranças do mundo.
Dentre os desafios que o empresário já enfrentou, se destacam: a escalada do Monte Kilimanjaro (Tanzânia), a ida ao Everest Base Camp (último ponto da montanha mais alta do mundo, no Nepal, onde se pode ir sem ser alpinista) e o mais recente, o crescimento de 4,3x da empresa, em plena pandemia mundial e crise do setor econômico.

Continue Reading

News

Educação corporativa é o diferencial das empresas inovadoras

Published

on

Pormade Portas destinará, aproximadamente, R$ 300 mil em 2021 para capacitação profissional de seus colaboradores

Com os produtos e serviços cada vez mais parecidos e a competição acirrada, uma das únicas maneiras das empresas conquistarem e manterem vantagem competitiva sustentável no mercado de atuação é por meio do desempenho das pessoas no desenvolvimento das suas atividades profissionais. Com isso, grandes corporações, como a Pormade, uma das maiores fabricantes de portas do Brasil, investe constantemente na evolução dos seus colaboradores tendo como base central a educação corporativa.

A pandemia de Covid-19 na empresa é vista como um acelerador do futuro. A companhia não deixou de investir na educação e qualificação dos colaboradores, tendo como premissa principal que a gestão de pessoas é o principal diferencial competitivo, ainda mais em um momento de instabilidade. “O investimento em educação corporativa não diminuiu, pelo contrário. Estamos passando por um grande processo de digitalização e transformação, o que exige uma equipe ainda mais preparada e inovadora. Para 2021, nossa meta é ampliar os recursos na área e direcionar, aproximadamente, R$ 300 mil para o aprendizado e desenvolvimento profissional”, explica Rafael Jaworski, diretor de RH da Pormade Portas.

De acordo com ele, a companhia está ampliando a plataforma de EAD, com a criação de trilhas de aprendizado. As lives corporativas realizadas nas redes sociais da Pormade, bem como as teleconferências e reuniões on-line funcionam como um termômetro para verificar a evolução dos quase 900 colaboradores.

“A verba será destinada aos cursos para ampliar ainda mais o conhecimento dos nossos colaboradores com destaque para soft skills e digitalização de processos. Com o crescimento do atendimento direto aos clientes, é cada vez mais fundamental ampliar as capacidades, habilidades e competências dos profissionais, preparando-os para realizar suas atividades com excelência”, explica.

Conforme Jaworski, a Pormade tem inúmeras inovações sendo implementadas, reflexo do investimento em educação corporativa, sendo que a grande maioria está voltada ao mercado de vendas diretas ao consumidor final, ou seja, o B2C, onde a empresa tem crescido em torno de 60% ao ano. “Quanto mais investirmos na qualificação profissional, melhor será a capacidade competitiva e criativa de toda a organização. Acreditamos muito na força transformadora da educação”, reforça.

Claudio Zini, diretor-presidente da Pormade Portas, defende que a educação é o organismo vital das empresas inovadoras. “Atualmente, a produção intelectual é o que gera riqueza para uma corporação. O aprendizado é o capital do amanhã. Não aprendemos para trabalhar, mas, sim, trabalhamos para aprender, pois a carreira profissional virou uma jornada de aprendizado e isso é o pilar de sustentação de toda companhia”, comenta.

Para Zini, a inteligência coletiva é a maior riqueza do ser humano. “Entendemos que a educação é um agente transformador, não só profissional, mas também pessoal. E quanto mais preparado estiver o colaborador, mais motivado e apto ele estará a nos ajudar a superar os desafios que possam surgir no caminho”, finaliza.

Sobre a Pormade Portas

Fundada em 1939, a Pormade Portas é uma das maiores fabricantes de portas do Brasil. Há mais de 80 anos, a empresa atua para manter a mais alta qualidade de seus produtos. Está localizada em União da Vitória (PR). A companhia conta, atualmente, com 900 colaboradores, 100% envolvidos em um processo de gestão inovador. Com grandes áreas de florestas plantadas e um parque industrial completo com 102 mil m² construídos, a Pormade controla toda a produção. A estrutura permite que a empresa tenha um dos melhores padrões de qualidade da América do Sul. Com um faturamento, em 2020, de R$ 223 milhões, a Pormade investe em pessoas e produtos como estratégia competitiva. Em 2018, a empresa entrou para o segmento de franchising e já conta com 33 unidades em todo o Brasil.

Continue Reading

Destaque

Copyright © 2021 ocimar.com. Todos os direitos reservados.